Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gastrite em gatos - sintomas, causas e tratamento
Por Aline Nunes. Atualizado: 28 maio 2018
Gastrite em gatos - sintomas, causas e tratamento
 
A gastrite é uma das doenças gastrointestinais mais comuns entre os felinos domésticos. É caracterizada por uma inflamação da mucosa gástrica que pode ser aguda ou crônica. A gastrite afeta os gatos de todas as idades, sejam eles mestiços ou de raça definida, no entanto, é mais frequente em felinos que viviam nas ruas antes de serem adotados. Embora os diagnósticos de gastrite não sejam fatais, eles exigem atenção veterinária rápida, para estabelecer o tratamento adequado e evitar o agravamento dos sintomas.
Neste artigo, o PeritoAnimal resume os principais sinais da gastrite em gatos, para ajudar você a reconhecer, com antecedência, se o seu gato está padecendo deste problema. Confira as principais causas e formas de evitar esta patologia, preservando a boa saúde e o bem-estar do seu animal de estimação.
 
Gastrite nos gatos: causas e fatores de risco
Em geral, os sintomas da gastrite aguda estão relacionados a hábitos alimentares inadequados, como o consumo de alimentos em más condições, substâncias tóxicas (inseticidas, medicamentos, plantas tóxicas, produtos de limpeza, pesticidas, etc.) e fezes de outros animais. O consumo excessivo de alimentos, a formação de bolas de pelo e a ingestão de corpos estranhos (plásticos, brinquedos, etc.) também representam um sério risco ao bom funcionamento do aparelho digestivo dos felinos.
Entretanto, a gastrite também pode aparecer como um sintoma de outra patologia subjacente, como infecções bacterianas ou virais, problemas renais ou hepáticos, alergias alimentares e câncer. Por outro lado, os parasitas intestinais também podem causar inflamação severa na mucosa intestinal.
Os felinos que mantêm uma dieta desequilibrada, com base em alimento de baixa qualidade ou consomem
alimentos proibidos ou inadequados (como comidas condimentadas, oleosas ou apimentadas), são mais vulneráveis às patologias gastrointestinais. Além disso, o estresse aparece como um importante fator de risco para gastrite, bem como o consumo excessivo de antibióticos.
A inflamação na mucosa gástrica piora quando não é tratada de forma rápida e adequada, dando origem a uma gastrite crônica. Nestes casos, observamos os danos, tanto no estômago, como na flora bacteriana do intestino.
 
 
Gastrite em gatos - sintomas
Geralmente, os primeiros sintomas da gastrite são: dor intensa ou desconforto na parte superior do abdômen, acompanhados pela sensação de azia, principalmente após as refeições. Como os nossos gatinhos não expressam dor ou indigestão, com clareza, estes sintomas podem passar despercebidos.
Com o avanço da inflamação, aparecem os sintomas mais característicos da gastrite. Nesta fase, o seu gatinho pode apresentar os seguintes sinais clínicos:
  1. Vômito: na gastrite aguda, o animal apresenta vômitos súbitos e frequentes, que podem conter sangue biliar, fresco ou digerido. Já na gastrite crônica, o vômito é grave e persistente, podendo ser acompanhado de sangue e bile. O vômito com a bile tem uma cor amarela ou verde. O sangue fresco dá ao vômito uma cor vermelha ou marron-avermelhada, enquanto o sangue digerido aparece na forma de grãos escuros ou nódulos.
    Alteração nas membranas mucosas: se a gastrite do animal é derivada do consumo de alguma substância tóxica, as suas membranas mucosas podem parecer amareladas como um sintoma de intoxicação. Além disso, em casos de uma gastrite mais grave, as membranas mucosas são geralmente pálidas, graças à perda de sangue.
Outros sintomas de gastrite em gatos:
  • Perda de apetite e peso
    Desidratação
    Diarreia
    Fraqueza e letargia
    Salivação excessiva
    Sangue nas fezes
Gastrite em gatos - sintomas, causas e tratamento - Gastrite em gatos - sintomas
Diagnóstico de gastrite em gatos
Se notar algum dos sintomas mencionados no seu gato, deve levá-lo rapidamente ao veterinário de sua confiança para ser analisado detalhadamente pelo profissional. Ele poderá solicitar os exames clínicos necessários para verificar o estado de saúde do seu animal e descartar a presença de corpos estranhos no trato digestivo. Se você suspeitar de gastrite crônica, o veterinário poderá solicitar uma biópsia da mucosa gástrica.
 
 
Tratamento de gastrite em gatos
Depois de confirmar o diagnóstico da gastrite, o tratamento dependerá fundamentalmente da causa e do progresso da patologia no organismo de cada animal. Se a presença de um corpo estranho no estômago é identificada, será essencial removê-lo através de um procedimento cirúrgico.
Na gastrite aguda leve, suspender a comida por um certo tempo (de 12 a 48 horas) e limitar a ingestão de água, pode ser eficaz no alívio da inflamação e no alívio da má saúde. Durante a recuperação, será essencial alimentar o seu gato, várias vezes ao dia, sempre oferecendo uma pequena porção de alimento por vez.
Em estágios mais avançados da doença, o veterinário pode administrar antibióticos e corticosteroides para controlar o progresso da inflamação no trato digestivo e tratar possíveis infecções. Por outro lado, se o gato apresentar vômitos frequentes, medicamentos antieméticos podem ser usados para reverter essa condição.
Em todos os casos de gastrite, será essencial adaptar a dieta do animal e corrigir alguns maus hábitos na sua rotina para evitar um novo episódio de inflamação grave. O veterinário pode orientá-lo sobre essas mudanças para oferecer uma melhor qualidade de vida ao seu pequeno companheiro.
 
Como prevenir gastrite nos gatos?
Quando se trata da saúde do nosso amigo peludo, devemos sempre ter em mente o ditado que diz: é melhor prevenir do que remediar. Para evitar o desenvolvimento de gastrite no seu felino, lembre-se de seguir as dicas que listamos a seguir:
  • Boa nutrição: é essencial proporcionar uma dieta equilibrada e de excelente qualidade ao animal ao longo de toda a sua vida, respeitando a quantidade de alimento adequada ao seu tamanho e idade. Além de remover alimentos proibidos da sua dieta. Lembre-se de não oferecer alimentos humanos picantes ou produtos de difícil digestão ao seu gato!
    Cuidados em casa: evite deixar lixo ou qualquer tipo de resíduo ao alcance do seu gato. Cuide, também, da organização geral da casa de maneira inteligente, evitando o acesso a produtos de limpeza, pesticidas, remédios e outros produtos possivelmente tóxicos para a saúde.
    Controlar as saídas ao exterior: muitos gatos estão acostumados a andar livremente no exterior da casa, mas a perambulação representa um sério risco para a saúde deles. Além do risco de consumir alimentos em más condições ou substâncias tóxicas, os felinos também podem ser infectados com inúmeras patologias, seja durante as brigas de rua, nas relações sexuais ou pelo contato direto com patógenos.
    Medicina preventiva: todos os gatos devem ter uma medicina preventiva adequada durante toda a vida. Portanto, lembre-se de fazer visitas periódicas ao veterinário a cada 6 meses, e respeite a sua carta de vacinação e desparasitação periódica, além de mantê-lo física e mentalmente estimulado.
Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

© peritoanimal.com.br 2019
PERITO ANIMAL
Enviado por Nair Lúcia de Britto em 12/04/2019
Reeditado em 12/04/2019
Código do texto: T6622021
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Nair Lúcia de Britto
São Vicente - São Paulo - Brasil
550 textos (48310 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/19 17:39)
Nair Lúcia de Britto