Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O encontro de Bolsonaro com Lampião.

Vou contar aqui um fato,
Que ocorreu nesse lugar
Bolsonaro corajoso
Foi lampião encontrar
Pra falar sobre o Brasil
Que ele está a comandar.

Sentado em sua cadeira
O rei do cangaço chegou,
Sem pedir cerimônia
Uma bebida pegou.
E depois de três goles
A conversa começou.

Bolsonaro lhe falou
Sobre o tal do desemprego
Sobre a corrupção
Que cresce em tal segredo
E Lampião escutando
Discreto sem sentir medo.

E a conversa foi fluindo,
Até que chegou o momento
Do cangaceiro opinar sobre
Aquele sofrimento.
Que o Brasil vem sofrendo
Sem se quer está devendo.

Nisso Maria bonita foi lhes
Servindo um chá.
E presidente Bolsonaro
Foi logo lhe chavecar.
Dizendo que era bonita
Uma mulher pra casar.

Lampião não gostou muito,
E ficou encabulado.
Mas continuou a conversa
Como um bom homem honrado
Olhando pra Bolsonaro
Pensando: esse eu mato.

Bolsonaro presidente
Que faz o que bem pensar.
Não temia o cangaceiro
Que costumava matar.
E continuou com seu discurso
Sem tempo pra terminar.

Lampião o aconselhou
A andar sempre pra frente
A fazer do Brasil um lugar
Mais diferente
A trabalhar com a razão
E agir menos com a mente.

Bolsonaro observando
Tomou logo uma bebida
E disse seu cangaceiro
Aqui termina sua lida.
Está preso e acabado
Nessa vida indecisa.

Lampião se levantou
Lamentando o destino
Daquele presidente e do
Seu desatino.
Por duvidar do cangaceiro
Que tem sangue nordestino.

Apontando o seu rifle,
Foi cercado por soldados
Foi tiro pra todo canto
E Virgulino ameaçado.
Sentiu suar em seu peito
O fim de um grande pacto.

Seu bando chegou depois,
Se vingando tiro a tiro.
Pois não acreditavam
Que era o fim de Virgulino
Até ver seu corpo no chão
Como um pobre clandestino.

O presidente satisfeito
Vendo Maria bonita a chorar
Ao lado do seu amado
Ela decide levantar
Dizendo agora tu morre
Pois eu também vou me vingar

Ao tentar sua vingança
Foi pega desprovida
Recebendo uma bala
Retirando sua vida.
Mas antes de apagar
Deixou claro o que queria.

Maria bonita falou em meio
A dor que sentia
Que tudo que é plantado
Um dia a gente colhia.
E se alguém quisesse
Desvendar seu coração
Poderia virar do avesso
Que o seu grande segredo
Era o amor por Lampião.
Josiane cordelista
Enviado por Josiane cordelista em 10/10/2019
Código do texto: T6766167
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Josiane cordelista
Sátiro Dias - Bahia - Brasil, 20 anos
48 textos (696 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/11/19 01:27)
Josiane cordelista