Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Áudio
PERDOA-ME
Publicado por: JB Xavier
Data: 21/04/2014
Classificação de conteúdo: seguro
Créditos:
JB Xavier & Fernanda Guimarães

Voz: JB Xavier

Música: Silêncios
Enviar por e-mail
Denunciar

Texto

PERDOA-ME
JB Xavier & Fernanda Guimarães


Perdoa-me por derramar-me dos teus versos
Quando minha poesia eras tu
Ou quando me esculpias apenas fantasia,
E te fazias fantasia em meus sonhos,
Envolta nas transparências dos teus desejos...
 
Tentei transformar-me
Em todas as realidades que os desejos envolveram,
Apenas para ver
Que cometemos o pecado de tentarmos ser reais
Quando sabíamos
Que a única realidade que existe, é o sonho,
Em cujo universo deveríamos ter mantido o beijo.
 
Perdoa-me por tentar ser real
Enquanto teus olhos suspiravam pelo sonho
E te aprazias somente o adiar da realidade.
 
Perdoa-me
Por afagar os teus olhares,
Eu, que conhecia tua escuridão,
Ainda que não soubesses das tuas trevas...
Em ti despi a ternura das minhas digitais
E aos poucos vesti a tua pele,
Abandonando a minha própria,
Na renovação do sonho de ti, que me domina...
 
Não esperes de mim saídas honrosas
Porque eu não saberia fazer sorrir a dor
Quando a emoção desconhecida do adeus
Acariciar-me o peito e trespassar-me a alma,
Nem me permitiria sobrepor ao medo
Às dúvidas borradas de incertezas
Que me ensinaste com o teu vivenciar

Perdoa-me
Pela simplicidade da ausência de disfarces,
Pela  inexistência  de máscaras
Por ser sempre presença,
Ainda que apenas em tua saudade...
Decidi seguir estradas sem atalhos para chegar a ti,
Caminhando teus percursos,
E porque  fiz de ti minha certeza,
Ignorando quando me falavas de dúvidas,
Já não tenho atalhos para o regresso...
Perdoa-me por fazer deste fracasso minha vitória,
Por me condenar a seguir sem ti,
Preferindo ter nossas pegadas reluzindo
No horizonte das estrelas
A ver a solidão do meu olhar sem lembranças

Perdoa-me pelas minhas mãos
Que seguem tateando nessa escuridão, que outrora foi tua,
Em busca de ti, única luz capaz de me resgatar de mim...
E ainda que adormeças em tuas tormentas,
Ou que penses tê-las deixado todas no passado,
Perdoa-me por permanecer como teu presente,
Pois me dei a ti completamente...
E mesmo agora que te ausentas de mim,
Sigo ecoando pelos corredores dos teus silêncios,
porque sei que na tua história
Terás que escrever também meu nome
 
* * *
JB Xavier
Enviado por JB Xavier em 21/04/2014
Reeditado em 21/04/2014
Código do texto: T4776968
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
JB Xavier
São Paulo - São Paulo - Brasil
1128 textos (192736 leituras)
51 áudios (19344 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/11/19 18:12)
JB Xavier

Site do Escritor
Rádio Poética