Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O ABADIA DO ALÉM.

Pedro Aleixo e Manuel Freire, dois jovens amigos brasileiros, moradores de Americana, São Paulo, fizeram o caminho religioso de Santiago de Compostela, na Espanha. Uma experiência incrível de fé e resistência física. Uma experiência histórica sem igual na terra de Cervantes. Uma experiência rica, conhecendo cidades e igrejas históricas. -"Puxa, Manuel. Me sinto renovado! Passar frio e caminhar  me fez valorizar as coisas. Sinto que minha fé cresceu. O caminho pra salvação não é fácil mas é possível!!!" Era visível a alegria dos dois. -" Quantas vezes os donos das pousadas não cobraram pelo nosso café. Solidários com os peregrinos! Aprendi que existe gente boa ainda!!! A partir de agora serei um novo homem, mais focado na espiritualidade e em auxiliar o próximo." Decidiram conhecer Vigo, importante cidade da Galícia. -" Estamos perto da fronteira com Portugal, Manuel!!!!  Meu bisavô era de Viana do Castelo, no Minho." O outro se alegrou. -" É perto. Parte setentrional de Portugal. Somos mochileiros, meu caro!!! Vamos até Viana! Pé na estrada, meu amigo!!!!" Fotografam tudo. Pelo mapa parecia perto mas um centímetro no atlas corresponde, na realidade, a centenas de quilômetros. O ânimo do começo de jornada deu lugar ao desânimo quando o sol se pôs a pino. Um dia inteiro de caminhada e nem tinham chegado a Bayon, próxima cidade da jornada.  Armaram as barracas, junto a um riacho. Os pés doloridos, besuntados de pomada. Repelente contra insetos. O medo de salteadores. -" Devemos andar sem parar se quisermos chegar em Melgaço, Portugal, depois de amanhã!!! Lá ficaremos num hotel." Pedro ergueu as mãos aos céus. -" Obrigado, Senhor. Não suporto mais salsichas e feijão em lata. Uma cama e um chuveiro é ostentação pra mim. Aleluia!!!" Andaram por mais três dias. O dinheiro estava escasso. Decidiram ficar numa pousada. -" Meu reino por uma cama!!!" Disse Pedro, parodiando a frase famosa de Eduardo VII, rei britânico. -" O correto é meu reino por um cavalo, amigo!!!" Corrigiu o outro. Caminhada retomada. Fizeram o trajeto, de Valença a Caminha, numa balsa, admirando as belezas do rio Minho. O dinheiro quase acabou na compra das passagens pra travessia. O cartão de crédito deles não foi aceito num supermercado. Compraram pouca comida com o pouco dinheiro que restara. Mais seis dias  de caminhada. A chuva caiu abundante. Cansados e fatigados. A água potável acabando.  Tinham pouca comida.  Manuel teve febre, três dias depois. Pedro estava arrependido da ida a Portugal.  Viana têm inúmeros castelos, da era do apogeu da cidade, nos séculos XV e XVI. Uma bela cidade. O sol castigava. -" Meus pés estão em carne viva, Pedro!! Viana deve estar a seis quilômetros. Não aguento mais!!!" Manuel caiu na grama verde. -" Ânimo, amigo. Logo estaremos em uma mesa farta, na casa dos Aleixos, meus parentes!!!   Se os encontrarmos!!!!" Manuel  desmaiou. Pedro mal conseguia andar. Tinha câimbras.-"  Manuel, acorda! Ali tem umas frutinhas verdes!! Vou colher!!!" Ele juntou forças e subiu um morro. Dava pra ver a cidade lá embaixo. Encheu o boné  com as frutas. Pareciam goiaba. Manuel despertou. Pedro deu ao amigo quatro frutas. -" Coma, Manuel. Estão verdes mas é o que temos pra hoje!! Eu já comi." Um vento forte soprou. Satisfeitos, dormiram. Uma hora depois,  um rebanho de ovelhas passou por eles. Três freiras cantavam alegres. Elas pararam ao ver os dois amigos. Pareciam assustadas. -" Boa tarde, irmãs!! Precisamos de ajuda!!!!" Gritou Pedro. -" Somos do bem. Viemos do caminho de Santiago!!!" Disse Manuel. As freiras sorriram. Elas ergueram as mãos. -" Oh.... que bom. Podemos ajudar vocês!!!" Elas se aproximaram. Pedro estava admirado com tanta beleza e gestos finos. As três moças tinham olhos azuis. Cheiravam a jasmim.  O hábito era preto com detalhes brancos e dourados. Uma delas deu um cantil de água a eles. Outra auxiliou Manuel a se por de pé. -" Viemos dos lados da basílica Santa Luzia, no morro. Nossa abadia, Pierina,  é aqui pertinho!!!!" Disse uma delas. Pedro jamais tinha visto mulheres tão belas. Eles se apoiaram nas freiras. Subiram encostas íngremes até um belo jardim. A abadia apareceu suntuosa aos olhos deles. Uma escada longa de pedras.  Flores lindas denotavam o capricho das irmãs. Uma noviça abriu o grande  portão de madeira. As outras dez freiras da abadia vieram ao salão da recepção. -" De novo fazendo o bem, irmãs!!?!! Quem são esses cavalheiros???" Perguntou a mais velha delas mas,  ainda assim, belíssima. Tinha um hábito vermelho.  Seu olhar era penetrante. Pedro se apresentou. -" Boa tarde. Deve ser a madre superiora. Sou Pedro, mochileiro! Esse é o Manuel. Somos do Brasil!!!!" As freiras deram risinhos. Pedro e Manuel nada entenderam. -" Sou a madre Lucinda.  Não conhecemos o Brasil!! São nossos hóspedes!!! Irmã Dolores e Helena, cuidem bem deles!!! As demais, ao trabalho!!" Pedro olhou para o amigo. -" Isso é real, Manuel???? Aqui parece a casa das coelhinhas da Playboy, maluco!!!" Manuel o beliscou. -" Sacrilégio, Pedroca. São freiras!!! Respeite!!!" Eles subiram ao andar superior. -" Manuel, aqui não tem crucifixo!! Estranho!!!"  Num quarto, uma banheira com água morna e sais aromáticos. Candelabros e espelhos nas paredes. -"Se banhem!! Relaxem, meninos!!!" As freiras saíram mas logo retornaram com toalhas brancas e roupões. Pedro e Manuel não acreditaram quando as freiras tiraram suas vestes e entraram nuas  na banheira.  -" Quietos!!! De costas!!!!" Ordenou uma delas. Os amigos receberam uma massagem divina. Tão relaxante que quase dormiram. As freiras os conduziram as macas, onde tiveram os pés curados com ungüento e pomadas. As freiras os beijaram. Elas subiram sobre eles, dando aos jovens uma massagem tântrica. O sexo aconteceu. Pedro e Manuel dormiram, relaxados. Era noite quando acordaram. Estavam a sós. Eles vestiram os roupões. Um cheiro delicioso vinha da sala de jantar. Uma freira entrou no aposento e os convidou para o jantar. -" Sou irmã Genevieve. Estão lindos! O jantar está pronto!!"  Dez freiras entraram com uma liteira. Os jovens entraram na liteira e foram carregados pelas mulheres até outro local. Pedro estava admirado. Sentiu-se um rei. Aquelas freiras eram  belíssimas.  A madre superiora puxou Pedro e o beijou longamente. Pedro não conseguia tirar os olhos da madre superiora. Ela transmitia-lhe um bem estar sem igual. As demais aplaudiram. -" Vocês poderão levar o que quiserem daqui. Há uma sala com moedas e lingotes de ouro, doados a nós por reis e nobres. Quero que sejam ricos e poderosos." Pedro e Manuel se abraçaram. Eram ricos agora. Estavam felizes. A grande mesa estava pronta. Um banquete. As freiras em volta do caldeirão fumegante de sopa. -"Comam!! Pão a quem tem fome e fome a quem tem pão!!! Pedro, Manuel, comam a vontade!!!" Disse a madre superiora. Pedro jamais comera pão tão delicioso. Uma sopa divina. As freiras começaram a cantar e dançar. Uma delas tocava violão. Batuques e atabaques. Pandeiros. Taças de vinho foram servidas. Dez barris de vinho foram trazidos. As freiras fatiaram um porco inteiro assado, com uma maçã na boca. Pedro e Manuel comeram a vontade.  A madre superiora tirou o hábito, sendo seguida por todas as freiras. Todas estavam como vieram ao mundo. Manuel fechou os olhos. -" Pai do céu. Isso é real ou é pegadinha ??!!" Pedro não acreditava naquilo. -" Que pecado, Pedroca!! Isso é real... morremos e estamos no paraíso. Paradise is here!!!!"  Pedro tirou o roupão. -" Rapaz!! É bom demais!!! Quero ficar sempre aqui!!!" A madre superiora veio até ele. Pedro fez sexo com a líder. As mulheres investiram contra eles, dançando sensualmente.  A noite toda foi de festa regada a sexo. Muito sexo. O sol nasceu. Um novo dia. Pedro e Manuel acordaram às quinze horas. Estavam deitados em meio ao mulherio. Extenuados de prazer. A madre superiora serviu uvas a Pedro. Eles se beijaram.
  Uma mesa estava pronta para o desjejum. Pães, bolos, tortas, geleias, manjares,  doces e frutas. Um café dos deuses. -"Pedroca!! Isso é demais. Estou no céu. " As freiras estavam felizes.  -" Nossos guerreiros estão refeitos!!! Meninas, ao ataque!  Nossos heróis foram novamente dominados pelas mulheres sedentas por sexo e prazer. -" Pedroca!! Me sinto muito bem. Nenhuma dor!!! Essas freiras são ótimas!!!" Eles dormiram após a orgia. Acordaram a meia noite. A madre superiora gritou: -"Vamos matar esses invasores!! Beberemos o sangue deles pra sermos sempre jovens!!!!" A madre superiora ergueu um punhal. Todas as demais fizeram o mesmo. Pedro e Manuel estavam estáticos, sem reação. Pedro gritou. -" Nãoooooo... nãooo!!! Não quero morrer!!!" As paredes da abadia começaram a pegar fogo. As freiras tinham a aparência de caveiras. Elas avançaram sobre os dois amigos, furiosas. Pedro olhou para os lados. Manuel estava na maca, amarrado com algemas e lençóis,  ao seu lado Estava ligado ao soro. Pedro tentou se mexer mas estava imobilizado.  Dois médicos e quatro enfermeiros olharam para eles. -" Calma, jovens!!! Enfim acordaram!!! Bem vindos ao hospital de Viana." Manuel estava de olhos arregalados. Desorientado. Suava frio.  -"A abadia Pierina. Cadê as freiras tops, lindas!!?!????  Elas cuidaram de nós!!!!" Os médicos riram. -" Sério, doutor!! Passamos dias na abadia Pierina, após o caminho de Santiago!!!!" Um dos médicos pegou no braço de Pedro. -" Amigo. A abadia Pierina foi queimada em 1438, meu caro!!!  Há mais de quatrocentos anos!!!  Todas as freiras, na verdade bruxas, foram presas e queimadas. Dizem que eram satanistas belíssimas!!! Faziam magia negra.  Daquele convento só restam ruínas.  Encontramos  vocês dois caídos na estrada, desidratados e desmaiados.  Bocas espumando pois comeram frutos venenosos!!! Se você diz que esteve com as freiras amaldiçoadas, não duvido!!!" Pedro e Manuel se olharam. -" Sou o doutor Frederico Aleixo. Olhei seus documentos e temos o mesmo sobrenome. Quem sabe não somos parentes???!!" Disse um dos médicos a Pedro. -" Creio que vocês tiveram uma alucinação!!! O mal e o pecado se apresentam belos e atraentes, nunca feios!! O caminho do peregrino para a salvação, o reino de Deus, é estreito e penoso. O caminho do mal, do pecado, dos prazeres mundanos é largo, bonito, agradável. São muitas as tentativas e tentações pra desviar os fiéis do caminho de Deus. O mal se apresenta sedutor e belo. Pedro e Manuel menearam as cabeças, concordando com as sábias palavras do médico. FIM
marcos dias macedo
Enviado por marcos dias macedo em 16/10/2019
Reeditado em 19/10/2019
Código do texto: T6771323
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
marcos dias macedo
Santa Barbara D'Oeste - São Paulo - Brasil, 50 anos
89 textos (6619 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/19 00:39)
marcos dias macedo