Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Legista

"Cavidades gritando em demasiado e necessitando das minhas mãos..."

Piracicaba, interior de São Paulo às 18 horas.

Sendo a vida um começo do fim, nada seria tão evidentemente óbvio, se não tivéssemos a desejada união... Meu PAi com o seu sangue se redimiu aos pés do Senhor... Meu Deus!!! ... Acreditando na fé que está dentro de cada ser vivo, qual tem o dever de agradecer e permanecer sendo fiel... Daí, ao próximo aquilo que ele merecer, mesmo que a desgraça...

Em nome do PAi, do filho e do Espírito Santo... Amém!!!

IML 07:00 hrs

- Bom dia Dr.Magnus?!
- Bom dia e traga às minhas luvas... Hoje tenho 9 cadáveres.
- Como morre gente, né?!

Magnus olhou para o assistente com um olhar frio, pegou algumas luvas e jogou na cara dele.

Algumas coisas costumavam sair do contexto, mas sempre seguiam o caminho determinado e qual, o médico legista era o único responsável... Magnus não suportava imbecil ao seu lado.

Abrindo a cavidade torácica e tirando os órgãos, era evidente constatar e ter noção de tudo que cada cadáver tinha. Mas, era provável haver um lapso temporário em determinadas situações.

O Legista em pensamentos conversava com ele mesmo...

"O cérebro humano e cheio de mistérios... Cada parte é um surpreendente e há uma aglomeração de tecidos que conduzem energia elétrica... O sangue segue como o cobre em ferro líquido, qual se rompe com a falta de gás... O impressionante e a elaboração constante que se baseia nas sombras de fluídos tóxicos e não tóxicos... Pobre coração! Exige uma postura pontual em junção ao nível de velocidade que mantém na circunferência do triângulo que segura uma balança...  Ela está na energia intensa e vital da fabricação química substancial orgânica... Teria uma massa de componentes ácidos,  a função da deterioração e do crescimento à novas alianças que se dão na vida e na morte... Abutres são contínuos nas células sem vida. Eles seguem e comem a carcaça em putrefação até chegarem em si... Nossa! Já estou 6 horas com isto!!! Preciso almocar... Isto me cansa... Quero fazer sexo!!! "

15:00 hrs no centro da cidade

- Boa tarde! O senhor aceita a picanha?!
- Sim... Me traga uns corações.
- Oh! Vou trazer uns que coloquei agora na brasa!!! Sei que o senhor gosta deles mal passados! _(Dizendo todo orgulhoso, o garçom Elias Furtado).

Terminando o almoço, o médico saiu em direção ao seu carro... Um Honda preto que tinha um adesivo no vidro retrovisor de uma caveira com a frase em inglês dizendo:

"Let the living eat dead, the dead eaten alive, for surely both in determination are useless and devoid"
Tradução : (Deixe os vivos comerem mortos, os mortos comidos vivos, pois certamente ambos em determinação são inúteis e desprovidos).

Ninguém sabia ao certo se aquilo era uma mensagem evidente ou a ameaça de um assustador pensamento. Porém, fazia parte da personalidade de Magnus... Um homem sério, de poucas palavras, inteligente, dedicado e honrado. Ele chamava atenção com a sua aparência atlética, era alto e tinha cristalinos olhos azuis, na tonalidade do mar no hemisfério Atlântico central.

"Duas gotas do Caribe são os seus olhos" _(Assim, dizia Charlotte a sua doce mãe).

Ainda na descrição de sua aparência, não podia deixar de perceber os seus lindos cabelos negros, quais contrastavam com a barba que era toda ruiva. Na família dele seus antepassados também tinham todos a barba ruiva, com cabelos louros e ruivos, mas somente três tiveram cabelos no tom ébano... O seu tataravô William, seu avô George e ele... Magnus.

Guarujá, praia da Enseada às 17:00 hrs.

- Lugar algum pode ser pior que estar longe de casa... As evidências são inúteis e nesta cidade não há possibilidade de conseguir o que queremos.
- Era para contratar o homem certo!!!
- O chefe disse para pegar um médico, qualquer médico serve...
- Médico de morto é outro, seu imbecil!!! Agora temos dois presuntos!!!
- Caraaaa... Basta abrir com a faca o outro e este a gente enterra junto.
- Abrir é fácil!!! Problema é o laudo... Filho de uma égua!!!

Tadeu Lima e Júlio Pereira, eram dois pilantras que estavam fazendo trabalho para o traficante Waldemar Cruz e Roberto Souza, um Coronel da Polícia Militar.

18:00 hrs em um semáforo, na praia das Astúrias.

"Não acredito que esqueci o endereço no escritório do IML!!!"

 Um Voyage prata, para ao lado do Honda preto de Magnus e dentro dois homens começam à discutir... Até que em meio discussão o motorista saca uma arma de fogo e atira no parceiro ao lado.
Magnus assiste tudo friamente e presume que o indivíduo também tentará atirar nele. Porém, não se preocupa devido seu carro ser blindado.
Tadeu saí do carro e se joga por cima do Honda de Magnus fazendo um drama todo infantil e medíocre... Por final aponta a arma para própria cabeça e atira.
Certamente não era este o desfecho que alguém espera em uma situação desde nível, mas ambos meliantes estavam lascados por não conseguirem o médico que o chefe deles havia exigido que encontrassem... Houve desespero e mal eles sabiam que um legista estava ao lado deles naquele exato momento da discussão.
Com toda a cena e sem mais ninguém que pudesse ser uma ameaça, Magnus abriu a porta do carro, verificou os cadáveres e telefonou para autoridades locais.
Magnus ligou para Piracicaba e pegou o endereço de onde ele iria fazer uns trabalhos e por coincidência era o lugar que os cadáveres estavam sendo levados.

A empresa noticiou as mortes e em seguida surgiu um homem que se identificou como amigo de ambos. Não soube dizer como conseguiram a arma e somente estava buscando informações do ocorrido... Em imediato olhou para Magnus e com uma jogada rápida pegou papéis que haviam informações do médico.



Continuando...
Erika Gasbarro
Enviado por Erika Gasbarro em 29/12/2019
Código do texto: T6829552
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
Erika Gasbarro
São Vicente - São Paulo - Brasil
345 textos (8012 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/08/20 21:06)
Erika Gasbarro