Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O SEU AMOR PODE ESTAR DO SEU LADO!!!!!!!

Remanso, vila de pescadores. Um lugar pequeno e pacato do litoral do Ceará. Lindomar bateu as sandálias no chão, antes de entrar no ônibus com destino a capital. Tinha feito, recentemente, dezenove anos. Era senhor e dono do seu destino. Não aceitava insultos e injustiça. Ainda tinha no rosto as marcas das unhas do tio Felício. Uma briga feia. Aquilo foi a gota d'água. Lindomar descobrira que o tio fora  o responsável pela interdição de um restaurante rival, também a beira mar, o Catamarã. Felício queria o monopólio de restaurantes, na vila bem frequentada por turistas.  Tudo fora bem armado com Samir, funcionário do Catamarã. Felício pagou muito a Samir para que colocasse camarões e pescados, em mau estado, na despensa. Uma ligação anônima para a vigilância sanitária e pronto. O restaurante foi multado e fechado. O proprietário, Hércules, foi ao desespero. O Catamarã tentou se reerguer. Promoções infrutíferas. Preços módicos. A clientela migrou para o Beira Mar, restaurante de Felício, do qual Lindomar era sobrinho. A cooperativa de pescadores jamais forneceria pescados estragados a quem quer que fosse, muito menos ao Catamarã. Lindomar resolveu investigar. Uma história mal contada. -" Deixe isso pra lá, Lindomar!! Vou vender o restaurante ao Silvino, da capital. Tenho o quiosque da praia do Francês. " Lindomar não acreditava. -" Hércules, você herdou o restaurante de seu pai. É um patrimônio de Remanso!!!" O comerciante o abraçou. -" Rapaz, você não existe!! Não é nada parecido com o tonto de seu tio. Seu futuro será brilhante, Lindomar. Não fique aqui, vá brilhar na capital!!!" Lindomar perdera a mãe, há um mês.  Tertuliana nunca disse a ninguém quem era o pai de Lindomar. Nem Felício sabia. Lindomar parou de perguntar sobre seu pai com dez anos, após uma surra de cinta que levou da mãe. -" Seu pai sou eu, Lindinho. Eu sou pai e mãe. Se nada lhe falta, não pergunte mais essas coisas!! Você apanhou na escola e vai apanhar de novo de mim. Cabra frouxo!!!!" Lindomar trazia o olho roxo. Maldita Eufrásia!! Não bastasse o boletim de notas baixas ainda apanhara da menina. Eufrásia tinha dois anos a mais que ele. Era da mesma escola. Mesma sala de aula. Eufrásia era repetente. Num jogo de futebol, na quadra da escola, hora do recreio, Lindomar deu uma rasteira na magrela. A menina tinha feito três gols. Uma vergonha pro time de amigos de Lindomar. Uma vergonha pra classe masculina. -" Pênalti!!!!" Gritou a única menina do time da quinta série. Eufrásia pegou a bola de meia. Pitoco, o goleiro, olhou para Lindomar. Dênis e Reginaldo ficaram quietos. Era o fechamento da goleada humilhante de seis a um. Lindomar fez um sinal com as mãos. Coisa de pré adolescente em idade escolar. Sinais que só amigos mais próximos entendem. -" Não, Lindinho. Foi pênalti!!!" Gritou o goleiro, pressentindo que o outro faria besteira. -" Não foi, menina macho!!! Você pulou!!!! Roubou." Gritou Lindomar, empurrando a garota e pegando a bola. A fama de Eufrásia era conhecida. Ninguém se metia com ela. Era briguenta e mandona. Líder da turma do fundão, as Escrotas!!! Quatro meninas que repetiram de ano. Quatro valentes que botavam medo em professores e fiscais de escola. Vira e mexe furavam pneus de carros dos professores ou roubavam gabaritos das provas. Pichação era a especialidade delas. Lindomar viu estrelas ao cair. Um soco direto no olho esquerdo. Eufrásia correu para o banheiro. Pitoco e Dênis socorreram o pobre Lindomar. Ele ficou de pé. O olho inchou na hora. Jogo encerrado com o tumulto e o sinal do fim do recreio. A diretora Juraci levou Lindomar ao posto de saúde da vila. -"Eu me choquei  com a trave, diretora!!!" Mentiu o garoto.  Lindomar nunca mais jogou futebol na escola. Passava longe de Eufrásia e suas amigas. A menina jogava bolas de papel em Lindomar, quando a professora estava no quadro negro. Quando os dois se encontravam, na fila da merenda, saia faísca. Lindomar era empurrado e leva cascudos na cabeça. -" Se toca, coisa feia!! Não tem vergonha de viver que nem homem?!?!?" A menina sorriu. -" Quer ter o outro olho roxo?? Vai procurar seu pai!!!" Lindomar partiu para cima da menina. O servente da escola apartou os brigões e os levou a sala da diretoria. -" Mais uma e terei que expulsar os dois!!!" Eufrásia beliscou o menino. -" Ele me provoca!! Me xinga!!!" A diretora estava impaciente. -" Ela me bate, diretora!! É uma ogra!!!" A diretora bateu na mesa. -"Suspensão. Aos dois. Uma semana!!" Os alunos baixaram as cabeças. -" Que futuro terão??? Tem que estudar e ser o melhor. A vida é dura até pra quem estuda!! Meu Deus!!! Isso é amor, só pode!! Vocês se gostam e por isso se agridem!!!!!" Lindomar cuspiu no chão. -" Eca!! Prefiro a morte!!!!" Eufrásia fez o sinal da cruz. -" Deus me livre de assombração! Nem se ele fosse o último macho da terra!!" A diretora os dispensou. Com a punição, Lindomar perdeu o cargo de chefe dos coroinhas. A mãe o obrigou a cuidar da casa, já que não tinha aulas. Ensinou o filho a lavar o banheiro, limpar a casa e lavar louças. Lindomar gostava de ver a mãe cozinhando. Teve de ajudar a mãe a recolher material reciclável na orla. Sol escaldante e carrinho pesado. Lindomar aprendeu a valorizar o esforço de sua mãe para sustentar a casa.   Ganhava um picolé, no quiosque do Hércules, na volta pra casa. Tertuliana era amiga de infância de Hércules. A família de Eufrásia se mudou para Arapiraca, Alagoas, no final daquele ano.  Lindomar exultou ao saber da novidade. Tertuliana notou o cansaço no rosto de Hércules. Não era fácil cuidar de um restaurante e um quiosque. Muito trabalho e correria. O filho de Hércules cuidava do quiosque enquanto o tio se dividia nos dois comércios. -"Lindinho tem treze anos e  pode vir lhe ajudar. Será útil servindo as mesas!!!" Hércules gostou da idéia. Seria bom ter ajuda em meio período. Lindomar vibrou com a notícia. -" Viva!!! Vou comprar um vídeo game e camisas da hora!!!!" A mãe o abraçou. -" Não se empolga, sardento. Não tem idade pra ter registro em carteira!! Vai ganhar duzentos reais por seis horas de trabalho. Estuda de manhã, trabalha a tarde no quiosque.  Os duzentos virão para o meu bolso pra compra do gás. Vou te inscrever num curso de inglês pra conversar com os turistas!!!" Lindomar abraçou a mãe. -" Muito obrigado, mãe!!!" Tertuliana estava orgulhosa do filho. Lindomar ia direto do quiosque para o curso de línguas a noite. Cheirava a fritura pois já auxiliava na cozinha. Os colegas de curso tiravam onda com o cheiro dele. Adorava praticar o inglês  com os turistas. Hércules registrou Lindomar. O rapaz liderava o quiosque. Era ele quem conversava com os turistas, traduzindo os pedidos.  O filho de Hércules foi transferido para o restaurante Catamarã. Lindomar chamou Pitoco e Dênis para o auxiliarem no quiosque. Após um tempo,  Hércules deu carta branca para Lindomar fazer o que achasse melhor. Lindomar mudou o cardápio, inserindo a moqueca capixaba que sua mãe lhe ensinara a fazer. Caldinho de feijão, bobó de camarão e caldeirada marinha também entraram no cardápio. Shows noturnos com música ao vivo era um incentivo precioso aos artistas locais. O quiosque fechava às dez da noite. Começou a dar mais lucro que o Catamarã!! Hércules estava feliz. Lindomar tentava fazer as receitas dos programas de culinária da tevê. Era fã da Palmirinha e da Ana Maria Braga. Lindomar fez um curso básico de culinária. Queria aprender a fazer doces. Implantou comida asiática no quiosque, a conselho de Pitoco. A novidade agradou e o quiosque foi eleito um dos melhores do litoral nordestino. Alceu Valença e Tatau, do Araketu, almoçaram no quiosque e suas fotos na rede ajudaram a divulgar o local. Felício insistiu.  Queria ver o sobrinho como chefe do Beira Mar. O lugar era pequeno mas era o único da praia da ponta. Tinha uma boa clientela mas Felício queria mais. Queria ter o lucro e o sucesso de Hércules.-" Um salário e meio!??! Que miséria, Lindinho!!! Eu lhe pagarei quatro salários!!!" Vem comigo!!! Sou seu tio e o amo." Lindomar não engolia aquele parente. Era bem de vida e raramente visitava a irmã. Tertuliana nunca o procurava. Vivia dizendo que Felício era arrogante e mesquinho. Ovelha negra da família. Hércules insistiu e Lindomar assumiu a cozinha do Catamarã. Hércules ficou feliz com a presença do amigo no restaurante. -" Quero carta branca e dois salários mínimos!!! Treinar minha equipe de ajudantes!!!" Exigiu o chefe. -" Protesto, Lindomar. Vai ganhar três salários!!!!" Disse Hércules, sorrindo.  Pitoco e Dênis assumiram o controle do quiosque. Eram aptos para isso. Lindomar era ajudado e gostava de ajudar os outros. Ficava feliz com o sucesso dos amigos. Felício espumou de raiva com a  decisão de Lindomar.  Ele mudou as cores e os móveis do Catamarã. Ampliou o estacionamento. Reduziu os preços dos pratos, atraindo os moradores da vila. O Catamarã renasceu. Um sucesso. Excelente comida e ambiente familiar. Um ano depois, Tertuliana conheceu Izabela, primeira namorada do filho. -" Cuide bem dele. Eu sinto que estou no bico do corvo. Na hora do adeus." Tertuliana contraiu dengue. Isso agravou sua frágil saúde. Tertuliana faleceu numa manhã de domingo. Era o inverno. Era o inferno começando na vida de Lindomar. Os boatos e as más notícias que o Catamarã usava comida estragada levou Hércules a fechar o lugar. Até o quiosque sofreu as consequências. O movimento diminuiu. Hércules vendeu o restaurante. Lindomar pediu demissão. Não queria sequer trabalhar no quiosque. Ficou dias em casa, fechado. Pitoco o procurou. -" Levante, Lindinho. Vamos sair???" Lindomar mal via as redes sociais. Cara fechada. -" Sei que está sofrendo, amigo. Olha, não queria não mas vou falar!!!" Lindomar se levantou do sofá. -" Seu tio Felício assumiu o Catamarã. Samir é o gerente!!! Dizem que o estrangeiro que o comprou era fachada. Um laranja!!!!" Lindomar esmurrou o sofá. -" E tem Izabela!!! Tá grávida e não é seu. É de um turista, um argentino!!! A Augusta, amiga dela, me confessou." Lindomar coçou a cabeça. Era muita coisa ruim. -" Valeu, amigo. Eu vou embora daqui. Vou voar e brilhar!!!! Quem dorme no chão teme as formigas!!!" Lindomar foi a casa do tio. Há décadas não entrava alí. -" Bravo, tio. Parabéns!!!!" Deu um soco no rosto de Felício. Os seguranças vieram. O homem arranhou o rosto de Lindomar. Ele foi jogado para fora. -" Deve ter chamado a vigilância, não?!!!?! Eu suspeitava mas agora tenho certeza!!! Maldito." Felício sorriu. Lindomar foi pra casa. Arrumava as malas quando o telefone tocou. Era Izabela. -" Muchas gracias, Isabelita. Ronaldo tem duas copas do mundo, Messi nunca terá!!! Fique com seu argentino!!!!" Desligou o telefone. Riu de si mesmo ao comparar Ronaldo e Messi. Jardel, um vizinho, há tempos queria comprar a casa de Tertuliana para aumentar o estacionamento da loja de surfe. Lindomar foi até o balcão da loja. -" Tarde, Jardel. Quanto oferece pela minha casa???" Foi incisivo. Ouviu menos do que esperava. -" É casa velha. Vale o terreno. Uns quarenta mil." Lindomar coçou a cabeça. Olhou em volta. -"Quanto tem agora?!? Agorinha???" Jardel fez uma careta. Entendeu que o rapaz queria ir embora da vila. -" Tenho trinta mil." Lindomar sorriu. -"Trinta e é toda sua! A escritura está aqui. O que estiver lá dentro faça doação!!!" Jardel cumprimentou Lindomar. -" Feito. Não é muito mais é o suficiente para você recomeçar onde te valorizem. Você será famoso pois é ótimo cozinheiro, filho!!!" Lindomar ficou feliz com aquelas palavras. -" Vou deixar meu telefone. Qualquer galho com a casa, me liga!!!" Lindomar guardou o dinheiro na maleta. Lá estava sobre documentos a foto de sua mãe quando era jovem. Lindomar a olhou. Jardel também olhou. -" A bichinha era linda, seu Jardel. Parecia atriz de cinema!!! Trabalhou muito!!!" Lindomar fechou a maleta e saiu. Decidiu dormir no hotel Imperador naquela noite. O único ônibus pra capital saía de manhã. -" Adeus lugar miserável! Gentinha!!!" Disse no dia seguinte. -" Aqui não volto nunca mais e nunca mais quero ver gente daqui, exceto por Hércules, Pitoco e Dênis." Fez o sinal da cruz e entrou no ônibus. Uma viagem de três horas. Ficou um tempo numa pensão de Fortaleza. Trabalhou seis meses numa barraca de pastel na feira. Passaporte pronto, decidiu partir pra Espanha. Morou numa pensão pequena. Quatro anos como ajudante num restaurante. Aprendeu a fazer paella. Cursos e mais cursos de gastronomia. Devorava livros de receitas. Passou a ser auxiliar do chefe Gutierrez, num restaurante de Barcelona. Gutierrez o levou pra Nova York. Lindomar já era chefe de cozinha. Adotou o nome artístico de Landon Guti. Misturava ingredientes brasileiros a cozinha espanhola e novaiorquina. Um sucesso. O restaurante de Gutierrez ganhava prêmios e estrelas. Lindomar dominava a cozinha oriental.  Quinze anos depois, Lindomar decidiu morar em Paris. Tinha um belo apartamento em nova York e outro em Miami. Era conhecido das celebridades brazucas e isso o fez conhecido no Brasil como chefe Landon. Para a maioria ele era europeu.  Vez ou outra era matéria de revistas e jornais. Lindomar não visitava o Brasil. Não queria. Tinha uma bela cobertura na cidade luz, com vista para a torre Eiffel. Gutierrez o presenteou com um pequeno restaurante, a margem direita do Sena, o coração líquido de Paris. Lindomar o batizou de Passion. Alta gastronomia com um toque brasileiro. Um sucesso. Dez anos depois, Lindomar estava  milionário. Era um solteirão que sabia curtir a vida. Falava inglês, espanhol, japonês e francês com fluência admirável. Com plásticas corrigiu o nariz e eliminou as sardas. Usava lentes verdes há décadas. O braço tatuado. O cabelo preto era agora louro e longo. Corpo escultural graças a musculação, tênis e judô. Um chefe de cozinha premiado. Usava roupas da alta moda. Usava barba. Lindomar adorava passear pela Pont dês Arts com seu poodle. Olhava curioso os casais de namorados prendendo cadeados com seus nomes na ponte do amor. A catedral de Notre Dame lhe trazia lembranças da mãe. Lindomar passou a pintar quadros, ao estilo de Claude Monet e Matisse. O amigo Romero Britto o visitava frequentemente. Lindomar tinha paixão pela avenida Champs Elysées e o museu do Louvre, onde está a Mona Lisa. Os bouquinistes, as bancas de livros, lhe despertaram a paixão pela literatura brasileira. Era ali onde sempre  comprava clássicos de Jorge Amado e Clarisse Lispector. Sem falar nas padarias e cafés, onde Lindomar se sentia um legítimo francês. No verão, ele ia nas margens do Sena, transformadas em praias com areia artificial e palmeiras. Com um belo vinho ele recebeu as visitas de Pitoco e Dênis. Os três viajaram para a Holanda, Rússia e Inglaterra. -"Não está na hora de amarrar o burro, Lindinho?!??" Lindomar fez de conta que não entendeu o que Dênis perguntou. -" Ahhhh. Me chame de Landon. Não tive um caso com a Rihanna!! É fake!!! L' Amour a Paris!!! Vou inaugurar três filiais do Passion. Milão, Londres e Madrid. Vamos ao jogo do Paris Saint-Germain??? Vou ligar para o Neymar Jr e marcar um jantar." Desconversou. Os amigos retornaram ao Brasil, após uma semana de viagem, custeada por Lindomar. Ele decidiu visitar o Moulin Rouge. Tinha muito dinheiro, restaurantes,  mansões, carros luxuosos e empregados. Tinha sucesso. Seus namoricos mal duravam uma semana. Na balsa flutuante, sobre o leito do Sena, ele olhava os turistas e casais de namorados. Jamais tivera um namoro de seis meses!! Ainda sonhara com um grande amor!! Cupido, finalmente, olhou para ele. Seu olhar encontrou  os olhos de uma bela mulher. Estava ela com um chapéu e uma sombrinha. Cercada por repórteres e câmeras. Um fotógrafo a clicava sem parar. Lindomar desviou o olhar. As águas. Os monumentos históricos. A torre. Sentiu o coração disparar. -" Que mulher,  Lindomar!!! Resiste, guerreiro!!!" Sorriu. Virou-se. Criou coragem para encarar aquela maravilha. A moça deu um sorrisinho maroto. Lábios vermelhos e carnudos. Fez pose pra foto. Abriu a sombrinha. -"Oui, Michel. C'est compliqué!!" Lindomar exultou. Francês fluente. Aquela diva era francesa. Um garçom pouco o ajudou. -" Perdão, senhor.  Parece que aquela moça é uma atriz!!!" Lindomar escreveu o  nome de Landon e o telefone num guardanapo. Pediu ao garçom que o entregasse àquela moça.  Ficou ao longe, observando. -"Correio elegante! Em plena era digital eu uso uma coisa tão arcaica???" A moça leu o recado e o guardou. Lindomar saiu do barco e foi para casa. Sonhou com a moça da balsa do Sena. Ela era linda. Quatro dias depois, uma ligação. Lindomar atendeu. Era ela. Eles conversaram em francês. Lindomar a convidou para um jantar no restaurante da torre Eiffel. Nada melhor e romântico. Annette era seu nome. Ela aceitou de imediato. Lindomar contratou uma limousine para ficar a serviço deles. A moça era pontual. Estava linda de vestido preto. Lindomar a beijou na face. Eles ficaram um bom momento apreciando a vista noturna de Paris. -"Meu pai eterno, que curvas!!!" Pensou ele. Annette era perfeita. -" Um jantar divino, meu querido Landon!!" Lindomar sorriu. Annette pegou sua mão. Lindomar transpirava. Profiteroles, champanhe, dança. Rostos colados. Lindomar era exímio dançarino. Ela também dançava bem.  Ela dançava, perfeitamente cadenciada. Annette estava entregue ao perfume dele. Um beijo e mais outro. O segurança dele se virou e sorriu. O patrão bom e solteirão estava fisgado. Lindomar sentou-se. Queria respirar. Ficara quase sem ar. -"Você é demais, homem!!!" Annette partiu de novo pra cima dele. Lindomar percebeu que ela falava  com um leve sotaque. Estranhou. A volúpia do beijo o fez esquecer disso. Meia hora depois eles estavam no apartamento dele, entregues ao amor que quase se deu na limousine. Uma noite linda e maravilhosa. Lindomar dormiu o sono dos justos, ao lado de Annette. Eram dez da manhã quando a moça despertou. Roupas espalhadas pelo apartamento.  -" Meu amor! Estou com muita fome!!" Ela rolou no edredom, ficando nua sobre ele. Após o amor, ela foi pra banheira. Lindomar, de roupão,  foi pra cozinha. Mãos habilidosas de um grande chefe de cozinha. Um aroma delicioso tomou conta da cozinha. Em pouco tempo tinha um banquete sobre a mesa. Annette apareceu, vestida com uma camiseta de basquete  que ele ganhara de Michael Jordan.  Ela o abraçou. -" Que cheiro delicioso, Landon!!!!" Ela deu um grito. -" Não acredito nisso!!! Meu Deus!!! É de verdade??????" Lindomar assustou com o grito. -" Anjo!!! É tapioca, Landon????" Ela sentou-se. -" Oui, madame!!! Tapioca com queijo da Provence. Café brasileiro, o melhor!!! " Annette devorou uma tapioca. -" Há anos não como tapioca!!! Obrigada, meu anjo!!! Que delícia!!!!"  Lindomar sorria. Experimente essa goiabada cascão. É do Brasil. Meu amigo me trouxe de Remanso, Ceará!!!!" A moça engasgou. Lindomar correu e a abraçou por trás.  -" Cospe! Cospe!!! Meu Deus!!!" A moça estava quase  sem ar. Ela tomou um pouco de suco de laranja. -"Estou bem. Estou bem." Lindomar a beijou. -" Você!!! Disse Remanso????!!?? Eu nasci em Remanso." Lindomar estava boquiaberto. -" Mundo pequeno. Eu também!!!!" Annette não acreditava. -" Não. Você é francês!! Legítimo francês!!!" Lindomar deu uma gargalhada. -" Cearês, cearense com francês! Landon é nome inventado!! Sou filho de Tertuliana, catadora de papelão na vila de pescadores. Cozinhei muito no Catamarã!!!!" Annette abaixou a cabeça. -" Fui para os Estados Unidos trabalhar. Após testes e figurações consegui papéis secundários  em filmes. Meu nome verdadeiro é horrível, Eufrásia!!!!" Lindomar deu um salto. -" O quê??? Não!!! A briguenta, mulher macho da escola?!?!? Líder das Escrotas?!?!?" Um silêncio se fez. Eles se entreolharam. -" Lindomar???? Você é o sardento???" Ele esticou a mão em direção dela. Annette estava sem palavras. Aquele homem maravilhoso de seus sonhos, na sua frente, era o mesmo moleque que ela deixará de olho roxo na escola. -"Mundo pequeno, não?!?!!!!" Disse ela. Ela se levantou. Ele a abraçou. -" Aquela diretora tinha razão!!!" Disse ele, sorrindo. -" Já dizia a canção do Jota Quest: o seu amor pode estar do seu lado!!!" Eufrásia concordou. Após seis meses de namoro, eles se casaram num castelo da Escócia. Um casamento lindo e glamouroso. Pitoco,  Dênis e Hércules estavam presentes. Uma festa para trezentos convidados com a presença do grupo musical Jota Quest. Eles decidiram passar a lua de mel em Remanso, após uma semana no Caribe. . Os herdeiros de Felício venderam os restaurantes, após a morte dele. O Catamarã agora era a câmara municipal. Lindomar e Eufrásia tiveram quatro filhos. Fixaram moradia em Paris. E foram felizes para sempre!!! FIM.
marcos dias macedo
Enviado por marcos dias macedo em 06/10/2019
Reeditado em 08/10/2019
Código do texto: T6762719
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
marcos dias macedo
Santa Barbara D'Oeste - São Paulo - Brasil, 50 anos
89 textos (6663 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/19 23:55)
marcos dias macedo