Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Aliados improváveis

Maio de 1945. Uma unidade de reconhecimento do Exército dos EUA, com quatro tanques Sherman, cruzava a bucólica paisagem do campo austríaco rumo ao próximo vilarejo da região, quando um soldado da Wehrmacht saiu da margem da estrada e foi para o meio do caminho, agitando os braços erguidos. O comandante da unidade, capitão Fletcher, ordenou pelo rádio que os veículos parassem, e abriu a escotilha superior para falar com o desertor.

- Você fala inglês? - Gritou.

- Sim, um pouco - respondeu o soldado.

- Ponha as mãos na cabeça, e aproxime-se - ordenou Fletcher.

Voltou para dentro da torre e instruiu pelo rádio que os dois últimos tanques saíssem da estrada, à esquerda e à direita, para verificar se não havia inimigos emboscados no mato. Só então, desceu do veículo, acompanhado pelo assistente do motorista, para ver o que o desertor queria.

- Nossos oficiais alemães debandaram - explicou o soldado. - Não somos da SS, somos do exército regular... e a maioria de nós é austríaca, fomos obrigados a servir no exército da Alemanha.

- Eu entendo... - comentou o capitão, coçando a cabeça sob o capacete de aço. - Quantos vocês são e onde estão os outros?

- Estamos em 50, no castelo Liebwin, uns 5 km de distância daqui. Achamos melhor não abandonarmos nossa posição, mesmo com a partida dos oficiais.

- Por quê?

- Porque poderíamos ser fuzilados como desertores. Saí de lá numa bicicleta, para tentar conseguir ajuda.

- E o que querem, exatamente, que façamos?

- Que nos protejam, caso cheguem tropas SS para ocupar o castelo. Não temos armas pesadas, e a munição anda escassa.

- Mas o que há de tão importante no tal castelo para que os SS queiram ocupá-lo?

- O castelo Liebwin era onde a SS fazia experiências secretas com cães de combate... o Projeto Varulv. Devem querer recuperar os animais, ou irão eliminá-los para esconder as evidências.

Fletcher ajeitou o capacete na cabeça.

- Está bem, você pode subir no tanque para nos mostrar o caminho. Antes, porém, terei que falar com meus superiores e pedir permissão para avançar.

Fletcher voltou à torre do tanque e contactou o coronel Brightman, seu comandante. Ao ouvir falar sobre o projeto secreto da SS, ele respondeu com inequívoco entusiasmo:

- Precisamos resguardar esse castelo para ser examinado pelos nossos cientistas! Permissão para avançar concedida!

- Certo, senhor, mas devo lembrá-lo de que ainda estamos numa área sob controle do inimigo e que minha unidade possui apenas quatro tanques... quando poderemos contar com reforços, caso os SS nos ataquem com armas anticarro?

- Vou deslocar reforços para o castelo imediatamente... devem estar chegando aí amanhã de manhã - prometeu o coronel.

- Então, vamos seguir agora para o castelo Liebwin, senhor. Câmbio e desligo.

Comunicou pelo rádio aos outros três veículos a mudança de rota, e com o desertor austríaco encarapitado na torre do tanque de Fletcher, tomaram o rumo do castelo Liebwin.

[Continua em "Hóspedes involuntários"]

- [06-04-2019]
Alex Raymundo
Enviado por Alex Raymundo em 06/04/2019
Reeditado em 05/10/2019
Código do texto: T6617304
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Texto original do site http://recantodasletras.com.br/autores/raymundo.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alex Raymundo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 57 anos
1646 textos (89627 leituras)
1 áudios (36 audições)
1 e-livros (15 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/19 05:09)
Alex Raymundo