Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O LAGO DA DISCÓRDIA

 O LAGO DA DISCÓRDIA

Em bairros ditos planejados só não se planeja a Ecologia, a sustentação do meio-ambiente, a manutenção de ao menos algumas árvores e arbustos entre o casario uniforme, verdadeiros cubículos, pequenos até para 1 só pessoa mas que abrigarão famílias inteiras. Foi assim no bairro Cidade Nova dos anos 70/80, continua sendo assim já cruzado novo século no país inteiro.
-- "Não ficou "um pé de pau" !, diria o caboclo revoltado... e não ficou mesmo ! Nivela-se o terreno com trator para facilitar arruamento e canalização e a Natureza que se dane. O condomínio de casas "Mar Azul" -- o mar mais próximo distava uns 100 km -- tinha até uma lagoa, lago artificial feito por água das chuvas diárias e dos "rejeitos" de fábricas e residências, a água usada nas cozinhas e lavanderia. Se tinha peixes ninguém os viu e nadar nele estava fora de questão. O condomínio mantinha à beira dele velha canoa -- ou o que restou dela -- e ousar usá-la era "entrar em canoa furada". Mesmo assim o varão da família recém-chegada, afeito a exercícios matinais na cidade grande, teimou em remar nela, para espanto de meio condomínio.
-- "Esses "barão" vêm pra cá e já vão tomando conta de tudo" !, disse um, irritado por não ter tido a idéia.
-- "Essa "paulistada" não se manca... (completou outro) isso é um incentivo pros nossos filhos se meterem nessa "imundície", podem até se afogar" !
-- "Esses "sulista" são muito abusados, querem mandar em tudo... precisamos acabar com essa "folga" !
Reunião secreta de síndico e outros diretores produziu Admoestação proibindo o recém-chegado de dar suas remadas no sagrado lago. Êle, que dava 1 boi pra não entrar em querelas, recusava boiadas para desistir delas. Consultado o Regulamento, nada existia sobre (não) REMAR no lago, ainda que a tal canoa fosse mero "enfeite" arquitetônico.
Decidiu comprar sua canoa e os serviços de um causídico, que consultou a Diretoria... foi pressionado pelos moradores, paraensíssimos, boa parte bitolados para pensar que todo "sulista" -- tenha êle nascido em Goiás, Bahia, Rio ou Minas -- vem para o Pará DESTRUIR (?!) o Estado e mudar hábitos e tradições tão queridas. Como todo advogado, esse resolveu "cozinhar o galo", ficar "em cima de todos os muros" e ainda ganhar uma bela grana do cliente inexperiente de como as coisas "funcionam" na região. Este, por sua vez, continuou a remar -- agora de madrugada -- já que nada nas Regras o impedia, enquanto aguardava a demorada solução do caso.
Alguns noctívagos o flagravam divertindo-se nas águas escuras e murmuravam contra o abuso. Outros, mais condescendentes, começaram a gostar da idéia, afinal canoas estavam no DNA de todos êles, amazônicos ou amazônidas, que são coisas diferentes. Instalou-se o caos na vida do Condomínio e o advogado "na moita", nem "dava as caras" no local. Até agora ninguém deu um passo para encerrar a questão, ceder para um sujeito "de fora" (?!) não estava nos planos de ninguém.
-- "Se pelo menos fosse REMISTA... a gente dava um jeito" !
     "NATO" AZEVEDO (em 6/nov. 2019, 6hs)
**************
OBS: dedicado ao Mestre (de Capoeira) FERNANDO RABELO, amigo antigo que me é sempre um prazer encontrar !
NATO AZEVEDO
Enviado por NATO AZEVEDO em 08/11/2019
Reeditado em 11/11/2019
Código do texto: T6790263
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
NATO AZEVEDO
Ananindeua - Pará - Brasil, 67 anos
889 textos (14232 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/11/19 22:52)
NATO AZEVEDO