Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As Duas Capitais

A hora  nos convida a refletir  a série " Vilões da Bíblia " e dando continuidade a subcategoria " soberanos rebeldes ", nesse momento escrevendo  décima segunda  coluna sobre  a rainha Atália em 'as duas capitais'.

Sinceramente a rainha Atália concebe tudo como se fosse uma nova aventura. Nisto está um bom caminho cheio de imaginação teatral e visão conjunta.

Durante esse período de  regência em seu reinado , ela tinha duas capitais  a se preocupar em doses dupla, sua visão era bem definida  ou ainda estratégica.

Usualmente essa escrita tange o aspecto nominalmente confessional, e em nossa exposição a rainha alcança um lugar especial conforme as muitas lembranças ou pensamentos sobre da polifonia da vida.

A vida é uma eterna caixa de surpresas, é um bom construto bem divinamente elevado, na verdade a figura da rainha Atália traduz o pensamento  existente naquele momento.

Sinuosamente o passado é semelhante um espelho que tudo pode refletir seu presente e também seu futuro, ela busca dar uma boa interpretação exarada  de verdades irônicas.

Capitalizar os nobres nesse seu projeto era algo um tanto difícil, ironicamente abre também a leitura de condicionantes necessários para um possível caminho estrutural.

A força do dinheiro nessa época ressurge com as vicissitudes conflitantes dos antigos moradores que não aceitam em primeira mão que a cidade de Tirza seja destituída da função de capital.

Para tanto a soberana Atália também abre um canal de diálogo com os descontentes cortesãos  com tal pensamento em questão, a mudança da Corte para um outro lugar.

Ironicamente essa mentalidade era muito interiorana e adequadamente digna de suspeição por parte da soberana Atália naquele inadequado momento em apreço.

Talvez  buscar um bom capital para construir uma capital seja um tanto arriscado em questão, naturalmente recondiciona um pensamento exato sobre a criação.

Alinhar a nobreza do país em prol da nova capital , é um trabalho e tanto para uma jovem soberana, visto que a soberania era um longo aprendizado.

Ironicamente sua palavra era uma ordem , no entanto seus desejos ainda não , era um vero desafio lidar com esse mecanismo no poder , a soberana Atália tendia a seguir o que outros tinha como novidade no poder.

Sinceramente a rainha Atália concebe tudo como se fosse uma nova aventura. Nisto está um bom caminho cheio de imaginação e adaptação teatral.
JessePensador
Enviado por JessePensador em 22/07/2019
Reeditado em 22/07/2019
Código do texto: T6702001
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JessePensador
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil, 35 anos
747 textos (7187 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/19 03:40)