Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta a Mim Mesma II

                                                   
                                                      Köln den 12 März 2011

      Bom Dia maria, tudo bem ou tudo mal por aí?!!!
      Sabes como sou, "assim me Dirijo ás pessoas que conheco" -
      - Marqués do Sade.

      Já lá vai o primata em que se escrevía cartas, e as recebia
  com Entusiasmo como se fossem de um Deus.
      Me lembro e ainda guardo esses manuscritos como uma Biblía
  sagrada.
      Por vezes de tanto nao escrever á mao, já nao sei que letra
  tenho. O computador tem tantas formas bonitas que nem sempre
  condizem comigo.
      Mas olha, foi uma grande invencao, sabes porqué? Naquelas
  horas e dias como hoje, que depois de 3 semanas de GRIPE de
  tanto tossir fico por vezes sem voz. E naquele dia, que espero
  que nunca venha, em que nao posso mais falar, ainda escrevo
  no meu livro de folhas de Ouro...
      Ainda há quem o faca, os ademiro de verdade, sem máscaras.
      Mas por favor nao vamos Exeder, o contexto que ficou escrito
  ás vezes já nao se adequa aos nossos dias; mas hoje me
  parece um outro con(nao)texto...
      Nao é e nao foi com pressa nenhuma,  um Contrato assinado,
  sem escapatória possível...
  Foram vogais e letras de um passado lindo, fogaz ameno ou
  desgracado. Depois disso tudo, Hortense muita chuva
  caíu, o Sol nasceu tantas vezes, para mim e para ti, a noite
  me guardou o peito me deu respeito e segui por fim até hoje, sem
  cartas descartadas.
      Por este motivo me escrevo, por este motivo e mais alguns
  sigo correndo no Azul-Rosa perfeito de tantas Letras.
  Nao é por ser madrugada nao, o cinzento do cérebro ainda fun-
  ciona, está regado de sangue de outrora, novo e empolgante
  como a Ionosfera lá longe mas sei que ela existe (por enquanto).
      Tenho que encurtar estas baboseiras, vou pintar agora uma
  parede de branco, a estraguei quando me mudei, ontem já a pre-
  parei bem bonitinha, tirei tudo o que se pode danificar com tinta,
  limpei o soalho bem direitinho, dormi como uma Rainha e acordei
  cheia de vontade(s) para oferecer uma nova surpresa ao meu
  Marido- Uma parede Branca como ele queria.

      ps.: Pena que nao saibas, tu, Marido o que digo, tens muitos
            números na cabeca,  nao vamos arredondar palavras e
            sentimentos como uma tabela EXCEL, dessa também eu
            percebo, nao como tu -Génio das tabelas- mas como
            Mulher, Esposa, Amante, brinquedo, Amada, Vivida, doce
            amarga, por vezes de saias outras de calcas como tu.

            Esqueci-me antes do ps de dizer e  de te mandar um beijo
            e, até uma próxima Carta.

     Epá!!! já sao 8:18 horas da Manha de sábado, tenho que me
       apressar com as pinturas.

                                                                               Hortense
           
     
Divavid
Enviado por Divavid em 12/03/2011
Reeditado em 12/03/2011
Código do texto: T2842825
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Divavid
Köln - Nordrhein-Westfalen - Alemanha
1088 textos (56226 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/20 01:53)
Divavid