Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Hermógenes Dias da Cruz

Por Nemilson Vieira de Morais (*)

Hermógenes Dias da Cruz nasceu em 19 de Abril de 1962 na cidade de Varginha/BA. Os pais: Germano Dias da Cruz e Nilda Maria de Sousa, também eram baianos de Brotas de Macaubas/BA.
Hermógenes morou com os pais muitos anos, em Dourados/BA, para ser mais preciso até 1971.

TERRA RONCA
Neste mesmo ano de 1971, a família se muda, para uma fazenda na Terra Ronca/São Domingos/GO. Por lá permaneceram pouco…

LARGO DA PINTADA
Em primeiro de Janeiro 1974 Hermógenes, com os seus 12 anos, juntamente com pai, mãe e irmãos mudam-se para o Largo da Pintada (um povoado, próximo a Guarani, ainda no município de São Domingos). Neste lugar permaneceram por um tempo; sempre nas duras atividades em fazendas.

DEIXOU A CASA DOS PAIS
O Hermógenes (sozinho) mudou-se para o povoado da Prata, distrito de Monte Alegre/GO, por lá permaneceu uns 2 anos; mesmo com a morte da mãe (no Largo Da pintada), o seu pai ainda permaneceu por lá…

CAMPOS BELOS/GO
Em 1988, com os seus 26 anos, transferiu-se para Campos Belos.
Desde o início amou de paixão a cidade bem como a moradora mais ilustre do lugar, para ele: a Dinalva Damarcena Dias. Em Fevereiro do mesmo ano tratou logo de se casar, conforme o sacramento. Desse matrimônio vieram cinco filhos: Weldina, wermes, Nilda, Uriel e Emerson.

CURVA DA MORTE
Alguns filhos do casal Hermógenes e Dinalva, senão todos, avançaram nos estudos…
A Nilda Damacena, além de outras qualificações, ler e escreve como gente grande. Anos atrás ganhou um prêmio do Instituto Federal Goiano (IFG), campus Campos Belos.
Solicitada enviou-me o PDF do texto “A Curva da Morte” que carimbou o seu “passa porte” duma vez, a um dos maiores eventos culturais (brasileiro e internacional). A Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), na cidade histórica de Paraty no Rio de Janeiro (em 29 de junho a 3 de julho de 2016).

AOS PÉS DA SERRA DAS ALMAS
O Criador permitiu a ele estar aos pés da Serra das Almas, para ser um guardião fiel daquele espaço de 36.300m2 de rara beleza. Transferiu-se com a família para essa reserva ecológica em 2004.
Num período de tempo que não sei precisar contou-me ter plantado 168 mil mudas de árvores nativas, nessa unidade de conservação.
Muito longe de se pensar numa unidade do copo de bombeiros na cidade, ele despertava nas madrugadas e chamava os filhos para apagarem os incêndios, às vezes criminosos, na encosta da serra.
Foram tantas as lutas desse homem a frente desta reserva florestal pela sua preservação…
Alguns desses embates foram contra a própria Administração Municipal e particulares, que tentaram prejudica-lo duma maneira ou doutra; constrange-lo, impedi-lo a isso.

TRECHO DUMA ENTREVISTA
COM HERMÓGENES
“… O prefeito não se contentando mandou mais máquinas e arrancou mais árvores, no qual foi necessário que o ameaçasse (interviesse), com os dizeres:
“Enquanto existirem recursos legais eu irei defender o meio ambiente de pessoas como você”.
Então, ele “tope tudo” colocou o dedo no meu rosto e disse:
“ Você não irá impedir-me, pois, de 50 m em 50 m em forma de chácaras, eu irei cortar toda essa área e distribuir aos meus eleitores […]".

-- Entrevista na íntegra, disponível no Blogue da Mata, desde 2011.
http://blogdamatacb.blogspot.com/2011/09/12-anos-de-cuidado-e-protecao_19.html?m=1

Certo que a intervenção, a resistência do Hermógenes à ocupação desse Parque Ecológico (tão vital na vida da cidade), evitou o pior. Sem isso a reserva não estaria mais nas suas condições naturais que se encontra hoje.
— Há muito, já havia se tornado um amontoado de construções irregulares. Com as ações diretas (impensadas) de quem mais deveria preservar os recursos naturais do Município (o Poder Administrativo local, na pessoa do seu getor).
Pela Constituição Federal, nós também, indivíduo e comunidade temos tal dever, obrigação.

Por estas e por outras o Hermógenes a meu ver, tornou-se ao longo da sua vida (a maior parte dela vivida em Campos Belos), um VERDADEIRO agente ambiental (nato) de primeira grandeza; um apaixonado defensor das causas da NATUREZA, nesta cidade linda de viver.

TÊM MUITO A ENSINAR
Conhece como poucos, os segredos da floresta, os bichos, a sua importância (os seus hábitos…) e, as árvores pelos seus respectivos nomes.
Um homem de muitos conhecimentos, saberes e ensinamentos que poderão ser repassados a quem de interesse desejar. — Coisas que jamais se saberá nos bancos escolares, nas graduações afins, que se faça. — Num resumo: o Hermógenes na sua vivência mateira e urbana ao mesmo tempo, têm muito a ensinar.

Um trabalhador rural muito simples, receptivo, amigo dos amigos, que gosta de estar em cima do seu direito. Um guardião solitário, fiel nas suas convicções; no cuidado com o ambiente em que vive com às plantas, árvores, floresta e bichos…

NAS LUTAS…
Nas lutas já pensou em desistir, deixar tudo, ir embora, mas a fiel companheira, a dona Dinalva, entra pelo meio e bota abaixo os seus planos… Não há de ter um lugar melhor para este homem estar, viver a não ser aos pés da Serra das Almas. Além da família, esse cantinho da NATUREZA ainda depende muito dele; da sua presença, carinhos, cuidados, amor…

PARECE QUE OUVI ISSO:
Provável deu ter ouvido do Hamiton ou Ivan, a frase que não esqueço; extensiva à comunidade local (dita no potente microfone da radio que trabalhavam):

“Campos Belos precisava de mais pessoas como o Hemorgenes”.

O ÓLEO MAIS SAUDÁVEL
No início deste ano de 2021, o visitei; como um bom maranhense que sou comprei o litro do óleo mais saudável que temos. Que ele aprendeu a extrair das amêndoas do cocô-babaçu! Coletados às margens do Rio Bezerra, Rio Gameleira...

UMA NOBRE MISSÃO
São muitas décadas que acompanho o seu trabalho junto à natureza; agora sabedor um pouco mais dessa área, vivo encantado com a sua tamanha determinação em defendê-la.

Torço por saúde e vida longa a ele, para que cumpra na íntegra a sua tão nobre missão!

UMA DÍVIDA DA CIDADE
Há mais de 35 anos que trabalha na manutenção da cobertura vegetal do lugar que escolheu a viver. — A dedicar o seu carinho na preservação das espécies arbóreas e animais (flora e fauna) é algo impagável.
Desmintam-me quem quiser, mas Campos Belos têm uma dívida histórica de gratidão com este ambientalista de paixão. — Bem como à sua família, que lhes dá o suporte necessário a sua sobrevivência, ao enfrentamento dos desafios da vida.

O QUE EU JÁ DISSE
Numa legenda fotográfica de nós dois, junto à reserva que cuida, escrevi.
“Um dia este homem (de enorme coração), há de ser reconhecido, por alguém pelo seu trabalho de amor ao meio ambiente”.

*Nemilson Vieira de Morais
Gestor Ambiental/Acadêmico Literário. (22:02:21)

Nemilson Vieira de Morais

Enviado por Nemilson Vieira de Morais em 23/02/2021
Reeditado em 24/02/2021
Código do texto: T7191607
Classificação de conteúdo: seguro

Imagem: arquivo do autor
Nemilson Vieira de Morais
Enviado por Nemilson Vieira de Morais em 23/02/2021
Reeditado em 25/02/2021
Código do texto: T7191607
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Nemilson Vieira de Morais
Ribeirão das Neves - Minas Gerais - Brasil, 62 anos
168 textos (1545 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/04/21 02:26)
Nemilson Vieira de Morais