Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
O GOLEIRO BRUNO.

     Eu não posso crer, de forma alguma, diante do que eu tenho visto que a " voz do povo é a voz de Deus..."
     Eu não posso crer nisso simplesmente por que Deus é misericórdia, de coração mísero, contrito... E o povo? Não.
     Antes de mais nada, eu quero deixar claro, o meu direito de "manifestar a minha opinião", embora o meu Direito de livre expressão não deva satisfação nenhuma a ninguém, desde que, eu respeite o Direito dos outros. Lembrando que, é direito constitucional o meu Direito de manifestar a minha opinião, como eu afirmei antes.
     Esta crônica não pretende ser longa, afinal, o povo a quem eu dirijo esta leitura, não é muito dada a leituras e ao saber, se o fosse, certamente não estariam agindo do modo que agem.
     Já aos amantes da leitura e amigos do saber, portanto leitores filósofos, a estes tenho certeza que meus argumentos lhes tocarão a mente e o bom senso.
     Bruno matou Elisa Samúdio, é fato! Bruno cumpriu sua pena exatamente como você, leitor, escolheu que ele cumprisse, pois foi você cidadão eleitor que, elegeu os parlamentares que criaram as Leis do Código Penal e do Código Processual Penal, é fato!
     Bruno, depois de cumprir seis anos de cadeia está solto meu caro cidadão eleitor, por que você escolheu através dos candidatos em quem você vota, as regras do jogo que regem a vida social, que diz quê, a pena no Brasil deve ter um caráter punitivo e ressocializador, é fato!
     Bruno matou Elisa Samúdio, um crime "imperdoável" em nível humano, mas em um país predominantemente cristão, é no mínimo um fato controverso... Para Não dizer passional e hipócrita!
     Bruno tem o Direito de, após cumprida a sua pena, "pelo pé..." ou "No cunhão..." ou não, como diz a gíria policial, recomeçar a sua vida. Goste eu ou não. Goste você ou não...
Para quem não sabe, Bruno está solto por que você quando vota, faz a manutenção do modelo fracassado da relação pena e ressocialização vigente no país atavés de sua escolha livre e consciente de seus legisladores.
     Agora, não adianta hostilizar o goleiro Bruno, agora um trabalhador em fase de recuperação, como qualquer apenado que todos os dias são soltos aos montes, e muitos deles sem a menor condição de convívio social.
     Bruno tem sim o seu Direito a recomeçar a vida, ele foi julgado, ele foi condenado, ele cumpriu a sua pena segundo a "sua" vontade durante seis anos... Agora, como qualquer preso, poderá tentar recomeçar a vida a partir do ponto de onde ele mesmo prejudicou.
     Além disso, devemos lembrar que, o filho da Elisa Samúdio precisará no futuro ao menos do dinheiro de seu genitor, um Direito dele hoje... Outros Direitos que poderão a vir existir daqui a alguns anos... O Direito é mutável!
Mas existe outro aspecto extremamente hipócrita nesta estória, todo este barulho em torno da contratação do goleiro Bruno por um time pequeno só durará o tempo suficiente do goleiro Bruno fazer grandes defesas e quiçá, ajudar este time a uma bela campanha futebolística, afinal, este é o país onde a morte e a dor é esquecida diante de um grito de gooooool! ou salva na corujaaaa! Duvida?
     Quantos morreram nos porões da ditadura durante a conquista da copa de 1970? Pois é... A verdade dói.
     Finalizando, termino dizendo que, para mim Bruno pagou pelo seu crime perante os homens. Para mim, reviver em hostilidades contra Bruno a morte de Elisa, não a trará de volta... Principalmente por um único de devastador argumento: Eu tenho certeza que, se Bruno Fizer grandes jogos, conquistar títulos... Voltará a ser amado pelos torcedores do time que defender, e se brincar, ainda voltará a sem contratado e amado pelo seu clube de origem, o Flamengo que hoje o rejeita... Ah, e antes que digam que eu sou flamenguísta, saibam que eu sou vascaíno... Mas antes de tudo, aprendi sem ser um grande cristão, a não julgar para não ser julgado...
Gustavo Miranda
Enviado por Gustavo Miranda em 14/03/2017
Reeditado em 15/07/2017
Código do texto: T5940360
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Gustavo Miranda
Recife - Pernambuco - Brasil
1047 textos (28819 leituras)
8 áudios (339 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/04/21 16:28)
Gustavo Miranda