Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A MUSICALIZAÇÃO COMO FORMA LÚDICA DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A MUSICALIZAÇÃO COMO FORMA LÚDICA DE
APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Pós-Graduando(a) Valdizia Tavares Barros
Orientador(a) Aurelina Fernanda de Andrade Morais
Curso Alfabetização e Letramento
2018
Resumo
O artigo apresenta como tema principal: A musicalização como forma lúdica de
aprendizagem na Educação Infantil. O objetivo geral da pesquisa: Refletir sobre a importância
da musicalização na Educação Infantil como meio educativo. A música estimula a expressão
corporal e linguística auxilia no reconhecimento das partes do corpo, de suas possibilidades e
limitações espaciais, temporais e laterais. Quando essa é trabalhada desde cedo no contexto
escolar, ajuda de maneira lúdica e prazerosa no aprendizado das crianças. Unir a música e o
movimento, utilizando a dança ou a expressão corporal contribui para transformar a escola
num ambiente alegre e favorável ao desenvolvimento cognitivo, afetivo e motor. Notou-se
que o estímulo musical interfere no desenvolvimento integral da criança. A natureza da
pesquisa foi Aplicada, do tipo Qualitativa. A metodologia utilizada foram estudos
bibliográficos, artigos científicos, livros, internet. O resultado da pesquisa foi satisfatório.
Palavras-chave: Musicalização. Aprendizagem. Educação Infantil.
Abstract
The article presents as main theme: The musicalization as a playful way of learning in Early Childhood
Education. The general objective of the research: Reflect on the importance of musicalization in Early
Childhood Education as an educational medium. Music stimulates bodily and linguistic expression helps in
the recognition of body parts, their possibilities, and spatial, temporal and lateral limitations. When it is
worked out early in the school context, it helps in a playful and enjoyable way in the children's learning.
Joining music and movement, using dance or body expression contributes to transforming the school into
a joyful and supportive environment for cognitive, affective and motor development. It was noted that the
musical stimulus interferes in the integral development of the child. The nature of the research was
Applied, of Qualitative type. The methodology used was bibliographic studies, scientific articles, books,
internet. The search result was satisfactory
Keywords: Musicalization. Learning. Child education.
2
1 INTRODUÇÃO
Unir a música e o movimento, utilizando a dança ou a expressão corporal contribui
para transformar a escola num ambiente alegre e favorável ao desenvolvimento cognitivo,
afetivo e motor. Além disso, a musicalização na Educação Infantil estimula a expressão
corporal e linguística auxilia no reconhecimento das partes do corpo, de suas possibilidades e
limitações espaciais, temporais e laterais. Notou-se que o estímulo musical interfere no
desenvolvimento integral da criança.
Nessa perspectiva, o artigo apresenta como tema principal: A musicalização como forma
lúdica de aprendizagem na Educação Infantil.
O estudo vem fomentar o interesse sobre a abordagem do problema: Qual a importância da
musicalidade na vida das crianças? Que vantagens essa linguagem pode provocar na educação
e formação das crianças?
Por que não incluir a música como ferramenta no processo ensino aprendizagem?
Já que ela possui uma relação inerente com as relações humanas, a ludicidade e afetividade,
inclusive pode proporcionar na escola um ambiente harmonioso, ou seja, menos estressante e
pode contribuir no controle da ansiedade.
O objetivo geral da pesquisa: Refletir sobre a importância da musicalização na Educação
Infantil como meio educativo.
Objetivos específicos: Analisar os efeitos que a musicalização pode causar no
desenvolvimento das crianças.
Identificar e apreciar diferentes estilos musicais com o intuito de enriquecer e resgatar a
cultura regional.
Motivar nas crianças o gosto pela leitura e escrita, o desenvolvimento da oralidade, através da
musicalização deixando a aula mais dinâmica e tranquila.
Propiciar meios através da música que possa estimular na criança a sensibilidade, expressar
sentimentos, a socialização entre elas e o gosto pela arte. Brincar com a música, imitar gestos,
inventar e reproduzir criações musicais.
A partir da leitura do artigo você compreenderá que a música está presente na vida das
pessoas desde o início da humanidade. Através dela, sensações e sentimentos podem ser
experimentados, laços afetivos, culturais e sociais podem ser fortalecidos e novos
conhecimentos oportunizados. Descobrirá um pouco da história da música popular que é parte
3
Pós graduação em Gestão Escolar. Uniasselvi. Valdiziab@hotmail.com Pós graduação em psicopedagogia
clínico institucional. Faculdade São Luis de França. Aurelinaf@gmail.com
fundamental da história do Brasil. As bases teóricas para aprofundamento da pesquisa foram
retiradas das ideologias dos pensadores: Martins, Silveira e Melo e dos documentos que
norteiam a Educação Infantil: Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (RCNEI),
a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB n 9394/96).
A pesquisa foi de natureza aplicada, de modo que gera conhecimentos para aplicação prática,
dirigidos à solução de problemas específicos, isto é, visa à aplicação de suas descobertas na
solução de um determinado problema. Em relação à abordagem do problema a pesquisa foi
qualitativa. Do ponto de vista de seus objetivos podemos considerar que a pesquisa foi
explicativa, aprofunda o conhecimento da realidade porque explica a razão, o porquê das
coisas. Visa identificar os fatores que determinam ou contribuem para a ocorrência dos
acontecimentos. Quanto aos procedimentos técnicos a pesquisa foi bibliográfica, livros,
artigos científicos e internet.
2 A MÚSICA SUA INFLUÊNCIA NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA
A criança é um ser social constituída de múltiplas linguagens, portanto ela utiliza
diversas maneiras de se comunicar ou se expressar. Dessa forma, é salutar explorar essas
diversificadas formas de linguagens no processo ensino aprendizagem.
Por meio de expressões artísticas como: o movimento, as brincadeiras, os jogos, a música, a
criança é capaz de expressar seus sentimentos, emoções, gestos ou posturas corporais. Além
disso, perceber o mundo de forma poética, sensível e contextualizada. O corpo demonstra
aquilo que a criança sente ou quer falar e nós, educadores, precisamos ter sensibilidade para
perceber isso. A música, portanto, é uma forma de comunicação e expressão que está
interligada ao lúdico e à afetividade. Através dela, sensações e sentimentos podem ser
experimentados, laços afetivos, culturais e sociais podem ser fortalecidos e novos
conhecimentos oportunizados.
De acordo com Melo, 2011 apud Bréscia, 2013, p.81 Ao trabalhar com os
sons, a criança aguça sua audição, ao acompanhar gestos ou dançar ela está
trabalhando a coordenação motora e a atenção, ao cantar ou imitar sons ela
está estabelecendo relações com o ambiente em que vive. O aprendizado da
música, além de favorecer o desenvolvimento afetivo da criança, amplia a
atividade cerebral, melhora o desempenho escolar dos alunos e contribui
para integrar socialmente o indivíduo.
Constatou-se durante a pesquisa que quando a musicalização é trabalhada desde cedo no
contexto escolar, ela ajuda de maneira lúdica e prazerosa o aprendizado e o trabalho em
equipe, pois as crianças aprendem a ser mais sociáveis. Ela está ligada ao corpo, mente e às
4
emoções, afetando diretamente diferentes aspectos do desenvolvimento humano: físico,
mental, social, emocional e espiritual, tornando-se assim um agente facilitador do processo
educacional.
A brincadeira musical na Educação Infantil deve focar ações como: a escuta de músicas e
diferenciações de som e silêncio, a expressão corporal em diferentes ritmos musicais, o cantar
diversas alturas e intensidades sonoras, trava-línguas com rimas, parlendas, dramatizações de
forma lúdica.
Vale salientar que a música considera-se um relevante recurso didático, devendo estar
presente cada vez mais na escola.
2.1 MÚSICA UMA FORMA DE LINGUAGEM DA COMUNICAÇÃO E
MANIFESTAÇÃO HUMANA
Assim como a linguagem do movimento, a música também apresenta suas peculiaridades no
Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil.
De acordo com Silveira, 2012, p.53 A música é a linguagem que se traduz
em formas sonoras capazes de capazes de expressar e comunicar sensações,
sentimentos e pensamentos, por meio da organização e relacionamento
expressivo entre o som e o silêncio. A música está presente em todas as
culturas, nas mais diversas situações: festas e comemorações, rituais
religiosos, manifestações cívicas, políticas, etc. Faz parte da educação desde
há muito tempo, sendo que, na Grécia antiga, era considerada como
fundamental para a formação dos futuros cidadãos, ao lado da matemática e
da filosofia. (RCNEI,1988, v.3, p.41).
A música está presente na vida das pessoas desde o início da humanidade. O homem desde a
pré-história, provavelmente usava seu corpo todo como um instrumento musical; batia os pés
no chão, com cadência, batia palmas, sacudia colares e braceletes de ossos, de sementes ou de
conchas, envolvendo-se completamente em sons, para falar com os deuses. Madeira, osso,
rocha: desde a pré-história, o homem tirou proveito dos sons desses materiais.
As crianças adoram ouvir ou cantar músicas, certamente porque desde muito pequeninas esta
linguagem a acompanha, desde as canções de ninar dos pais ao gosto musical que a própria
família impõe, muitas vezes de maneira inconsciente. Portanto, quanto mais estimulada a
ouvir, cantar e até mesmo tocar diferentes ritmos musicais, maior será o desenvolvimento da
criança; ampliando assim seu repertório musical. Por isso é fundamental o educador
selecionar músicas de qualidades para serem trabalhadas em sala de aula.
Cabe ao educador ter bom senso e proporcionar diferentes oportunidades de apreciação e
fazer musical para as crianças tais como: os sons da natureza, do corpo, de diferentes
5
instrumentos musicais, ou a construção dos mesmos confeccionados com os alunos na escola,
de jogos cantados, exploração de ritmos, gestos, canções de roda ou parlendas, o que as
desenvolverá social e intelectualmente.
2.2 As músicas fazem parte da nossa História
Silveira, 2012, p.53 pontua que como linguagem a música hoje representa
conteúdo assegurado pela Lei n 11.769 de 2008, nos currículos da Educação
Básica. Assim como as demais linguagens da Arte, o desenvolvimento da
aprendizagem em música deve ser compreendido através da produção, da
apreciação e da reflexão.
A riqueza e a diversidade das manifestações culturais brasileiras são incontestáveis e, dentre
elas, a música se sobressai pela vocação inata do nosso povo para o ritmo e para a dança. A
música é ainda, um dos aspectos da cultura nacional mais divulgada, conhecida e admirada no
exterior.
A história da música popular é parte fundamental da história do Brasil. Ela perpassa toda a
nossa trajetória, e nessa aventura musical estão inscritos os grupos étnicos que participaram
da construção da Nação e que nos legaram suas tradições, sua sensibilidade, sua musicalidade.
A maioria das músicas que embalaram nossas brincadeiras fazia e fez até hoje parte do nosso
folclore brasileiro. É perceptível que a música está sempre associada à cultura e às tradições
de um povo e de sua época. Neste sentido, o folclore pode ser traduzido como um gênero de
cultura de origem popular, constituído pelos costumes, lendas, tradições e festas populares.
O Brasil possui um folclore riquíssimo, graças ao entrosamento de costumes de povos
diferentes que, ao se encontrarem em nosso país, construíram novas e únicas expressões de
manifestação popular. Para a formação do nosso folclore contribuíram, além do elemento
nativo (o índio), português e o africano. Esses três povos constituíram as raízes de nossa
cultura. Posteriormente, imigrantes de outros países, como Itália, Alemanha e outros, deram
sua contribuição ao nosso folclore, tornando-o mais complexo e rico.
As músicas folclóricas caracterizam -se pela simplicidade de sua composição. Possuem letras
do vocabulário popular, melodias simples e fáceis de ser memorizadas. Elas representam as
histórias vividas pelos povos de uma comunidade ou nação.
A música cultural, oferecida através do folclore, nos remete a um eu social. Ela é capaz de nos
inserir em um universo de significações e nos faz sentir parte de algo que vai além de nosso
redor, de forma descontraída e imperceptível.
Para Melo, 2011, p.112 as músicas folclóricas que nos forma transmitidas
através de nossos antepassados e que são passados de geração em geração
são formas inteligentes de sabedoria humana. Tratam de temas complexos e
6
belos, falam de amor, de disputa, de trabalho, de tristezas e de tudo que a
criança enfrentará no futuro. São experiências de vida que nem o mais
sofisticado brinquedo eletrônico pode proporcionar.
Cantar músicas do folclore brasileiro com as crianças da Educação Infantil é proporcioná-las
o contato com a cultura brasileira, expressar sentimentos, atitudes e estruturas que
contribuirão para a sua formação integral.
2..2.1 Leis que defendem a música como componente curricular na disciplina de Artes
Em 1971, com a Lei n 5.692, foi criado o componente curricular Educação Artística. A
lei, determinando que nessa disciplina fossem abordados conteúdos de música, teatro, dança e
artes plásticas nos cursos de primeiro e segundo graus, criando a figura de um professor único
que deveria dominar todas essas linguagens de forma competente, porém a maioria dos
professores não estavam preparados para trabalhar com o ensino de artes como a lei previa.
De acordo com Silveira, 2012, p.56 A linguagem da música dentro da
concepção da arte deve ser compreendida como forma de expressão e
cultura. A aprendizagem em música está muito além de “cantos” utilizados
para a realização de rotinas escolares, “Aprender música significa integrar
experiências que envolvem a vivência, a percepção e a reflexão,
encaminhando-as para níveis cada vez mais elaborados”. (RCNEI,
1988,v.3,p.46).
Neste sentido o RCNEI aponta uma lista de sugestões relacionadas ao repertório musical que
o professor poderá utilizar em seus planejamentos. Além das sugestões contidas neste
documento, ele pode pesquisar e aprofundar o seu próprio repertório a fim de valorizar,
complementar e enriquecer a prática pedagógica, utilizando a música como conhecimento e
também como recurso pedagógico.
Segundo o Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil- RCNEI (BRASIL, 1988,
p.21), “[...] a criança é um ser social que nasce com capacidades afetivas, emocionais e
cognitivas, podendo aprender nas trocas sociais com diferentes crianças e adultos cujas
percepções e compreensões da realidade também são diversas”.
A escola é o espaço institucional onde o aluno tem a oportunidade de conhecer de forma
intencional ou não, os conhecimentos históricos e culturais construídos pela sociedade no
decorrer dos tempos. É o espaço que permite uma relação entre história, cultura e Arte.
Nos dizeres de Baumgartner (2010) apud Barbosa (2002, p.38) afirma que é
impossível conhecer a cultura de um país, sem conhecer sua arte, pois é
importante compreender que a Arte é a representação do país por seus
próprios membros. É por meio da arte que podemos conhecer e entender a
cultura do nosso tempo, sendo este um processo fundamental para
construção humana sensível.
7
Para que a criança tenha uma aprendizagem significativa e um desenvolvimento integral é
essencial que a mesma tenha o contato com a música como forma lúdica de aprendizagem. O
educador precisa propiciar estratégias de aprendizagem e criar oportunidades para que a
criança possa desenvolver sua autonomia, identidade e personalidade, sentindo-se segura no
que faz. Desde a educação infantil, deve ser garantida a criança o direito a esse conhecimento
que amplia e aprofunda seu saber artístico-estético, geralmente relegado apenas ao fazer arte,
sem informação alguma além da técnica. Um fazer no qual nem sempre a criança se
reconhece, pois falta ali sua identidade de autor e a do seu tempo/espaço.
De acordo com Martins, 1988, p.12 A nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional
(LDB n 9.394), aprovada em 20 de novembro de 1996, estabelece em seu art. 26, II: “O
ensino da arte constituirá componente curricular obrigatório, nos diversos níveis da educação
básica, de forma a promover o desenvolvimento cultural dos alunos”.
Fica, então determinado que o ensino da arte, especialmente em suas expressões regionais,
constituirá componente curricular obrigatório da educação básica. Desse modo, as artes
visuais, a dança, a música e o teatro são linguagens que constituirão o componente curricular
de que trata o II parágrafo deste artigo.
Com a nova LDB n 9394/96, o ensino da arte ganha espaço no currículo escolar como
disciplina obrigatória e com a alteração dada pela Lei n 12.287/2010, aborda a especificidade
das expressões regionais.
De acordo com a Lei n 11.769, de 2008, que trata da obrigatoriedade do conteúdo de
música:” {6 A música deverá ser conteúdo obrigatório, mas não exclusivo, do componente
curricular de que trata o 2 deste artigo.
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS
Diante da análise realizada na pesquisa identificou-se que a musicalização além de
deixar a aula mais dinâmica e atrativa pode estimular nas crianças o gosto artístico, o
desenvolvimento da oralidade, da escuta, como também o estímulo da leitura e escrita.
Confirmou-se que a música impulsiona a criança a despertar a sensibilidade, expressar
sentimentos, emoções, a interação e socialização entre elas, o gosto pela arte e produz efeito
de acalmar e liberar o stress.
8
Portanto, a pesquisa revelou que quando a musicalização é trabalhada desde cedo no contexto
escolar, ela ajuda de maneira lúdica e prazerosa o aprendizado e o trabalho em equipe, pois as
crianças aprendem a ser mais sociáveis.
A musicalização na Educação Infantil estimula a expressão corporal e linguística
auxilia no reconhecimento das partes do corpo, de suas possibilidades e limitações espaciais,
temporais e laterais. Notou-se que o estímulo musical interfere no desenvolvimento integral
da criança.
Evidenciou-se que a musicalização está ligada ao corpo, mente e às emoções, afetando
diretamente diferentes aspectos do desenvolvimento humano: físico, mental, social,
emocional e espiritual, tornando-se assim um agente facilitador do processo educacional.
Brincar com a música, imitar gestos, inventar e reproduzir criações musicais, além de deixar a
aula mais divertida contribui no aprendizado das crianças.
A pesquisa foi de natureza aplicada, de modo que gera conhecimentos para aplicação prática,
dirigidos à solução de problemas específicos, isto é, visa à aplicação de suas descobertas na
solução de um determinado problema. Em relação à abordagem do problema a pesquisa foi
qualitativa. Do ponto de vista de seus objetivos podemos considerar que a pesquisa foi
explicativa, aprofunda o conhecimento da realidade porque explica a razão, o porquê das
coisas. Visa identificar os fatores que determinam ou contribuem para a ocorrência dos
acontecimentos. Quanto aos procedimentos técnicos a pesquisa foi bibliográfica, livros,
artigos científicos e internet. O resultado da pesquisa foi satisfatório, pois os objetivos foram
alcançados.
REFERÊNCIAS
MARTINS, Mirian Celeste Ferreira Dias, PICOSQUE, Gisa, Guerra, Maria Terezinha Telles.
Didática do ensino da arte: a língua do mundo: poetizar, fruir e conhecer arte. São Paulo. 1988.
MELO, Fabiana Carbonera Malinverni. Lúdico e musicalização na educação infantil. Uniasselvi.
Indaial. 2011.
SILVEIRA, Tatiana dos Santos da. Metodologia do Ensino da Arte. Centro Universitário Leonardo
da Vinci- UNIASSELVI. Indaial, 2012.
Valdizia Barros
Enviado por Valdizia Barros em 06/05/2020
Código do texto: T6939614
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Valdizia Barros
Paulo Afonso - Bahia - Brasil, 42 anos
108 textos (3843 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/08/20 02:05)
Valdizia Barros