Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Com vacina, escola sim, abrimos a escola. -- Fiocruz e Butantan solicitam uso emergencial de vacinas contra Covid à Anvisa; Defensoria pede adiamento do Enem; Trump diz que não vai à posse de Biden

[21:00, 07/01/2021] Jose: Caros amigos professores, a situação é lastimável, triste e irreversível nesta expansão do Covid-19.

JOSÉ (NOME ACIMA)
OU O MESMO  J B Pereira
Professor e Evangelizador
07/01/2021

https://web.whatsapp.com/


 Acima, documentário reportagem da Globo: Brasil chega a 200 mil mortos e apresenta 5 casos de pessoas que lamentam a morte de entes familiares.

Diante disso: a vacinação ainda é jogo-cínico dos governos, preocupados mais com sucesso presidencial que com a vida da população brasileira; querer a volta as escolas sem a vacina é abrir uma porta a mais ou motivo para tríplice boom ou maior contaminação do covid ( escola não é lugar de mais mortes por incompetência e negacionismos ou omissão das autoridades. Assim, vão nos jogar uns contra os outros: nós não somos cúmplices do que poderá acontecer se o Covid-19 aumentar e matar mais. Eles nos obrigam a trabalhar sem vacina, isso é a condição sem a qual não temos condições de trabalhar tranquilos.).

 Obs. 1 : Nos países desenvolvidos, refecharam as escolas depois de novas contaminações.


Obs. 2: As escolas no Amazonas, depois de livre funcionamento tiveram na primeira vez 22 professores contaminados.

Por sermos de São Paulo, não somos superiores que outros seres humanos. Morreremos por omissão dos governos federal, estadual, municipal e, tardiamente, obrigar vir às escolas sem a  vacinação, direito básico às vidas de todos ?

 -----  Por que só, em 1° março (1a. dose e 2a dose em 22 de março de 2021), os professores serão vacinados ?

---- E por que não são do grupo
Prioritário para os políticos ?

----- E como querem as famílias e/ou autoridades maiores que fiquemos a cuidar de crianças, adolescentes e jovens, correndo todos graves riscos de vida ( = de morrer), sem a vacina contra o Covid-19. Pense nisso!!! Sempre deixam os professores para depois, falam de tudo, menos sobre nossas vidas e condições de trabalhar agora ( se exigem fiquem em casa etc.) ? ---

Coragem, precisamos nos unir!
Não podemos retornar sem vacina.
As mídias falam todos os dias e mostram mapas e gráficos da subida de contaminados do Covid-19.
E o que isso nos impacta ?
A escola não é só de responsabilidade da Direção e. Coordenação, só de pais...
Sem professores não tem escola a funcionar.

Tem vai se contaminar na sala: os professores, os alunos e funcionários da escola. Porque o Covid-19 aumenta e não cansou de matar.
[21:31, 07/01/2021] Jose: Piracicaba SP é a mais com mortos depois de Campinas.

 Veja EPTV.

 Os pais, prefeitos, vereadores, políticos, governadores e nem o Balsonaro vão lecionar no nosso lugar.

[21:33, 07/01/2021] Jose: Então, somos relevantes e merecemos respeito e atenção nesse período de distanciamento social, o Covid-19 mata como tiros de assaltos e armas de guerra.

Isso não é brincadeira! Sem vacina, sem escola.

Votamos contra, para não jogar a culpa nos diretores.

 Omissão não!

Podemos e precisamos lecionar com saúde e segurança.

[21:36, 07/01/2021] Jose: Somos mais fortes do que conselhos de Educações e o MEC atualmente, sem ver o real sentido da saúde na escola.

O Secretário Estadual de Educação diz que vai ver o calendário sim, mas conforme equipes do Ministério estadual de Saúde.

 Isso é bom, prudente e ético, desde que a vacina nos chegue antes de entrar em sala.

Não queremos ser contaminados e morrer, depois de esperar desde 20 ou 23 de março de 2021.

Pazuello ministro da saúde não tem pressa. Dória ainda vai vacinar conforme grupos de risco, mas os professores só em março serão vacinados.

Por que exigem pressa de nós todo mundo e nem todo mundo está na sala a correr risco de contaminar?

Argentina e Chile já começaram a vacinar.

As autoridades daqui não decidem rápido... Querem de sejamos rápido, por quê ?

O profissional de ensino é o termômetro e a consciência ética e crítica do povo: deve pensar antes de agir. Ser prudente antes de trazer a culpa de Covid-19 e mortes para si, seus familiares e seus anos, embora até famílias desejem já filhos na escola.


 Se a escola tivesse com laje caindo ninguém entraria nela. Isso é real e visível. Mas, há quem não vê o Covid-19 e seu efeito mortal, aí deduzem podemos abrir a escola. Para quê? Para morrer! Para a laje- Covid-19 cair sobre nós Professores e nossos alunos?
Entraremos porque as autoridades dizem ser a hora de entrar? E estas autoridades não estão lá quando a laje cair (metáfora ou comparação) ou Covid-19 nos atingir!

[21:49, 07/01/2021] Jose: Sem vacina, escola não!

Com vacina, escola sim, abrimos a escola.

J B Pereira
Professor de LP e Evangelizador Católico

_____________________


g1@newsletterg1.globo.com aos seus contatos.

Caso não esteja visualizando corretamente, clique aqui.


RESUMO DO DIA
Sexta, 08/01/2021
 

Boa noite,

Na corrida pela imunização, Fiocruz e Butantan pedem à Anvisa o uso emergencial de duas vacinas contra a Covid, a de Oxford e a CoronaVac. E o vírus avança: Brasil registra o maior número diário de mortes pela doença desde agosto. A Defensoria Pública da União pede o adiamento das provas do Enem. Nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump diz que não vai à posse do democrata Joe Biden.

Eu sou Stephanie Rodrigues, editora do G1, e esses são alguns destaques desta sexta-feira até agora.
Butantan e Fiocruz pedem à Anvisa uso emergencial de vacinas contra Covid
A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) entregou nesta sexta à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o pedido de uso emergencial do imunizante contra o coronavírus desenvolvido pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. Importado pelo laboratório Serum, sediado na Índia, o pedido vale para 2 milhões de doses. Em carta ao primeiro-ministro indiano, Bolsonaro pediu a antecipação urgente do envio; leia na íntegra.

Mais cedo, a Anvisa já havia recebido o pedido do Instituto Butantan para uso emergencial da CoronaVac, fármaco produzido em parceria com o laboratório chinês Sinovac, com eficácia comprovada de 78%  para casos leves. O pedido se refere a 6 milhões de doses que já chegaram da China. Segundo a Anvisa, o prazo para a análise dos documentos é de dez dias; saiba como funciona.
Vídeo: especialista demonstra com desenhos a eficácia de vacinas
CoronaVac: o que se sabe sobre a vacina do Butantan até agora
Pfizer diz que ofereceu 70 milhões de doses ao governo brasileiro em agosto
➖ Panorama Covid
No dia em que São Paulo registrou aumento de 61% na média diária de mortes por Covid, o governo estadual alterou as regras para tornar a fase laranja mais permissiva. Foram liberadas atividades  como salões de beleza e academias em quatro regiões: Sorocaba, Presidente Prudente, Marília e Registro. O restante do estado foi mantido na fase amarela. No Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes informou medidas específicas para determinadas regiões da cidade, adotadas a partir do mapa epidemiológico. Dezoito bairros cariocas têm risco alto de infecção; veja lista.

Segundo dados do consórcio de veículos de imprensa, foram registradas 1.379 mortes nas últimas 24 horas, o maior número desde agosto. Desde o início da pandemia, o Brasil contabilizou 201.542 óbitos e 8.015.920 casos, com 84.977 desses confirmados no último dia. Veja a situação do seu estado.
Teste de saliva é opção mais barata ao PCR; entenda
Qual máscara é a melhor? Pesquisa compara 14 tipos e mede proteção
Mutação
O Instituto D'Or de Ensino e Pesquisa e o Hospital São Rafael, em Salvador (BA), detectaram um novo caso de reinfecção de uma mutação do coronavírus. Ela é equivalente à que foi encontrada na África do Sul , também com maior capacidade de infectar. A paciente é uma mulher de 45 anos, moradora da capital baiana e sem registro de comorbidades, mas com sintomas mais severos comparados aos da 1ª contaminação; leia mais detalhes.
Vacina da Pfizer é eficaz contra mutações, indica pesquisa preliminar

Imunização no globo 💉
Enquanto enfrenta a fase mais grave da pandemia, o Reino Unido aprovou o uso emergencial da 3ª vacina contra a Covid, a do laboratório norte-americano Moderna. O país já vacinou 1,5 milhão de pessoas com o fármaco da Pfizer/BioNTech e com o desenvolvido pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca. Hoje, dois recordes foram registrados: maior número de mortes e de casos. Os britânicos ocupam a 4º posição no ranking de vacinação. No mundo, mais de 17 milhões de imunizantes foram aplicados; veja quais países lideram.
(📷: Reuters/Eduardo Munoz)
Sem trégua
Os Estados Unidos registraram mais uma triste marca: 4.085 vidas perdidas para a Covid em um único dia. O país é o mais afetado pelo coronavírus, ultrapassando 365 mil mortes e com 21,5 milhões de infectados confirmados desde o início da pandemia.

No combate ao vírus, a Suécia mudou sua legislação para conceder temporariamente ao governo o poder de adotar medidas de restrição contra a doença, como o fechamento de lojas e centros comerciais.
Florestas em perigo
Segundo dados do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), 2020 foi o segundo pior ano de desmatamento na Amazônia Legal desde 2015, com um total de 8.426 km². O mês de julho foi o período com mais alertas no ano e dezembro teve um aumento de 14% em relação ao ano anterior. O índice ficou abaixo apenas do recorde histórico de 2019, com 9.178 km² alertas. Já em 2018, o número foi de 4.951 km²; veja o gráfico.

Tradição centenária
Antes de ser banido do Twitter, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, informou que não participará da posse de Joe Biden, marcada para o dia 20 de janeiro. Na véspera, após a certificação da vitória do democrata nas eleições, o republicano reconheceu pela primeira vez que deixará a presidência e 'prometeu uma transferência suave e ordeira'.
FBI prende extremista fotografado no gabinete de Nancy Pelosi

Bandeira bolsonarista
Quase 180 mil novas armas de fogo foram registradas pela Polícia Federal em 2020, um recorde influenciado pelas medidas do governo Jair Bolsonaro que facilitaram o acesso a armamentos. Ao todo, 179.771 novas armas foram registradas, contra 94.064 em 2019 — um aumento de 91%. É o maior patamar da série disponibilizada pela instituição, que começou em 2009. Especialistas em segurança pública consideram que a alta reflete a constante defesa da família Bolsonaro a favor de que pessoas comuns se armem.
(📷: Thomas Def/Unsplash)
Vestibular na pandemia ⚠
A Defensoria Pública da União pediu à Justiça Federal de São Paulo o adiamento do Enem. A medida, feita em tutela de urgência, é motivada pelo avanço da pandemia do coronavírus no país. Ontem, o Brasil chegou à marca de 200 mil mortos pela doença. Com 5,78 milhões de candidatos confirmados, o Enem está marcado para os próximos dias 17 e 24 de janeiro.
Unicamp libera gabaritos oficiais da 1ª fase; veja respostas

Tem 5 minutos?
E se os manifestantes fossem negros? Teria acontecido a mesma coisa? O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, comparou o aparato de segurança empregado em junho, durante os protestos antirracistas organizados pelo movimento Black Lives Matter (BLM, na sigla em inglês), e nesta semana, no Capitólio. A diferença da força policial empregada nos dois episódios gerou controvérsia; veja fotos.
(📷: Getty Images/BBC)
Polícia do Capitólio rejeitou ajuda federal três dias antes da invasão

OUTROS QUINHENTOS 📉
31,6% foi a queda na produção de veículos no Brasil em 2020, pior resultado desde 2003, segundo dados divulgados pela Anfavea, a associação das fabricantes. As exportações caíram 24,3%, e o número de empregos, 4%. Para 2021, as previsões são 'conservadoras', com crescimento de 25% na produção.
Novo recorde: Bovespa fecha acima dos 125 mil pontos


A BOA DO DIA 👀
Vem aí o Big dos Bigs! E o G1 traz spoilers: divididos em dois grupos, Pipoca e Camarote, os inscritos e os convidados entrarão na disputa pelo prêmio de R$ 1,5 milhão no dia 25 de janeiro. Serão 100 dias de game, diversão e fogo no parquinho. Provas de resistência, Bate Volta, Big Fone e #FeedBBB turbinado (vai dar match?) confirmaram presença na próxima edição; assista ao vídeo.
(📷: Gshow)

O ASSUNTO 🎧
O dia em que Donald Trump incitou uma turba a invadir o Congresso foi seguido pela ratificação da vitória do democrata Joe Biden por deputados e senadores. Mas os eventos da quarta-feira em Washington continuam a reverberar. No episódio #364, para avaliar as consequências que vão além do prazo de validade do atual governo, Renata Lo Prete conversa com o cientista político Houssein Kalout.

 g1@newsletterg1.globo.com

Cancelar recebimento    |    Termos de uso


Este é um e-mail automático. Se quiser falar com o G1, clique aqui.


Para garantir que nossos e-mails cheguem em sua caixa de entrada,
adicione g1@newsletterg1.globo.com aos seus contatos.

Caso não esteja visualizando corretamente, clique aqui.
GLOBO COMUNICACAO E PARTICIPACOES S A,

AV. DAS AMÉRICAS, 700, RJ, RIO DE JANEIRO, RJ, 22640100, Brasil
g1@newsletterg1.globo.com
Enviado por J B Pereira em 09/01/2021
Reeditado em 09/01/2021
Código do texto: T7155870
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2752 textos (1546127 leituras)
35 e-livros (505 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/02/21 10:02)
J B Pereira