Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Circo Solar dos Bichos

        Os animais do Bosque Lilith resolveram montar um circo para animar toda a bicharada da floresta. A ideia partiu da Coruja Lua que providenciou a lona e a estrutura para montar o Circo Solar dos Bichos, juntamente com outros animais.
        A Coruja Lua distribuiu as tarefas para alguns dos animais que aceitaram trabalhar no circo. A Arara Beta saiu avisando aos animais da região, fez o serviço de comunicação: convocando os animais e depois, convidando a população de animais para o espetáculo. Os vaga-lumes ficaram responsáveis pela iluminação do circo.
        No primeiro dia de espetáculo, tudo estava pronto e bonito. Os animais estavam arrumados e com suas atividades na ponta da língua. Na hora marcada, o apresentador do circo, o Sr. Elefante, cuja troma servia de microfone, surge de detrás da cortina usando um enorme chapéu e anuncia as atrações da tarde:
        - Respeitável público, temos a honra de apresentar para vocês esta belíssima diversão deste bosque. Aqui vocês terão espetáculos nunca vistos. A coruja, idealizadora desse evento será a nossa guardiã. Palmas e pés para a Coruja Lua. Nesse momento, soou barulho de palmas e de pés, saudando a guardiã.
        E assim, começa o espetáculo, com um desfile dos pôneis, cada um mais bonito que o outro, uns com tranças e outros com as crinas soltas e esvoaçantes. Foi a maior alegria; muitos assobios e relinchos.
        A segunda atração foi a dança das girafas. Elas escalavam, ficavam nas pontas dos cascos, rodopiavam, pulavam, sambavam. Deram show.
        Enquanto o macaco, o Palhaço Pitomba, se preparava para provocar risadas na plateia, o cachorro ciclista desfilava por todo o tablado em cima da bicicleta de uma roda. Logo depois, entra o Palhaço Pitomba desajeitado e engraçado. O palhaço não parava quieto e toda hora tomava uma queda e todos os animais gargalhavam, relinchavam, grunhiam...
        O palhaço sai do picadeiro arrastado porque não queria sair mais. Já estava passando da hora da miquinha dourada Milinha subir no trapézio. Ela estava toda maquiada e com um laço de fita na cabeça. Pula daqui, pula de lá, segura com um braço só, segura com os dois, e a plateia gritava: ohhhhh. Foi uma bela apresentação.
        Ainda teve zebra equilibrista, leão fazendo mágica - fez bicho desaparecer da plateia e tudo... Para encerrar, o show ficou por conta do Papagaio Lero que cantou várias músicas para os animais. Ao final, tinha bicho chorando de satisfação e de saudade!
        Novamente, o apresentador Mestre Elefante, entra em cena agradece a presença dos ouvintes e a participação dos artistas da noite, prometendo novo show no mês seguinte. Todos voltaram felizes da vida para os seus esconderijos.
        




 
Joyce Lima
Enviado por Joyce Lima em 17/04/2019
Reeditado em 17/04/2019
Código do texto: T6625837
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Joyce Lima
Itagibá - Bahia - Brasil
1690 textos (37502 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/19 15:53)
Joyce Lima