Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O PASTOR, O CABO E O SOLDADO – A Cultura do Ódio no Ar



O homem do saco também fico conhecido como o Papa Figo, isso

querendo dizer “fígado humano” num jeitinho abreviado da Ortografia

nordestina. Veja a lenda aqui nesse link: http://www.orecifeassombrado.com/assombracoes/os-crimes-do-papa-figo/

Foi só para lembrar da lenda, não se preocupe porque o assunto aqui é a

política.



Mas, o monstro aqui é somente no sentido figurado.


Na política brasileira podemos aplicar essa coisa de Papa Figo

justamente para nos referirmos às pessoas que causam medo por

excitação da imaginação de alguns brasileiros medrosos.




Dias desses, não faz muito tempo, o Eduardo Bolsonaro tornou-se o

Papa Figo dos ministros do Supremo Tribunal Federal. Realmente, o

ministro Celso deixou sua imaginação pegar fogo e ele ficou desesperado

sem que lhe viesse à mente que existe uma coisa chamada “sentido

figurado”... e que... o que havia ali era apenas uma crítica do deputado

para dizer que o STF não pode assumir o papel de Casa legislativa nem

ir contra a vontade popular. Como era período eleitoral, deu naquilo que

todos se lembram: o Eduardo Bolsonaro estava já maduro para ser

auxiliar de ditador. Nem mesmo o Maduro original metia tanto medo.


 
Sabemos que o Jean Wyllys acredita em Papa Figo. Tanto é assim, que

resolveu ser ativista internacional, que é mais lucrativo e ficou melhor

para virar herói – daquele tipo que só existe nas fábulas esquerdistas.



Um Papa Figo que não deu certo, por exemplo, foi o Ciro Gomes. Ele

tentou assustar a Direita tentando passar a ideia que era o Rei da

Cocada Preta na área da Economia. Mas, não deu certo. Tentou assustar

o partido do Lula demonstrando por “A+B” que o Haddad era uma

péssima ideia para substituir o Homem-Ideia (LULA) na candidatura.

Mas, não deu certo fazer cara de Papa Figo para o PT... porque a Gleisi e

o próprio Lula (com as mãos espalmadas nas orelhas) mostraram a

língua para ele.



Teve também aquela ocasião em que um casal de apresentadores do

Jornal Nacional tentava fazer com que ambos fossem vistos como os

Papafigos para assustar o Jair Bolsonaro. Mas, não deu certo. Na

imaginação daquele candidato eles eram dois profissionais do jornalismo

que apenas fugiam um pouquinho da ética e isso não deu certo. O

Capitão não teve medo.



Teve também um monte de mulheres do mundo artístico da Categoria

Rouanet lançando ideia de todas se tornarem a versão feminina do Papa

Figo com a tal hashtag #ELE NÃO.  Mas a vítima do veneno acabou

sendo o próprio grupo das criativas ativistas militantes. O fato é que elas

não tinham vocação para Papa Figo, apesar de velozes e furiosas.



A imaginação excitada está sempre por trás de quem alimenta as

diversas lendas de Papa Figo. Outro conhecido exemplo é quando os

imaginativos ateus esquerdistas ficaram com medo de chegar perto de

algum pé de goiaba, achando mesmo que essa planta é de fato bem-

assombrada e que eles podem literalmente ver Jesus nela. Mas a

ministra falava em sentido figurado – não podendo prever que os pobres

esquerdistas que acreditam em Papai Lulel iriam levar isso ao pé da letra

e ficarem excitados da imaginação.



Aqui no RL existem esquerdistas apoiando-se em Marx e até mesmo em

Kant para parecerem Papafigos irrefutáveis nas ideias esquerdistas. É

preciso ter muita imaginação para dar crédito a esse tipo de Papa Figo

obtuso.




Agora, minha gente, estão querendo atribuir um acidente de helicóptero

a uma maldição lançada por um conhecido pastor evangélico...! E o pior

é que evangélicos sem esclarecimento estão levantando bandeiras em

torno da ideia de castigo divino. É lógico que essa mentalidade favorece

o esquerdista que acredita em Papai Lulel, pois este último é quem

compõe o grupo mais imaginativo alimentador de lendas de Papa Figo.



Não será exagero se acaso eu disser que por trás de toda mania de ver

um Papa Figo em qualquer adversário ideológico existe o ódio como

causa dominante.



O pior é que o Padre Quevedo não está mais entre nós, senão ele iria

logo nos prevenir de que:

- PAPA FIGO NÓN...



Ele estaria certo em dizer isso, pois aquilo que de fato existe é a

fomentação generalizada da prática do ódio.





Tex Rocketann
Enviado por Tex Rocketann em 12/02/2019
Código do texto: T6573024
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (atribuir a autoria ao Tex). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tex Rocketann
Recife - Pernambuco - Brasil, 59 anos
143 textos (4022 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/02/19 20:59)
Tex Rocketann