Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Altar e a Dúvida

O momento nos convida a  continuidade a série " Vilões da Bíblia " e a subcategoria " soberanos rebeldes ", nesse momento escrevendo  a  décima  quinta coluna sobre  o monarca Salum em '   o altar  e a dúvida'

Alteradamente ser um soberano envolve ver toda forma de necessidade existente ou ainda que seja também imaginária ou uma forma de fugir da realidade

Legalmente o soberano Salum usa a harpa como forma de alongamento mental e de autoconhecimento particular e exato nas devidas proporções , bem um músico também é um sonhador dizia o músico espanhol Javier Ruibal com extrema razão e mentalidade das eras.

Temerariamente o soberano dedicou assim um tempo para os desafios concretos da existência como uma partitura musical onde as notas obedecem uma sequência.

Assim o poder segue uma boa dinâmica com elementos dosados de verdade e fragmentos de dúvida, nisso o rei tem certo grau de razão, concordo que nem sempre age com sabedoria.

Realmente o soberano tinha que lidar com as intrigas palacianas e também com as nuances do poder em apreço , essas nuances nunca são terminadas ou criadas sem a mínima vontade política de um soberano indefeso como um rato diante de um leão.

E as explicações oferecidas pelo soberano Salum são de fato inadequadas interpretações  ao contexto que estavam assim inseridas como forma de opinião disfarçadas.

As verdades que o rei Salum  encontra tem belos fundamentos em seus muitos textos e escritos  tem algo a oferecer e a aprender como relevante.

Devido sua pouca influência em assuntos cabais  ou ainda governamentais como uma estrutura confiável a si como um governante simplório,  sem disposição para as possíveis novidades.

Usualmente esse foco também deve ser no mínimo visto  em outros ambientes , não aqui. Essa observação faz parte de um modelo de narrativa.

Variando seus métodos de forma extrema, ele quer de toda forma resgatar a ideia original de verdade ou meia-verdades  e até meso mentiras bem tracejadas em linhas tênues e complexas do soberano desajustado Salum .

Inicialmente, mas o ousado soberano Salum resolveu essa dura parada, respondeu á altura:- A Santidade de Deus não pode ser ferida por ações hipócritas ou irresponsáveis e inseguras  advindas de nossas pessoas, tais ações sugeriram uma forma de punição mais conveniente.

Diante desse enorme dimensionamento , o israelita Salum opta por ir em outro  caminho bem duvidoso em certos aspectos, ele ironiza a tradição.

Assim o soberano Salum compreendeu a dimensão ousada de um jogo de poder simples com acumulação de bens e visões de um mundo complexo e fragmentado como o seu.
JessePensador
Enviado por JessePensador em 10/10/2019
Reeditado em 11/10/2019
Código do texto: T6765864
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
JessePensador
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil, 35 anos
890 textos (8626 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/19 05:26)