Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

S O L I D Ã O

   Caminhei alguns passos até a beira da lagoa, me sentando em um banco, de onde apreciava o lindo por do sol. O espetáculo diário era uma maravilha, salvo nos dias quando no céu se formavam nuvens que impediam essa visão. Eu já estava acostumado com essa contemplação da natureza, era o meu passatempo dos finais de tardes, sentindo o vento frio que me acariciava o rosto já envelhecido pelo tempo, que pouco sorria e procurava nesse local alguns momentos de  solidão, fugindo de problemas de ordem doméstica. O corpo já não aguentava mais as adversidades da vida, sentia o peso que o tempo lhe ofereceu e que era impossível não aceitar. Essas tardes de solidão geralmente me faziam bem, eu esquecia tudo o que havia ficado para trás, mergulhava em um mundo que criei para aliviar um sofrimento que muito me afligia. Ficava ali naquele banco próximo a lagoa, observando o sol sumir no horizonte, muitas vezes nem percebendo que a noite caíra. Meu mundo me absorvia junto com os meus problemas, me deixava feliz como se tudo fosse flores. Eu agradecia a Deus por esses momentos que deixavam minha alma em paz.
   Hora do retorno, da volta para casa, ter novamente a convivência familiar que não podia evitar. Meu coração batia forte, acelerava a cada passada. Deixava aquele local onde criei uma expectativa de momentos de felicidade, onde o por do sol era minha companhia, onde a solidão me ajudava a refletir sobre mim, naquele banco a beira da lagoa.
Moacir Rodrigues
Enviado por Moacir Rodrigues em 09/07/2014
Código do texto: T4875541
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Moacir Rodrigues
Recife - Pernambuco - Brasil, 70 anos
1862 textos (35561 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/01/20 03:52)
Moacir Rodrigues