Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eu já fui algumas vezes para os Estados Unidos e nunca tive um pedido de visto negado. Bem recentemente, meu visto expirou e eu voltei a passar pelo mesmo processo de sempre, que atualmente tem mais uma etapa (o CASV) e mais uma vez fui entrevistado, foi rápido, e foi aprovado. Sabe qual o segredo?
 
Muito simples!
 
Preste bem atenção e faça como eu fiz para ter o seu visto de negócios e turismo aprovado, sem precisar recorrer a coiotes, assessores, sem precisar de fórmulas mágicas ou conselhos de pessoas más intencionadas.
 
Eu já escrevi mil vezes e vou voltar a fazê-lo. Se você ver um desconhecido pulando o muro da sua casa, o que você faz: manda ele entrar e o convida para um café, ou chama a polícia? – Com o imigrante ilegal que tenta entrar nos Estados Unidos é a mesma coisa. O “Estado” não chama a polícia, porque ele é a polícia e quem viola as regras, querendo entrar à força, é preso.
 
Mas e se o desconhecido tocar a campainha da sua casa e lhe pedir para entrar? Após ouvir do desconhecido o motivo da visita, você tem duas opções; uma é mandar-lhe à merda, a outra é deixa-lo entrar, após se convencer das suas intensões, exatamente como faz o Departamento de Estado dos Estados Unidos quando recebe os pedidos de visto, seja ele qual for. Isso quer dizer que o argumento do desconhecido precisa ser muito convincente para que você abra a porta da sua casa, não é verdade?
 
Mas e se o Roberto Carlos, a Xuxa ou o Luciano Huck chegar na sua casa e pedir para entrar? – Claro que sem pestanejar e com muita alegria, você não só abre a porta, como lhes servem o melhor da dispensa, bem como pedem para eles ficarem mais tempo! Também é assim que age os Estados Unidos quando alguém de renome solicita entrada.
 
Entrar nos Estados Unidos de forma legal, consentida, não é diferente de alguém entrar em nossa casa. O Visto é um CONSENTIMENTO transitório de fiança de visita, que pode ser permanente, dependendo do caso. Mas então, porque é que tanta gente tem visto negado?
 
Milhares e milhares de pessoas ao redor do planeta querem entrar nos Estados Unidos. A maioria quer ir lá para fazer turismo, gastar dinheiro com compras, registrar tudo e voltar para casa. Outros querem estudar, fazer pesquisas. Outros querem ter acesso ao tratamento médico de ponta. Todas essas pessoas dependerão de dinheiro, e os Estados Unidos da América quando se convencem de que elas podem pagar por suas despesas, autorizam imediatamente seus Vistos, sem nada ou com pouca burocracia, dependendo mais uma vez caso a caso.
 
Tem outras pessoas que querem trabalhar! Pessoas boas, bem-intencionadas, descentes, que querem ganhar um dinheiro a mais para darem conforto às suas famílias e a elas próprias. Nesse caso os Estados Unidos começam a ficar preocupado por várias razões, e a principal delas é: como se manterá esse imigrante, se ele não tem documentos nem entendimento jurídico? E se algo der errado, como esse imigrante saberá se virar em terras estranhas, onde a justiça é mais severa?
 
Eu não vou nem falar do sujeito mal-intencionado que quer, porque quer, migrar para os EUA, para fazer maldade, por essa classe é uma desgraça e não merece maiores discussões...
 
Quando a coisa aperta em muitos países o povo sofrido pensa logo em ir para os Estados Unidos para trabalhar, e isso é admirável, com pitadas de muita honra, mas quando ele começa investigar que o Governo americano dificulta, com razão, a aprovação de visto para a maioria dessas pessoas, ele começa a arquitetar um modo de camuflar a sua real situação, e é nesse momento que muitos têm seu visto negado!
 
Quando o sujeito quer ir embora para trabalhar, ele lê todo tipo de ardil, assiste todo tipo de bobagem nos canais de redes sociais, fica admirado com uma gente sórdida que se diz ‘assessor’, obviamente pagando alguns dólares pelo serviço, e é aí que ele ‘se estrepa’ na hora da entrevista!
 
Vamos começar do começo, pela aplicação online do visto (DS-160) na página da Embaixada dos Estados Unidos. Não é ilegal pedir ou pagar pela ajuda para preencher o formulário, mas fica aqui uma dica importantíssima: estude cada pergunta e prepare-se para responde-las com clareza e firmeza. Esse é meu primeiro conselho!
 
A primeira parte do formulário são perguntas pessoais simples. Nome completo, local e data de nascimento, número de documento brasileiro, endereço, telefone, e-mail, número de passaporte válido. Simples, não é? Para muitas pessoas não é! Então seja verdadeiro...
 
A segunda parte do formulário é talvez a mais importante! O tipo de visto que você vai aplicar, se você tem planos específicos para a sua viagem, o Governo quer saber TUDO que você planejou, mas tudo mesmo, nos mínimos detalhes. Quando vai, onde ficar, com quem vai falar, o que vai fazer, quanto tempo vai ficar, e se você já foi alguma vez.
 
Você pode também informar que ‘não tem planos específicos’. Que quer o visto por precaução, pois numa eventual oportunidade, viajará sem as complicações e contratempos. Ninguém é obrigado a informar seus planos de viagem, sobretudo se eles não existem de fato, mas acredite; a cultura estadunidense é outra, e nesse caso, quem você é, o que você faz para viver, e quanto você tem na conta bancária, será decisivo para a obtenção de um visto sem planos de viagem!
 
Quando os seus planos de viagem são específicos o Governo dos EUA quer saber de tudo, e cada detalhe pontua contra ou a favor da resposta para o seu pedido. Eu sugiro que você fale sempre a verdade! Que a sua passagem já esteja comprada, hotel e carro reservados, e um roteiro bem elaborado para se for preciso de mais detalhes na hora da entrevista. Isso faz parte da terceira etapa do formulário.
 
A quarta etapa do DS-160 é uma colcha de retalhos entre ONDE VOCÊ vai visitar, quem o receberá (pode ser empresa), e algumas informações pessoais como nome de pai, mãe, cônjuge e local do seu trabalho, além de uma declaração pessoal do que você faz no seu trabalho. Nessa etapa você tem que falar onde estudou, qual curso frequentou e o endereço da sua universidade, obviamente se houver uma. As línguas que você fala, e os países que já visitou nos últimos 5 anos. O Governo dos EUA quer saber se você é um filantropo, se faz parte de alguma entidade de ajuda ao próximo, e se você é um mal caráter, se possui doenças infectocontagiosas, se faz parte de gangs, dentre outras coisas análogas!
 
Não pense que a quarta parte é bobagem! Se seu pai, mãe ou cônjuge mora nos EUA, sua visita está comprometida. Amigos muito próximos também são motivos de negativa, mas o que mais reprova são empresários recentes, que nunca declararam renda, que acham que podem enganar cônsules analistas. As perguntas são elaboradas para que os que respondem a verdade sejam analisados com simplicidade, e os que mentem, sejam reprovados!
 
Volta e meia uma pessoa que fala a verdade, tem condições de pagar pelos seus gastos e laços fortes no Brasil para voltar é reprovado. É muito difícil, mas acontece! Já os que mentem, forjam documentos, fazem falsas declarações, esses na maioria dos casos são reprovados, e isso ocorre tão facilmente, porque o Governo dos EUA possui mecanismos tecnológicos de cruzamento de dados e pessoal de inteligência que sopesa dia e noite, todos os casos suspeitos!
 
Fuja léguas dos ‘assessores’! Não existe assessoria para Visto americano, e quem se apresenta assim é PICARETA, estelionatário! No máximo as pessoas podem te auxiliar no preenchimento das solicitações, e nada mais...
 
Nunca dê atenção a quem promete vender visto! Em tantos anos de viagem, EU NUNCA OUVI FALAR DE QUEM VENDE VISTO, a não ser Visto Falso, que vai te dar cadeia ou no Brasil ou nos EUA, e se isso acontecer, você estará ferrado por muitos anos...
 
Preencha o seu formulário DS-160 e fale a verdade! Vai imigrar para trabalhar, procure ter do seu empregador uma carta de apresentação. Não invente nada, não falsifique documentos, não dê ouvidos a estelionatários que prometem facilidades.
 
Se você é uma sumidade numa profissão, a sua probabilidade de migrar legalmente é enorme, e se não for, acredite; não é a hora de migrar! Existem milhares de casos de sucesso, sim; mas procure saber como esse sucesso ocorreu, como ele foi construído e quanto tempo ele precisou entre padecer e comprazer-se.
 
Quem almeja os Estados Unidos como moradia, na maioria dos casos enxerga um carro usado barato, ou morar numa casa onde se pode usar de tudo, comprar de tudo a preços baixos (lá). O imigrante ilegal não imagina o quão é difícil obter contratos, guardar dinheiro, enviar dinheiro, sobreviver e sentir-se razoavelmente tranquilo.
 
Com esse relato eu quero TENTAR ajudar as pessoas a não se incumbirem em equívocos, evitarem transtornos judiciais aqui e lá! Com esse relato eu quero encorajar mais pessoas a irem aos Estados Unidos, assim como eu fiz a primeira, a segunda e todas as outras vezes, mas que o façam de modo legal, respeitando as Leis de lá, para que suas estadias sejam PRAZEROSAS, e nunca desastrosas!
 
Me perdoem os que tentam imigrar sem nexo, razão e legalismo, mas quem tenta penetrar na casa alheia com inverdades, francamente, não merece continuar nela! Portanto, se você vai como turista, organize-se, fale a verdade e curta a sua estadia como passeante; mas se você está aplicando para uma classe e desviar-se dela, as consequências podem ser infelizes quanto a resposta da sua petição, ou ainda da sua permanência ilegal! Não há poesia nos casos de imigração ilegal, porque quem o pratica, entra na mesma classe dos terroristas, traficantes de pessoas e drogas.
 
O Visto de Estudante é muito simples de se obter, basta que você comprove que pode pagar pela escola em que vai estudar, pelos seus custos pessoais durante sua estadia, sem direito a trabalhar enquanto estiver lá, mas tem muita gente com aptidões extraordinárias e energia corpórea, que consegue estudar 40 horas por semana (mínimo exigido pela manutenção do visto), e ainda tem ânimo para um trabalho de curta duração. É o que se pode chamar de ‘meio’ legal!
 
No resumo da história, morar nos Estados Unidos da América pode ser glamuroso para alguns, extenuante para outros, mas para ambos os conjuntos, é um sonho que depende de boas e sensatas noites de sono; e acaso você almeje tanto esse sonho a ponto de desviar-se de algumas regras de conduta, sugiro que leia e estude sobre as consequências que isso pode te trazer!
 
Mas se você deseja ir e não ficar, a única fórmula certa e viável para ter o seu visto aprovado é: planeje tudo nos mínimos detalhes, fale a verdade e curta sua estadia no país de tantas vertentes culturais que mais parece o Mundo...
 
Agora eu estou aqui nos Estados Unidos da América. Programei minhas férias para ficar mais de 30 dias e aí vai minha última dica: via de regra a sua permissão legal, como turista, é de 06 (seis) meses. NUNCA ULTRAPASSE ESSE PERÍODO, ou então seu nome estará numa lista de suspeitos fortes de imigração!
 
Se precisar de alguma informação que não esteja listada, conte comigo!
Imperador Dom Henrique I
Enviado por Imperador Dom Henrique I em 12/07/2019
Código do texto: T6694241
Classificação de conteúdo: seguro

Sobre o autor
Imperador Dom Henrique I
Las Vegas - Nevada - Estados Unidos
1058 textos (1569245 leituras)
41 áudios (4377 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/09/20 02:58)
Imperador Dom Henrique I