Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Sentido de Um Nome

O momento nos convida  a série " Vilões da Bíblia " e dando continuidade a subcategoria " soberanos rebeldes ", nesse momento escrevendo  primeira  coluna sobre  o soberano Jeú em 'o sentido  de um nome'.

Simbolicamente ele pode representar inúmeras coisas bem relevantes á respeito da polifonia da vida, e considerando todos eventos desde o seu nascimento  até seu fim foi tudo bem acidentado.

E a figura solene de Jeú renasce após um longo e doloroso processo de existir e de um devir bem longo e exato. A exatidão da sua existência é pontilhada por momentos complexos  e pesarosos.

Naturalmente o escrivão que tentou fazer seu fio biográfico não deve esquecer do real significado do seu nome. Em hebraico original e massorético 'Jeová é ele'.

Timidamente o nome indica muitas interpretações coerentes e concernentes a sua polifônica vida como um pessoa bem ocupada com os problemas externos e extremos do viver.

Inicialmente ele é um vilão pelo valor  aqui trabalhado acerca dessa definição tão complexa ou muito arriscada em certas estruturas de sua realidade.

Diante desse quadro tão desafiador , a figura solene de Jeú aparece como um vilão com extrema similaridade com o Curinga quadrinizado, bem o nome é aceito por romancistas e dramaturgos com muita facilidade.

O  momento nos convida mais uma reflexão, o soberano Jeú diferente dos outros  vilões , tem conhecimento enciclopédico acerca de si mesma, tal percepção nos ajudar a entender  sua polifonia da vida.

Diante de sua sumária educação digna de uma nobre ou de uma burguesa como o capitão em apreço , que exigia um conjunto de explicações e também exposições acerca da escolha bem delineada e particular.

E cada efeito de sua decisão virá á cavalo, bem um jovem soberano assume um trono cheio de instabilidade nesse momento para uma nação em ritmo rápido de crescimento.

Usualmente o regime de um  capitão no trono pode diferir do pai em diversos aspectos em especial os aspectos diplomáticos e ainda teve ousadia para buscar mais aliados.

Mediante que poderia ter enfrentado durante os anos de refinada educação, Jeú decide em prol de seu bem-estar monárquico e também como uma linha de governabilidade.

Naturalmente Jeú usa todos os elementos de sua educação bem definida e delineada e busca usa em seu domínio, esses elementos requerem dele alguma forma de decisão ou formas utópicas de governar.

O  momento exige do rei Jeú pouco entende das dinâmicas de suas decisões, ou ainda pensou somente no traços econômicos a ele deixados, e no que poderia fazer.

Mas nós leitores devemos entender que tudo nasce de um horizonte utópico que o  rei  Jeú desejava assim montar com sua criatividade.

E a interpretação dele era um pouco mais ousada que a do velho pai que jazia morto, a boa leitura desses elementos deveria orientar assim a visível vida de um rei como Jeú.
JessePensador
Enviado por JessePensador em 28/07/2019
Reeditado em 09/08/2019
Código do texto: T6706547
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JessePensador
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil, 35 anos
744 textos (7151 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/19 16:08)