Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MORTO-VIVO
De que lado você está? Eu não estou vivo, nem estou morto! Se meu corpo sumiu, ninguém acha, e se estou preso na Internet, e só uma pessoa até agora me viu, faz contato, porém não consegue ou não quer me tirar daqui, talvez eu tenha morrido fisicamente sim e meu corpo onde estaria?
 Consigo entrar nas páginas, nas redes sociais dos meus parentes, amigos, conhecidos, conquanto, ninguém tem uma pista do meu paradeiro, no entanto,  não tive a habilidade para fazer-me ser notado, não me foi permitido estabelecer comunicação com ninguém. Até entrei nas minhas próprias redes sociais, para poder me lembrar se estava sofrendo algum tipo de ameaça, se fui assassinado e sumiram com meu corpo.


Ou se fui percorrer alguma trilha, ou praticar algum esporte radical e ter sofrido algum tipo de acidente. Ter ficado preso em algum vão de montanha, ter caído em algum buraco na floresta, no abismo, ter ficado preso nos galhos do fundo de um rio, ou entre rochas no fundo do mar.

Vasculho frequentemente páginas policiais, sites da polícia para ver a quantas andam as investigações, sem êxito. Elas não avançam.
Agora estou hospedado na Deep Web. Tive até que lutar pela sobrevivência dentro de um game interativo, correndo desabaladamente para não ser atingido por nenhum armamento pesado.

Eu era um avatar de ninguém que não conseguia interagir com nenhum outro avatar, nem com os próprios donos deles. Chorava, estava sozinho, como um personagem coadjuvante, secundário, sem brilho, no meio da multidão. Será que estou no inferno? Será que fui mau e estou sendo castigado e a Internet é um limbo? Será que posso ver o futuro da humanidade em um outro estágio meu?


Contudo,  nada disso tem importância para mim, porque quero viver! Quero viver o mundo real e deixar de ser esta alma presa na Internet. Quero encontrar meu corpo e voltar para ele.

17h e 30 min, hora de Brasília? É a hora do rapaz adolescente se conectar e só ele consegue me ver.


Todavia, e
le é sádico. Ele gosta de me ver sofrer aqui. Já pedi para ele entrar em contato com a minha família. Já prometi tesouros a ele, bitcoins, que posso desviar de milhões de usuários, sem eles notarem.

Não obstante, ele quer continuar no seu pobre mundinho de pobre. Ele acha que sou um demônio e que a minha condenação é vagar eternamente aqui dentro.

Eu já quis até incendiar o PC dele, o tablet, o celular, fazê-lo perder as contas.  Contudo, se eu o fizer, minhas chances de sair daqui serão praticamente nulas.

***************************************************************************************
Muito obrigada pela leitura! As trilhas sonoras também sou eu quem faço.
VICTORIAH
Enviado por VICTORIAH em 01/04/2019
Reeditado em 06/04/2019
Código do texto: T6612961
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
VICTORIAH
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
553 textos (62396 leituras)
203 áudios (13491 audições)
2 e-livros (167 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/19 05:44)
VICTORIAH

Site do Escritor