Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Assim crio um santuário
Muitas vezes solitário.
E se em meio a embates,
Por cansativos combates
Arrefeço, perco alento...
Ferida, choro um pouquinho,
Nas letras eu me alimento
E volto logo a sorrir
"Nada pode me atingir,
Pois Pasárgada é meu ninho!"


Sentada e o céu sorrindo
De mazelas eu esqueço
Vejo tristezas partindo
Alegrias amanheço
Vida boa, bons amigos
São verdadeiros abrigos
Ontem, hoje e no porvir
Nunca estive sozinho
Nada pode me atingir,
Pois Pasárgada é meu ninho!


E o verão balouçando,
Minha vida sossegou.
Um anjo aqui voou
E assim foi acalmando...
Os medos foram findando
E assim bem devagarinho,
Felicidade fez ninho
E prossegui a sorrir...
Nada pode me atingir
Pois Pasárgada é meu ninho!


E respirando a cantar,
Cheiros vindos lá do mar,
Vislumbro no horizonte,
O sol que encanta o monte
Sempre lindo em seu raiar!
Livre e bem  devagarinho,
Retomo o meu caminho,
Sigo rumo ao que virá,
"Nada me atingirá
Pois Pasárgada é meu ninho!"


E no limiar da noite,
Sinto o vento refrescar...
Reconheço-lhe o açoite,
Sempre perto, a espreitar!
Dor infinda paira o ar,
Escondida em minha noite,
A murmurar torvelinho...
Sossegada vou dormir...
"Nada pode me atingir
Pois Pasárgada é meu ninho!"





"Pasárgada é meu ninho" é um cordel, proposto por Elischa Dewes, no Fórum que lamentavelmente foi desativado!
INEZTEVES
Enviado por INEZTEVES em 08/04/2009
Reeditado em 23/10/2014
Código do texto: T1529670
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Áudio

Comentários

Sobre a autora
INEZTEVES
Japeri - Rio de Janeiro - Brasil
1384 textos (114895 leituras)
296 áudios (29030 audições)
2 e-livros (118 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/08/20 05:56)
INEZTEVES