Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma lenda cherokee

Eu já disse aqui mesmo que as lendas antigas muitas vezes tem um grande significado para as nossas vidas.
Esta lenda com certeza deixará uma grande lição.
Os povos Cherokees vieram de longe.
Uma vez que há séculos atrás, as pessoas provavelmente vieram da Sibéria.
Eles viviam ao norte da Geórgia, do Tennessee Oriental, Ocidental e Carolina do Norte.
Os Cherokees diziam que o Grande Espírito deu-lhes as suas terras, e estas terras eram terras boas e bonitas no território Apalaches.
Certo dia um pai resolve levar o seu filho para a floresta durante o final da tarde. O pai venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho.
O filho se senta sozinho no topo de uma montanha durante toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte.
Ele não pode gritar por socorro para ninguém.
Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem.
Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido.
O menino está naturalmente amedrontado..
Ele pode ouvir toda espécie de barulho..
Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele.
Talvez alguns humanos possam feri-lo.
Os insetos e cobras podem vir picá-lo.
Ele pode estar com frio, fome e sede.
O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele não remove a venda .
Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.
Finalmente.....
Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida.
Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele.
Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo...

Benedito José Rodrigues e Anonimo
Enviado por Benedito José Rodrigues em 08/11/2018
Código do texto: T6497557
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Benedito José Rodrigues
Osasco - São Paulo - Brasil, 63 anos
96 textos (2401 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/19 19:31)
Benedito José Rodrigues