Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

sextilha, coisas da vida.

O paraíso e tão alto
Que ninguém mede a altura
O firmamento do céu
Deus quem fez a estrutura
E o cofre do pensamento
Guarda cédulas de loucura.

No bojo da sepultura
Tem podridão como essência
A vida é um livro aberto
Pra se lê com consciência
E o ponteiro da morte
Marca o fim da existência.

A flor exala uma essência
Melhor que qualquer perfume
Nas montanhas dessa vida
É feliz quem chega ao cume.
Quem sai de treva pra luz
Brilha mais que vaga-lume.

O pai do céu tem ciúme
Do seu filho obediente
A cachoeira dos olhos
Jorra, lagrimas na nascente.
E o riacho da alegria
Transborda o peito da gente.

O rio da vida é vertente
Que pra Deus jorra direto
Na mansão do coração
Deus não pôs mármore no teto
O mundo livro, que ensina.
E que diploma analfabeto.

Foi Jesus o arquiteto
Na construção do planeta
Quem é velhaco se esconde
Com medo da caderneta
E o escrivão do juízo
Não precisa de caneta.

A linguagem obsoleta
O professor não aprova
O beijo e o combustível
Que alimenta quem prova
E o pecado vai conosco
Pra o bojo escuro da cova.

Pras gerações velha e nova
Deus sempre foi braço forte
Quem anda com Deus na pista
A fé é o seu transporte
O caixão carro sem freio
Na rodovia da morte.

Quem anda ao lado da sorte
Nunca tem constrangimento
Se eu me cansar na viagem
Eu paro um pouco e me sento
E Quando o corpo esta cansado
Viajo no pensamento.

A nave do pensamento
Viaja a dez mil por hora
A memoria do juízo
Computador não explora
A minha mente se hospeda
Na casa que Jesus mora.

Quem vive esperando a hora
De morrer é moribundo
A terra estrado dos pés
O inferno largo e profundo
Na porta estreita do céu
La não entra todo mundo.

Num milésimo de segundo
Nosso pensamento gira
A arma do mal aponta
E contra Deus ela conspira
Quem puxa o gatilho dela
Não conta às vidas que tira.

O mal produz a mentira
E às vezes nos surpreende
As palavras da verdade
O homem mal não intende
E não tem justiça que solte
Quando o cemitério prende.
 
Quando Jesus nos defende
É que o milagre acontece
A tristeza nos abate
Mais a fé nos fortalece
É na aflição do justo
aonde Deus aparece.
Lazaro Monteiro Dantas
Enviado por Lazaro Monteiro Dantas em 12/10/2019
Código do texto: T6767943
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lazaro Monteiro Dantas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 36 anos
24 textos (1397 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/11/19 02:13)
Lazaro Monteiro Dantas