Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A procissão

Era um feriado de Semana Santa.
O costume era participar das celebrações da Semana Santa.
A igreja estava linda.
Naquela quinta-feira a noite fui à Missa do Lava-Pés.
«Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, levou até ao extremo este seu amor. Levantou-se da mesa, depôs as vestes e tomando uma toalha pô-la à cinta. Depois de lhes lavar os pés, disse-lhes: ‘Compreendestes o que vos fiz?
E o Padre também repetiu este gesto e lavou os pés de algumas pessoas.
A celebração foi muito bonita.
A igreja estava lotada.
Tinha muitos visitantes de fora.
Vieram visitar seus familiares e parentes.
O feriado era prolongado.
Se estenderia de sexta-feira a domingo de Páscoa.
Ao termino da Missa veio o momento de adoração.
Iria até a madrugada.
Era o momento de oração.
De terços e de silencio.
No dia seguinte, já na sexta-feira após a celebração da Palavra era a hora da Procissão.
A Procissão do Enterro do Senhor ― de todas a mais solene e comovente; levava pelas ruas da Cidade o esquife do Senhor morto. Era precedido por um andor com a cruz despida e seguido pelo da Senhora das Dores.
"Prova de amor maior não há que doar a vida pelo irmão".
Em silencio de oração e de cântico.
Eu segui a procissão que começara em frente a Paroquia Nossa Senhora das Graças na Rua Dr. Paulo Antônio Ribeiro Fraga e seguiria inicialmente pela mesma rua indo em sentido a atual rodoviária.
Passamos em frente ao antigo Colégio Comercial de Pacaembu que já não funcionava a muito tempo.
Viramos a esquerda e descemos a Rua Amador Rodrigues e passamos em frente ao Kaikan até a Avenida Vereador José Gomes Duda.
A procissão virou novamente a esquerda e passamos em frente ao Ikeda e ao Cine Pedutti.
Tinha muita gente em frente ao cinema.
Provavelmente aguardando a próxima sessão que exibiria a “Paixão e Morte de Jesus Cristo” em preto e branco. Filme este que ainda emocionava a quem assistia.
A vela estava acesa e os pingos queimavam os dedos.
Mas, nem isso tirava o brilho daquela manifestação religiosa de fé naquele momento único.
"Vitória tu reinarás, a Cruz o Salvarás".
Eram muitos os fiéis que cantavam louvores ao Cristo.
O andor do Cristo seguia na frente.
E a procissão seguiu em frente pela avenida até a rua da igreja onde encontraria com a outra procissão.
Já era a noite.
As velas acesas clareavam os caminhos percorridos...
Benedito José Rodrigues
Enviado por Benedito José Rodrigues em 25/09/2018
Reeditado em 25/09/2018
Código do texto: T6458887
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Benedito José Rodrigues
Osasco - São Paulo - Brasil, 63 anos
96 textos (2401 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/19 16:23)
Benedito José Rodrigues