Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TRANSBORDAR


        O poeta Márcio Catunda questiona, “... Noite de velório sobre o mundo. / Quem pode continuar assim?”.
Um suspiro, uma pausa para refletir sobre os corredores lotados dos hospitais e funerárias. Nossos corações espedaçados, corpos e mentes confinados. A ansiedade pulsa diária e ostensivamente.
Somos a equipe dos bastidores; apenas assistimos o balé nervoso das sombras; não sabemos ao certo o que ainda acontecerá.
A sensação de impotência, tristeza e derrota está nas horas que passam dispensando a vida de mais e mais semelhantes. A preocupação extrapola o quanto somos maltratados pelo vírus, enquanto não podemos, nem devemos ir além da soleira da porta.
Trancados em casa tentamos nos manter alheios ao nervosismo, concentrados apenas no que já aconteceu. A expectativa é grande, as mãos suam e tremem, os olhos lacrimejam e nossas vozes se emocionam no transbordar da epidemia.
Nossa certeza é de que não sentiremos saudades dos dias atuais.
Tânia Du Bois
Enviado por Tânia Du Bois em 01/06/2020
Código do texto: T6964606
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
Tânia Du Bois
Balneário Camboriú - Santa Catarina - Brasil, 63 anos
415 textos (50070 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/08/20 17:32)
Tânia Du Bois