Coração

Era tão estranho pensar no primeiro parágrafo, ele era a base para os demais, mesmo porque não houve uma data estipulada para se desdobrar uma reflexão (conclusões me atordoam por demais), são pequenas constatações que me levam a falar de amor depois de tanto tempo. Desconfortável, por assim dizer. Não estava nos meus planos. As palavras não foram idealizadas, apenas se encaixam em prol da necessidade de dividir com mais alguém que já não sou mais a mesma e meu coração está cheio de desejo, alegria, paixão (no sentido de destemor, não de destempero).
A vontade crescente me arrebatou aos pouquinhos, sem escândalos, tencionava não passar de inspiração no meio da noite, a ânsia constante e inquieta por desaguar tantas ideias reprimidas num lugar onde elas não se voltassem contra mim. As teclas se moveram num gesto espontâneo, deixando tão claro que pela primeira vez na vida sinto-me em paz, feliz por estar onde estou; concentrada no presente e não mais olhando para trás a lamentar aquilo que não estava destinado a ser meu, ora por não me fazer bem, ora por não ser o “momento”. Cada época com o seu propósito.
Um verso deu origem ao todo, decifrando a missão daquele parágrafo tímido e tantas vezes apagado até fazer sentido quando lido em voz alta, revigorando aquele ânimo até então cansado de olhar para o céu e só enxergar as nuvens de chumbo encobrindo o amanhecer. Porque, sim, eu precisei me esforçar para sair do chão.
Quando dei por mim, estava entregue àquele sorriso que me fez sorrir também e chorar por redescobrir que amar é bom, um dos dons mais bonitos do mundo. A emoção se manifesta porque tudo se torna mais prazeroso quando se encontra uma pessoa que se mostre especial por ser ela mesma, disposta a estar ao seu lado e não te deixar cair, porque tanto quanto você lhe interessa amar. E esse laço invisível que conecta histórias tão distintas entre si se fortalecem na medida em que ambas as partes se empenham para uma causa em comum, um objetivo além do entendimento básico sobre aquilo que se vive na prática, de corpo e alma.
Há pessoas e pessoas, o clichê de um mundo carente de gestos verdadeiros, cansado de tantas ilusões preestabelecidas que engolem a essência e padronizam o sentir. Alguns te seduzem com palavras bonitas e promessas vazias, mas desonram o caráter e destroem a sua vida, outros não pedem nada além de uma chance, te ajudam a reconstruir os pedacinhos partidos do seu coração e te mostram quão poderoso pode ser o verdadeiro amor.
O passado pode ter me feito de gato e sapato, porém não matou minha pureza. Com isso, sou capaz de amar como se nunca tivesse sido magoada. Sou feita de esperança, por isso estou aqui!
Vou me deitar à noite com alegria porque depois de tanto tempo sofrendo por causa de migalhas, aprendi a me amar, sou amada em troca como sempre mereci ser e me encontro em paz, certa de que meu lugar no mundo não é físico, é espiritual.
Quando porventura o sono tarda a me render aos seus encantos, me ponho a amar a lua e as estrelas e não olho a hora, não me importo com a ferida que ficou de quem nunca fez questão de ficar, só penso em quem me enche de alegria, em quem faz parte da minha rotina por livre querer. "Ele" tinha que ir embora para que alguém de verdade pudesse chegar, porque eu sempre fui digna de alguém com envergadura moral para honrar um compromisso verdadeiro, alguém maduro o bastante para despertar o amor com comprometimento de se doar também. Com humildade e propósito. De mãos dadas e boas intenções.
Eu nunca perdi a fé, mesmo quando fiquei totalmente sem chão, quando me pronunciei na intensidade da ferida aberta, urgente e inconsequente. Minhas asas foram quebradas, mas dentro de mim há o dom de me refazer das cinzas.
Quando eu estava afogada em engano, como iria saber o que ainda estava por vir?
Àquela altura eu não era capaz de enxergar nada além da dor, não estava pronta para o tamanho daquela entrega, para entender aquilo que me é tão natural hoje. A utopia me mantinha cega para aquilo que devia ver e aceitar, a realidade dura de uma desilusão. Se eu tivesse trombado com a pessoa especial naquela época, provavelmente não teria prestado a menor atenção nela, eu só me importava com aquilo que me feria e humilhava.
Não parecia provável que eu aceitaria aquele amor que viria para me curar, segurar na minha mão e revolucionar minha vida.
Não tenho dúvidas de que Deus é maravilhoso. O amor me aproxima Dele mais e mais, me torna sensível para as melhoras que ainda precisam acontecer. Ele sempre esteve comigo durante o sofrimento e agora me permite curtir o sol nascer, me preparando todos os dias para ser mais grata, alguém consciente da importância de aprender a viver e gostar de mim ao ponto de não aceitar migalhas.
Como posso agradecer por esse dia tão lindo? E por todo o resto?
Existe algo que eu possa fazer que exprima minha profunda gratidão?
Espero encontrar um meio de cantar em versos toda a esperança de uma vida melhor que embora não prometa perfeição, é o meu clamor mais ardente.
Compartilho meu dia, meus planos, meu riso, meu novo penteado, meu chocolate, minha alegria que não depende desse alguém tão especial porque vem de mim, de dentro de um coração disposto a se entregar totalmente. Porque acima de tudo o que nos une, além do amor, é o respeito, também a alegria de não me afogar em hipocrisia.
Busco ser hoje a melhor versão de mim. E me entrego àquilo que o destino me oferece. Com os olhos abertos. Somente os destemidos se abrem. Os covardes iludem e fogem porque não estão prontos para a franqueza. Os bons nunca desistem.
Os raios de sol acordam o meu coração daquele luto interior que me deixou perdida no tempo, estagnada na incerteza. O amor cresce em mim sem cerimônias. Se possível for, que minha eternidade dure o bastante para me transformar numa pessoa melhor, alguém a altura desse ser tão nobre que me ensina o que há de mais bonito: a coragem de confiar após uma dor tão grande.
Nunca me ocorreu que a minha pessoa especial pudesse ser quem eu menos esperava. Eu nunca iria descobrir que ela estava tão perto se continuasse retendo tudo aquilo que tinha de ir. Parecia coisa de outro mundo pensar que um dia recobraria a confiança no amor depois de tanto sofrimento.
Mas eu precisava de um tempo para chegar às minhas próprias constatações e agir por mim mesma.
Às vezes eu me sinto dentro de um sonho muito louco, mas não trocaria esse momento único por nada.
Estou na presença de alguém que me inspira confiança, me entende, me acolhe no seu colo, me anima, me permite uma liberdade que só um sentimento verdadeiro é capaz de proporcionar.
Eu me sinto forte, viva, mulher.
Renovada, intensa, única.
Eu me sinto dona de mim, autora do meu sim.
Dona de mil encantos, por onde quer que eu vá aquele sorriso bobo continua ali, vivo o suficiente para ser meu.
Hoje transformo em verso a mistura de cores e sabores que enriquece meu repertório. Ninguém tem o poder de me impor um jeito de amar, só eu sei o quanto me apetece felicitar o imprevisto e me conhecer através das linhas tortas.
invisibile coccinella
Enviado por invisibile coccinella em 28/10/2017
Reeditado em 01/05/2018
Código do texto: T6156013
Classificação de conteúdo: seguro