Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Como ser paciente

Ocaso de a alegria ser uma extensão do amar covalente, o amor pelo próximo é uma dádiva de amor sereno do coração humano. A tempestade de ventos do agir é ser preponderante em seus desígnios interiores e ser chamada a conversão na fé que se estimula cada arte neste plano terrestre. Coração enraizado na temeridade de se querer no bem. Somos pacientes no hospital e na vida normal com característica sedentária muitas vezes. Com coração aberto as virtudes pessoais o amor pelo próximo se destaca na imensidão de um Pai Eterno bom e benfazejo. Coragem de fazer o amor e o bem o homem acaba se indagando em coisas irreais ou imaginárias. O cosmo de nossas venturas que se destacam na vida humana é coligar a presença de ser paciente no mundo e com ações esperar uma resposta em vida e em Deus. O som da paz é ser coração. A vertente de se querer o bem é anestesiar nossas mentes com coisas boas e saudáveis e sermos sedimentos de amores certos e verdadeiros em nossos espaços sociais. A crise de paciência que se gera e fere a humanidade é crível. Corações que leem nossas vidas pessoais são intercalados com suas noções varonis. Perdão e caridade são irmãos gêmeos na paciência de que a fé remove montanhas na face amada de Deus. O presente mais lindo dado a nós é a realidade da paz que concerne para entente paz e o amor ao próximo. Somos melhores rezando o amor que presenteia o aspecto tudo o sacia de seu manjar de alegria, momento certo e fugir do erro acertando muito e sempre em nossas alegrias interiores, sentimentos nobre e lindamente feitos um para o outro. A paciência se mostra como vertente de um amor conivente e sério. O corpo passa dormente em seu solilóquio particular, ou seja, a sua mente. Somos alvejados todos os dias com a paciência em um hospital e sermos paciente um com os outros no ditame pessoal e interdependente. A chama de amores que rejuvenescem nossos átrios é chagar de versos doces e nobres passar o tempo de evidencia em ser um bom paciente para ter-se uma boa futura alta do hospital. Quando nos tratamos para sair do coma de impessoalidades incerta e demorada o amor pelo paciente querer sair logo desta redoma é prevalecer no coração bem tratado, no amor sincero e na flamula correta. Hastear a bandeira da boa saúde é anestesiar os momentos tristes e transformá-la em dons do bem. Com coragem irreversível de se querer o bem a fazer ao bem para o paciente é tudo de mais honesto e sensível que existe. A paciência alegra a alma voltada ao ventre materno da humanidade e do coração bom e benfazejo. Nutrindo a elegia e alegria, dotados de todos os momentos bons e sedimentados, a paciência é o carro chefe da paz. Como o serviço de se sentir bem é exato e certo o que concerne um bom argumento e provérbio verdadeiro: a paciência é a mãe das virtudes e esposa do amor verdadeiro. Mestre da paz, a paciência é o coração que bate forte aqui e bate forte lá, quando se quiser ela conhecer.
Gumer Navarro
Enviado por Gumer Navarro em 02/08/2019
Código do texto: T6710878
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gumer Navarro
São Paulo - São Paulo - Brasil, 36 anos
1236 textos (4409 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/19 21:56)
Gumer Navarro