Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O IMPÉRIO DO SOL

Por Gecílio Souza

Brilhando no universo
No mundo e na humanidade
Um tal monarca macróbio
Com total autoridade
Seu poder é absoluto
De contínua intensidade
Preside o sistema solar
Na mais nítida claridade
Ele é rei em qualquer plano
Impressiona o ser humano
Sua longeva magestade

Aspectos de divindade
No poder e na grandeza
Ninguém ousa questionar
As ordens de sua alteza
Hélio, enxofre e néon
Constituem a realeza
Ferro, carbono e silício
Lhe conferem mais pureza
Magnésio e oxigênio
Nitrogênio e hidrogênio
Consolidam a fortaleza

Cá na terra a natureza
De sua força depende
A vida em suas matizes
Com a luz solar se defende
Luzeiro multigasoso
Que aquece e surpreende
O seu brilho é sideral
Não se apaga nem se acende
Farol que sai do infinito
Incandescente e bonito
Na Via láctea se estende

Toda escuridão se rende
Quando o astro-Rei ordena
O dia é um pouco maior
A noite é um pouco pequena
Ele manda até no tempo
Sua capacidade é plena
Rei, legislador e juiz
Pelos raios ele condena
Se a poluição faz cratera
Na terrestre atmosfera
O câncer de pele é a pena

Na nossa aldeia terrena
Astro-Rei é contundente
Ilumina este Planeta
Com presença permanente
De dia os raios diretos
E à noite indiretamente
Ele empresta luz à lua
Que a transmite suavemente
A natureza agradecida
Dá a sua contrapartida
Consoante o continente

Duas regiões somente
Que o sol pouco visita
Pólo Sul e Pólo Norte
O próprio gelo interdita
A presença do rei Sol
Cuja face se explicita
Uns quatro meses por ano
Lá onde o pinguim habita
Friagem não é açoite
Há o sol da meia noite
Com sua atração bonita

Mas Astro-Rei não hesita
No trono do firmamento
Fornece mais do que luz
Equilibra a chuva e o vento
Dá fotossíntese às plantas
Estimula o crescimento
Fortalece os biomas
O bio-desenvolvimento
Oxigena a floresta
Nos doa e não nos empresta
A energia e o alimento

Do super aquecimento
E da desertificação
Não tem culpa o Rei Sol
Culpada é a devastação
Praticada pelo homem
Movido pela ambição
Pois Astro-Rei permanece
Sempre em sua posição
Mas a ganância humana
É inconsequente e insana
Que animal sem noção!

Água doce e a vegetação
Estão desaparecendo
As várias formas de vida
Se definhando e morrendo
O pelo verde da terra
No fogo está se ardendo
Nos dois pólos do planeta
As geleiras derretendo
Astro-Rei indiferente
Não ficou nada mais quente
A Terra está se aquecendo

G. S.
Oiliceg
Enviado por Oiliceg em 22/02/2020
Reeditado em 22/02/2020
Código do texto: T6872117
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Oiliceg
Taguatinga - Distrito Federal - Brasil, 58 anos
185 textos (8039 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/20 03:25)
Oiliceg