Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Fábula Do Burro Que Virou Rei

Certa vez os animais
Quiseram fazer uma eleição,
Cansados da desorganização,
Queriam melhorar a administração,
Convocaram toda bicharada,
Os Mamíferos e a passarada
Para não faltarem à votação.

O cavalo se candidatou,
O burro também se inscreveu,
O galo os candidatos registrou,
Um franguinho deu o seu nome,
Pois se achou qualificado,
O candidato mais indicado
Para um galinheiro sem fome.

Começou a grande campanha,
O cavalo relinchou bonito,
O franguinho não fez manha,
Distribuiu muitos santinhos,
Fez comícios no galinheiro,
Ciscou por todo o terreiro
E pegou no colo os pintinhos.

Mas o burro foi mais esperto,
Não saiu do seu curral,
Pois descobriu o jeito certo
De convencer o eleitorado,
Inspirou-se numa mula do norte
Que lá na sua fazenda teve sorte
E se tornou o chefe do estado.

Os dois usaram o "zap-zap",
Também o "feice" e o "tuíte",
Pra eles aplausos: "clap-clap",
Pois tiveram boa assessoria,
Instigaram o senso comum,
Ganharam os cabeças de jerimum
E espalharam sua ideologia.

Não deu outra esse pleito,
A bicharada ficou dividida,
Não podia ser de outro jeito,
A votação enfim encerrada
E pau a pau foi o resultado
Quando os votos apurados
Mostraram a eleição empatada.

O franguinho em último ficou,
O cavalo em segundo lugar,
Mas com o burro pareou
E o segundo turno haveria,
Uma segunda convocação
Para uma outra seção
Que em breve aconteceria.

E o burro mais forte zurrou,
O cavalo deu umas coiceadas,
O burro seu ódio mostrou,
Até chamou o seu sítio de zona,
O cavalo destacou seu trabalho,
Mas no adversário deu um malho
E os defeitos do burro trouxe à tona.

O burro inventou muita lorota,
Mas outra vez saiu na frente,
O cavalo reconheceu a derrota,
Mas prometeu fazer oposição,
O burro foi empossado,
À rampa subiu empolgado
E assim assumiu a situação.

O burro até hoje diz asneiras,
Muitos bichos chiam demais,
Outros adoram suas maneiras,
Ele defende a caça à galinha,
Fala em armar os mais ferozes,
Contra ele se levantam as vozes,
Mas o apoiam os amantes de coxinha.

O burro se tornou um mito,
Muitos o veneram como santo,
Entre os animais o mais bonito,
Outros o odeiam como diabo,
Entre os viventes o mais feio,
Dizem não saber a que veio
E que só cuida do próprio rabo.

Mas essa história fabulosa
Do Burro que foi eleito,
Que vão chamar inescrupulosa,
Ela traz pra gente uma lei:
Onde o sapo pisa na bola
A mosca deita e rola
E o burro vira rei.

Aut. Aberio Christe

 

Aberio Christe
Enviado por Aberio Christe em 30/07/2019
Código do texto: T6708048
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aberio Christe
São Paulo - São Paulo - Brasil
78 textos (4272 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/19 04:09)
Aberio Christe