Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Viajante e o Templo e Cajado Sombrio

O momento nos convida a  continuidade a série " Vilões da Bíblia " e a subcategoria " estrangeiros ", nesse momento escrevendo  a  a oitava  coluna sobre  o pastor Doegue  em  'o viajante e o templo e o cajado sombrio'.

Viajar no tempo aqui , nesse artigo significa compreender a dinâmica funcional da existência de Doegue como um pastor e como um viajante que alguém deu guarida.

Ironicamente pensar em Doegue como um assassino , vai contra todos meus princípios como narrador e poeta, nesse caso um sujeito bem complexo.

Assim Doegue evolui na narrativa como uma pessoa cheia de normalidades e nada mais.

Jamais nós atualmente poderíamos entender a relação existente entre a espada e o cajado , bem o cajado servia inicialmente para guiar e nada mais.

Assim para a figura de  Doegue a tudo tende a se complicar em sua totalidade bem pouco trabalhada por um bom narrador, como se fosse tecido sobre tecido e nada mais.

Naturalmente o escrivão que tentou fazer seu fio biográfico não deve esquecer do real significado do seu nome. Em hebraico original e massorético ''.

Timidamente o nome indica muitas interpretações coerentes e concernentes a sua polifônica vida como um pessoa bem ocupada com os problemas externos e extremos do viver.

E a figura solene de Doegue renasce após um longo e doloroso processo de existir e de um devir bem longo e exato. A exatidão da sua existência é pontilhada por momentos complexos  e pesarosos.

Em geral, tudo deveria bem se encaixar  na melodia cantada em sua vida cheia de polifonia em detalhes bem pequenos e sombrios no pensamento.

O pensamento de Doegue  convinha em participar da nova demanda ali próxima aberta, a Igreja Pentecostal  Evangélica de Laodicéia abre uma filial nesta época.

Temerariamente Doegue dedicou assim um tempo para os desafios concretos da existência como uma partitura musical onde as notas obedecem uma sequência.

E as muitas dúvidas existenciais prevalecentes em sua vida cheia de polifonia musical surgia uma nova mentalidade existente somente entre os membros da Corte.

Minuciosamente tudo se reduzia a um conjunto de desafios que conquistavam a permanência no trono em um tempo fragmentado como o filme Fragmentado.

Primeiro diz que você precisa aprender a ler com o alfabeto e com livros ilustrados de fácil assimilação e memorização de personagens e cenários , começando com livros fáceis e novos de preferência, sem um resgate do passado necessariamente, mas que o o leitor tem uma noção primária do que venha a ser um livro e um texto adequadamente.

Legalmente desprotegido acerca  das possíveis novidades, ele então acaricia isso como algo que pode ser no mínimo ampliado conforme seu lépido pensamento.

O momento exige da Doegue  e  também dimensiona  as realidades conectadas a todos acontecimentos necessários a riquíssimo repertório de experiências acumuladas naturais.

E as muitas dúvidas existenciais prevalecentes em sua vida cheia de polifonia musical surgia uma nova mentalidade existente somente entre os membros da Corte.

Cabalmente ele  precisou participar de todo processo em questão, primeiro se converteu ao Cristianismo Reformado Pentecostal e também aceitou o novo sistema.

Assim   Doegue  surge com outro tipo de pensamento acerca das doutrinas básicas de sua nova fé como um algo a ser no mínimo contabilizado como algo realmente novo ou adaptável.

Jamais nós atualmente poderíamos entender a relação existente entre a espada e o cajado , bem o cajado servia inicialmente para guiar e nada mais.

Assim para a figura de  Doegue a tudo tende a se complicar em sua totalidade bem pouco trabalhada por um bom narrador, como se fosse tecido sobre tecido e nada mais.

Diante dessa realidade, Doegue recria um novo caminho quer por ele deve ser trilhado ou seguido de perto como uma opção ou condição de crescimento real em ascensão.

O pensamento de Doegue  convinha em participar da nova demanda ali próxima aberta, a Igreja Pentecostal  Evangélica de Laodicéia abre uma filial nesta época.

Sinceramente em hebraico original o nome Doegue significa isso vai de encontro com as nuances de poder  que pode encontrar pela frente e pela polifonia da vida.

O momento requer uma boa reflexão sobre a figura de Doegue e as nuances de poder quer como algo militar da onde adveio assim ressoa como algo novo ou ainda.

Mediante essa forma de construção , ele é um construto das necessidades de primeira mão e de um vácuo no poder que lhe surge naquele momento.

Bem, como corria como um rio em época de cheia, ele sempre dava bons acabamentos a tal narrativa. Conclusivas ou não sempre apontavam para lago em questão, o passado ou melhor  o poço do passado manniano.

Realmente ter boas lembranças significa que esses momentos em sua vida  devem ser no mínimo lembrados em outras ocasiões como uma boa construção em alvenaria.

Ironicamente tudo poderia definir o futuro de um reino e de uma pessoa quer seja um criado ou um príncipe.

O criado Doegue nada podeira dizer ou querer em sua polifonia da vida numa estreita realidade.
JessePensador
Enviado por JessePensador em 17/03/2020
Código do texto: T6889954
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
JessePensador
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil, 36 anos
1352 textos (12979 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/20 12:06)