Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Devaneios

Nunca gostei de ter que ir para casa de ônibus.  Porém, nesses últimos  meses há dias em que não  me importo mais com isso, rs. Na verdade aguardo ansiosa por encontrar um olhar em especial. Deixe estar..., acredito que ele nem imagine que eu já o tenha percebido, e não é de hoje.
Ahhhh... lembro da primeira vez em que percebi o seu olhar, parecia um abraço tão forte que quando desviou-se de mim,  foi como uma sombra negra e fria que pairava por ali; já que outro homem estava entre nós. Esse olhar que aquece infinitamente o meu coração. Cada dia em que subo as escadas daquele ônibus, já o aguardo, nem que fosse apenas por breves minutos enquanto a sua rota não chegasse ao seu destino e nem a minha.
Quisera eu que ele soubesse disso. Nossa, quanta pretensão a minha. Mas ouso poder sonhar com esse dia e espero poder ter a companhia desse olhar que me zela e tanto me deseja ao mesmo tempo. Parece tão confuso, mas eu gosto disso. essa sensação me revitaliza.
Às  vezes, fico observando aonde ele senta ou se acomoda em pé,  para que então, eu possa me aproximar n'outro dia a fim de facilitar essa conexão... de olhares que eu tanto almejo. Em devaneios... ahhh sim, durante o trajeto imagino além daquele olhar... imagino suas mãos, imagino mais carícias, imagino sua voz calma a sussurrar em meu ouvido...: 'Ohhh querida, por quanto tempo eu desejava pode estar assim, contigo em meus braços e poder cuidar-te com ternura e fervor ao mesmo tempo'. Difícil, quando a campainha torna-se um 'estraga prazeres' fazendo o semblante de ambos saírem aparentemente de um transe simultâneo... ele a desejando enquanto ela sonhava em estar em seus abraços.
Agora, os dois descem juntos daquele ônibus como fazem todos os dias em que se olham sem se encontrarem. Mais uma vez... ela parte para um lado da rua e ele segue para outro. Talvez ele tenha alguém o esperando, por isso que nunca havia seguido o caminho dela.
Como eu gostaria e sonho que, por alguns minutos ele segurasse a minha mão e caminhasse comigo, assim, sem dizer nada... apenas para eu poder sentir o calor do seu corpo... e então  poder tornar meus devaneios mais reais e empolgantes.  Mas ele ainda não o fez! Não me acompanhou nem com o seu olhar que me queima quando me observa dentro do ônibus. Ahhhh, eu me lembro! Então, sempre caminho devagar tentando ouvir os teus passos... mas eles continuam indo em outra direção, contrários aos meus. E, mais uma vez, vou seguindo meu caminho e sonhando com o próximo encontro. Na esperança de nossos olhares se encontrarem e por si só desnudar-nos de nossas limitações para enfim, vivermos esse desejo tão cultivado por ambos, em nossos devaneios, quase que diários.  Gostaria que ele soubesse disso. Gostaria que eu pudesse dizer isso a ele, mas não quero lhe trazer algum infortúnio; já que não sei nada de sua vida... nada.
Hoje, deixei esse texto escrito, cair ao descermos juntos do ônibus.  Bom, agora ele sabe. Agora caminharemos juntos apenas por minutos ou por toda a vida? Ainda haverei de descobrir.
BellaTravessa
Enviado por BellaTravessa em 23/07/2020
Reeditado em 24/07/2020
Código do texto: T7014842
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre a autora
BellaTravessa
Montenegro - Rio Grande do Sul - Brasil, 41 anos
37 textos (1053 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/20 13:51)
BellaTravessa