Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Os Dois Sentidos e a Ira

O momento nos convida a  continuidade a série " Vilões da Bíblia " e a subcategoria " estrangeiros ", nesse momento escrevendo  a  a vigésima  segunda coluna sobre  o pastor Doegue  em  'os  dois sentidos  e a ira'.

Simbolicamente um belo caminho pode ser construído , naturalmente Doegue recria a nação a sua imagem e semelhança bem definida ou ainda bem acolhedora, recriar algo é oferecer uma outra vida.

Diante de uma situação completamente sombria sem nenhuma forma de solução surgem no horizonte dois sujeitos com um histórico duro de ser digerido.

O nome Doegue em hebraico traduz o seguinte significado. Significa   ' tímido, mentiroso ' , a ideia aceitável de semelhança ou similaridade parece um pouco complexa  e incompreensível.

Indicando possíveis caminhos duvidosos   que um viajante jamais se guiaria, as incertezas da viagem contudo amplia o pensamento do viajante . A jornada como viajante parece ser no mínimo épica ou criativa.

Simbolicamente a extensão do nome se aplica ao seu conjunto exato de significados e ideias semânticas ao que parece , esse conjunto semântico se intensifica , essa intensidade expõe um conjunto de valores morais coexistentes ao detentor do mesmo.

Simbolicamente ele pode representar inúmeras coisas bem relevantes á respeito da polifonia da vida, e considerando todos eventos desde o seu nascimento  até seu fim foi tudo bem acidentado.

E a figura solene de Doegue renasce após um longo e doloroso processo de existir e de um devir bem longo e exato. A exatidão da sua existência é pontilhada por momentos complexos  e pesarosos.

Naturalmente o escrivão que tentou fazer seu fio biográfico não deve esquecer do real significado do seu nome. Em hebraico original e massorético ''.

Timidamente o nome indica muitas interpretações coerentes e concernentes a sua polifônica vida como um pessoa bem ocupada com os problemas externos e extremos do viver.

Inicialmente ele é um vilão pelo valor  aqui trabalhado acerca dessa definição tão complexa ou muito arriscada em certas estruturas de sua realidade.

Diante desse quadro tão desafiador , a figura solene de Doegue aparece como um vilão com extrema similaridade com o Curinga quadrinizado, bem o nome é aceito por romancistas e dramaturgos com muita facilidade.

O  momento nos convida mais uma reflexão, o monarca Doegue diferente dos outros  vilões , tem conhecimento enciclopédico acerca de si mesma, tal percepção nos ajudar a entender  sua polifonia da vida.

Simbolicamente ele pode representar inúmeras coisas bem relevantes á respeito da polifonia da vida, e considerando todos eventos desde o seu nascimento  até seu fim foi tudo bem acidentado.

E isso era um mínimo problema para um simples cidadão Doegue, serve diante de um sistema perigoso e ao mesmo tempo duvidoso, sua decisão era um só risco.

Assim Doegue   em algumas boas escolhas bem particularizadas, tudo poderia se encaixar em sua polifonia musical somente variando as notas. A décima sétima  coluna sobre  o pastor Doegue  em  'a morte e  ira e a fúria'.

Ironicamente pensar em Doegue como um assassino , vai contra todos meus princípios como narrador e poeta, nesse caso um sujeito bem complexo.

Realmente ter boas lembranças significa que esses momentos em sua vida  devem ser no mínimo lembrados em outras ocasiões como uma boa construção em alvenaria.

Assim parece que tudo tinha que estar bem colorido de acordo como, aconteceu  nisso devo parece o cronista da família  entre bons caminhos expandidos.
JessePensador
Enviado por JessePensador em 22/03/2020
Reeditado em 22/03/2020
Código do texto: T6893915
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
JessePensador
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil, 36 anos
1352 textos (13011 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/20 04:27)