Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Guardiã do sofrimento

Você confia nos meus fudidos olhos mortos ? Mesmo sabendo o fim, não diga que não tentei, no fundo só me escondi em meio a sentimentos covardes, a verdade é que demônios são demônios. Demônios sentem o gosto do sangue dessas pessoas inocentes, do inferno eu vim, olhei e nem tinha saído do lugar. Forte, tudo o que eu fiz foi acabar com você, a real é que eu gosto disso, estou perdida nesses pensamentos psicóticos, você me acha normal ... Ao dia eu me escondo, minhas olheiras simbólicas representam o quanto a noite me faz bem, ao dia eu me escondo, a noite eu danço, com a guardiã do portão do inferno, só, solidão me fascina, minha ira é o resultado do quanto eu queria me trancar lá, não me sinto mal mais... Mas como ? Não me sentir mal, sinto muito, por todas as pessoas que matei, não mudei, me certifiquei de onde eu devo estar, amarga, consigo lidar com a dor, corte-me em pedaços, voltarei e então sugarei tudo que há de vida em você. Aquelas vozes falam : Você está destinada a isso querida, vc tem olhos de : Querido eu fui feita pra quebrar seu coração. Você confia nos meus fudidos olhos mortos ? É o destino, eu não posso mudar, toda a luz que eu tinha eu libertei, vagando por aí juntamente a corpos medíocres... Tudo o que tínhamos não passou de uma distração, eu realmente queria sentir muito por te destruir, meu caro, eu sou assim... te manipular para que no fim eu possa ter o que eu quero, eu danço com a morte na qual vc nunca viu... se esse é o destino, eu fui feita pra destruir tudo que há vida. Sem exceções, Sem fraquezas.

Texto de uma amiga: Julia nascimento lima
Julia nascimento lima
Enviado por Peixoto wilder em 18/11/2019
Código do texto: T6797967
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Peixoto wilder
Pancas - Espírito Santo - Brasil, 17 anos
2 textos (50 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/20 12:29)