Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gaijin - Parte XI - O Corajoso Dragão Vermelho Descansa em Paz

Atravessamos o buraco e chegamos em uma caverna iluminada onde encontramos outros monstros tão perigosos como o yokai-tigre.

Nikolai usou um machado feito de estalactites para abrir caminho e deparamos com outro túnel cheio de aranhas gigantes, onis e até mesmo uma mulher-aranha, provavelmente a mãe daquelas aranhas.

Seguimos em frente e encontramos mais dois esqueletos no caminho. Assim que chegamos ao fim do longo túnel, deparamos com uma fenda onde Vareen usou seus poderes para criar uma abertura e após todos nós passarmos pela fenda, ele fechou-a.

Atravessamos um corredor de magma escaldante e ficamos horrorizados com o que vimos.

Um oni gigante tinha um enorme buraco no peito e o seu coração havia sido arrancado.

Essa cena foi tão forte que até mesmo o corajoso Dragão Vermelho se apavorou.

Se eu dissesse que não estaria com medo, era uma grande mentira.
Não tínhamos mais tempo pra lamentos e temores e chegamos logo a outra caverna encontrando mais monstros mortos.

Nikolai usou o leque para abrir caminho e chegamos a outro corredor onde encontramos os corpos de dois onis e um yokai.

Depois encontramos outro tipo de monstros, conhecidos por shinigamis, que nos guiaram para outra fenda na antecâmara que Vareen abriu usando seus poderes.

E ali encontramos um rosto bem familiar.

Era aquela Dama do Inferno que comandou o ataque ao castelo Yoake Shiro, mas pra nossa surpresa, ela apenas nos mostrou o caminho para o yokai-tigre e fugiu.

Então sentimos um forte tremor de terra.

E ouvimos um rugido bem alto.

Era o yokai-tigre.
E estava prestes a nos atacar.
Era chegada a hora da batalha final.

                                                * * *

Nikolai tomou a iniciativa arriscando-se a usar seu olho vermelho enquanto Vareen concatenou o plano do espelho dando-me a responsabilidade de rebater quaisquer ataques mágicos do monstro.

O tamanho do yokai-tigre intimidava até mesmo os mais corajosos.

Era um gigante de mais de cinquenta metros de altura e seria difícil de ser derrubado em um único ataque, portanto seria uma batalha de paciência e de resistência.

Vareen usou um projetil de terra para desestabilizar o monstro atingindo-o bem no olho. Caleb tentou fazer o mesmo, mas sua magia não funcionou.

Ao longe, avistamos uma espécie de tropa de guerreiros-esqueleto e zumbis.

E também uma figura familiar.

Era Roberto Lazarento.

Que veio não só para nos ajudar, mas também para tentar redimir-se do erro que cometeu.

                                                * * *

A luta seguia dramática quando o Dragão Vermelho atacou o monstro sem resultado e ainda proporcionou a oportunidade para nos contra-atacar.

O demônio mandou sua rajada e o espelho rebateu atingindo alguns esqueletos que pegaram fogo e explodiram.

Nikolai atacou com o leque e alguns esqueletos saíram voando.

Caleb, por sua vez, atacou o monstro com estalactites fazendo quebrar seus dentes e destruir praticamente a boca dele, impedindo-o de soltar magias.

Depois o paladino usou a bênção em Vareen e enquanto isso ocorria, nenhum de nós percebeu que o Dragão Vermelho havia partido pra cima do yokai com a espada empunhada em um ataque suicida, ou kamikaze, como chamam os locais.

William então pediu a Vareen que desse cobertura ao Dragão Vermelho e a mim permanecer na defensiva com o espelho caso o monstro nos atacasse.

Mas nem foi necessário.

O demônio tinha errado seu ataque em Caleb e acabou com suas patas presas no chão inutilizado e vulnerável a quaisquer ataques.

Era nossa chance de vencer.
E Caleb e Vareen entenderam o recado já sabendo o que fazer.

                                            * * *

O paladino e o clérigo atacaram o yokai com força total combinando estalactites e eletricidade, causando um grande dano e abrindo possibilidades para o Dragão Vermelho dar o golpe fatal.

Vareen usou seus poderes para ajuda-lo e o samurai atacou o demônio, contudo este ainda teve forças para agarrá-lo e o sufocou quase até a morte.

Ainda assim, Yake usou toda a força restante para dar um golpe forte na cabeça do monstro que o lançou ao chão.

O daimyo estava gravemente ferido e agradeceu a Caleb por ter tido o maior duelo de sua vida lamentando não ter formado um laço de amizade com ele.

E morreu em seus braços.

Pela primeira vez na vida, vi Caleb chorar a morte de alguém que até então era inimigo jurado dele.

No entanto, os dois tinham algo em comum.

O apreço pela arte da guerra.

Vi Motoyama consolar Caleb dizendo que morrer em combate é uma honra para eles e que por mais triste que possa parecer, isso abrirá caminho para a paz tão esperada em Rokushima Taiyoo.

Mas não tínhamos mais tempo pra chorar pela morte do Dragão Vermelho.

Era chegado o momento de cumprir nossa missão.

                                            * * *

Vareen então usou seus poderes para criar uma barreira forte o suficiente para selá-lo por toda a eternidade.

O yokai-tigre estava praticamente morto devido ao golpe de Yake quando isso aconteceu.

Vi Nikolai e William discutindo asperamente com Roberto Lazarento cobrando explicações sobre o porquê de seus esqueletos virarem-se contra nós e ele nos explicou que seus esqueletos haviam perdido o controle devido a presença do demônio-tigre.

Depois disso, William negociou com Yuji, o filho mais velho de Yake que havia se tornado o novo Shinpi, a nossa liberdade e ele, ainda abalado pela morte do pai, concordou com o pedido como um agradecimento pelos nossos esforços.

Os vulcões da ilha se abriram para facilitar nossa saída da fenda e assim que saímos, percebemos pelo semblante das pessoas que nossa missão estava cumprida.

Rokushima Taiyoo finalmente estava em paz.

O tratado agora era uma mera formalidade, mas sempre me ensinaram de que o papel é a prova de tudo.

E com a morte do Dragão Vermelho, acredito que os dois irmãos remanescentes não devam se opor ao tratado de paz.

Afinal, essa guerra perdeu totalmente o sentido.

                                                 * * *

Alguns dias depois, após o ritual fúnebre do Dragão Vermelho ser realizado e de Vareen recuperar-se do desmaio que teve após entregar o rosário a William, voltamos junto com Shinpi Yuji a Yosai Kurai e contamos tudo aos outros Shinpis o que aconteceu com o Dragão Vermelho.

Eles ficaram tão consternados com a morte de Yake que resolveram de comum acordo selar a paz entre as quatro províncias e acabar com uma longa e insana guerra que devastou o domínio.

Ficou acertado também que Minoru seria o novo lorde de Rokushima Taiyoo por ser, entre os quatro daimyos, o mais ponderado e tolerante com seu povo e ele fez concessões a Yoko continuar com sua religião em Yosai Kurai e os demais Shinpis a continuarem com sua autonomia em assuntos locais.

Nikolai teve a brilhante ideia de ficar com o espelho como um presente de casamento para Ilfa, a futura esposa de Lucianinho, e fez o pedido formal a Minoru que aceitou sua sugestão.

Caleb, por sua vez, mal podia esperar pela festa de casamento e estava tão feliz que até fez questão de pedir desculpas aos guardas daquele incidente a beira do lago.

Depois de uma boa festa para celebrar a paz em Rokushima Taiyoo, era chegada a hora de nos despedirmos desta ilha depois de uma grande e inesquecível aventura.

Fomos a Nagaoka, pegamos o barco e chegamos novamente a borda etérea com uma Shinigami sendo nossa barqueira.

Ela pulou do barco e logo sentimos o oceano bater na costa da ilha onde Meredoth nos atacou.

Estávamos de volta ao Mar Noturno e ficamos felizes de ver os olhos de Nikolai voltarem ao normal.

Era hora de voltar pra casa.

E de voltar aos braços de Charlotte e dos gêmeos.
MarioGayer
Enviado por MarioGayer em 15/10/2019
Código do texto: T6770388
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
MarioGayer
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 43 anos
219 textos (3571 leituras)
1 e-livros (23 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/19 00:43)
MarioGayer