Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PESSOAS ESTRANHAMENTE HUMANAS

Até quando somos livres para ir e vir?
Muitas vezes achamos que somos auto suficientes, que temos super poderes para dizer: “Não. Não aceito mais essa condição. Estou saindo. Obrigado e até logo.” Hein??
Às vezes me pergunto se eu preciso de alguém ou se esse alguém precisa de mim.
Me perdi nas infinitas respostas.
Há meses venho recebendo convites tentadores para trabalhar fora. Apesar de eu ter um espírito livre e aparentemente adorar desafios, eu sempre me surpriendo com o medo de errar.
Acho que perdi a confiança, só não sei de quê ou de quem.
Esses dias resolvi aceitar um convite para a tal mudança e não tenho dormido até então.
A espectativa me consome.
E se? E se? E se??
E se eu não der a cara a tapa para ver, vou ficar nesse “e se” para sempre.
Mais uma vez estou saindo do buraco negro que é esta cidade.
Acordei na sexta-feira super agitada, pensando no discurso que eu teria que fazer sobre o “tal” pedido de despensa  da empresa onde trabalho. O encontro com a ruiva poderosa me faria gaguejar. E fez! (Exclamation point)
Meus pensamentos se enrolaram tanto que comecei a tremer e ela pode ter pensando que aquilo tudo fora mentira.
Quisera eu ter mentido na sinceridade, dizendo que as maçãs podres que existem no estabelecimento me custariam um estômago novo e muitos calmantes.
Preferi dizer a verdade que estou aqui de passagem.
Caro leitor, quando você não tem um limite, como você reage? Eu acabo não criando vínculos e me sinto livre demais para ir e vir.
Isso seria um problema?
Alguns amigos dizem que devo aproveitar as oportunidades, inclusive pelo fato de eu ser solteira com nenhum filho. Portanto, que mal há em ir, quebrar a cara (ou não) e depois voltar para uma “casual visit” ou até mesmo para ficar no “black hole” da cidade perdida? Afinal, estamos aqui só de passagem, e bobo é aquele que não desfruta da famosa frase “Carpe diem”, e faça valer a pena cada correria, cada tapa na cara e aventurar nesse mundão de pessoas estranhamente humanas.

www.twitter.com/gabriellaclima

Gabriella Gilmore
Enviado por Gabriella Gilmore em 11/09/2011
Reeditado em 06/04/2013
Código do texto: T3213323
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Gabriella Gilmore
Governador Valadares - Minas Gerais - Brasil, 35 anos
448 textos (55396 leituras)
16 áudios (1274 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/09/20 00:56)
Gabriella Gilmore