Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CEU ESTRELADO


Umedeço os olhos no brilho das estrelas. As estrelas são um antídoto para qualquer tristeza. Da minha janela eu fico olhando-as. São infinitas no céu infinito. Perco-me a contá-las naquele manto negro que cobre a terra. Na vida deveria ter tantas oportunidades quanto as estrelas no céu. Fico a pensar... Os caminhos pelos quais percorremos são íngremes. Por isso vivemos com esses ares sonhadores, olhando estrelas... Quando se vive milhares de sonhos que tomam formas de estrelas, esses mesmos sonhos se tornam incompreensíveis até a nós mesmos. Brilham... Mas são tão distantes que não conseguimos alcançá-los.

Com o olhar úmido olho as estrelas e vejo nelas os meus sonhos tão distantes! Acho que ousei sonhar demais e me perdi nas teias que eles tecem. Meu cérebro está áspero de tanto sonhar. Penso que sofro desse mal que escapa do raciocínio para viver apenas o contínuo sonhar. Porque estou sempre com esses ares sonhadores e não vivo o que a vida me oferece. Não avanço espaços para realizar os sonhos. Então os distancio ainda mais e os coloco na altura das estrelas.

Já me acostumei com essa distância e penso que os meus sonhos são demais para mim, assim como as estrelas são demais para esse universo humano. Elas nunca sairão de seu lugar e eu posso vê-las todos os dias de céu limpo. Às vezes parecem se deslocar e cair. Mas deve ser apenas ilusão de olhos que sonham. Meus sonhos também nunca saíram do seu lugar. Talvez tenham caído como algumas estrelas. Talvez tenham se perdido na escuridão do universo.

Estava pensando que os sonhos, assim como nós, envelhecem e sofrem mutações dependendo da necessidade que o mundo exige. Já não é a própria vontade e sim os fatores do mercado que o exigem. O sonho original, embora possa ser até imaginário perde a identidade. Assim ficamos a contar estrelas como um antídoto para as frustrações. Elas não precisam de mudanças e brilham sempre a beleza do espaço. Não se perdem e não se criam. São sempre as mesmas desde que o universo foi criado e ainda tomam a forma de nossos sonhos inatingíveis.

Estrelas... Sonhos... As estrelas iluminam o céu. Os sonhos iluminam a vida. Acho que existe uma relação entre eles (o ato de brilharem e serem tão infinitos e distantes). Dependendo da ótica do olhar de cada um, um sonho pode ser uma estrela e uma estrela pode ser um sonho. Talvez nossa vida seja um céu estrelado. Estrelado de sonhos...






Sonia de Fátima Machado Silva
Enviado por Sonia de Fátima Machado Silva em 08/12/2009
Código do texto: T1966643
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Sonia de Fátima Machado Silva
Coromandel - Minas Gerais - Brasil, 57 anos
1340 textos (58301 leituras)
13 áudios (689 audições)
2 e-livros (150 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/04/21 06:32)
Sonia de Fátima Machado Silva

Site do Escritor