Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Recepcionistas “go crazy”

Dedicado a Marinex, minha ex-colega de trabalho.

No instant Messenger, num milagroso dia sem movimento e estresse em ambos os hotéis.

Depois de uma semana agitadíssima, estressante e cruel, Valentina e Alicia aproveitam o domingo de trabalho sem sufoco para fofocar.

_ Valentina, nem acredito que você se mudou para a capital!
_ Abafa, mas eu vim de mala, cuia e coragem.
_ E está trabalhando em hotel também?
_ Ossos do ofício, benhê. Mas aqui é 5 estrelas. Coisa fina. E você Alicia, ainda está no Center Hotel Park?
_ Estou. Sabe como é, fiz algumas entrevistas em outras redes, mas pagavam mal. Tenho duas crianças pequenas ainda para criar, e a coisa embaça.
_ Vige. Yeah. Sei como é.
_ Me conta. A loucura de hotel pequeno é parecida com a de hotel grande?
_ Parecidíssima. Só muda o número de estrelas, porque a problemática é a mesma, só que MAIOR.
_Cruzes. Mas está gostando?
_ Estou sim. Os horários aqui são bem puxados, porque tudo é longe, porém tem valido a pena. A cidade é maravilhosa, estranha em sua arquitetura e seca. Ambiguamente falando.
_ Ainda quero conhecer BSB.
_ Amiga, me dá um minuto. O telefone toca.

(...) Tocou tanto que Valentina voltou 1hr depois.

_ Demorou, aonde foi?
_ Quando o telefone parou de tocar, aproveitei para pegar meu hidratante labial e nem te conto o que me ocorreu.
_ Ah, mas fale.
_ Ando com a cabeça tão cheia que tranquei a porcaria da chave do meu cadeado do armário dentro dele.
_ kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
_ Sério. Eu aqui com a grana curta, comprei as pressas um cadeado novinho, e agora tive que mandar o rapaz quebrá-lo. Oh, raiva.
_ Menina, eu sei como é viu? Aqui também é uma loucura, você sabe. Também ando com a cabeça a mil. Esses dias o meu filho de 4 anos estava doente, daí a Emily, a menorzinha, começou a berrar, e eu afobada, acabei dando o remédio para ela, ao invés do Dodô.
_ kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Amiga, bem típico seu. Que saudades de você, cara!
_ Sério. Daí ele virou para mim e disse: Mamãe, por que você deu meu remedinho para a Emily?
_ Jura que ele percebeu o esquecimento?
_ Juro, e só ai que fui perceber que mosquei no dia. Nossa, estou trabalhando demais sabe.
_ Sei. Oh como sei. O triste é quando você vira para uma pessoa e fala que é recepcionista de hotel, a pessoa acha que é o emprego mais sossegado do mundo... Mal sabem como é gritante.
_ É verdade. Recepcionista não entrega apenas as chaves para hóspedes não. Tudo passa por aqui. Telefonemas, reclamações, informações, reclamações, pedidos de trocas, reclamações, sugestões de locais para passeio, reclamações, reclamações e ufa... morri.
_ Pimenta nos olhos dos outros é refresco. Às vezes acho que todos deviam ser recepcionistas apenas por uma semana, e assim, ficarem quietos. Quietinhos.
_ Hell Yeah!
Gabriella Gilmore
Enviado por Gabriella Gilmore em 13/11/2011
Reeditado em 16/10/2012
Código do texto: T3334013
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Gabriella Gilmore
Governador Valadares - Minas Gerais - Brasil, 35 anos
448 textos (55396 leituras)
16 áudios (1274 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/20 23:16)
Gabriella Gilmore