Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Erros fatais que os pais cometem

 
“ A virtude está no meio”
Aristóteles em Ética a Nicômaco


Sabemos muito bem que, como seres humanos, cometeremos muitos erros em nossas vidas. E vários desses erros serão cometidos quando estivermos tentando acertar. Em relação à educação dos filhos, precisamos reconhecer que educar é uma missão muito difícil, pois se está lidando com seres humanos em formação e, se já não é fácil lidar com nós mesmos, muito mais árduo é preparar um outro ser humano para que um dia ele possa ser capaz de achar o seu caminho na vida. No caso dos pais, deve-se levar em conta que são pessoas que foram criadas de uma determinada forma e a maneira como foram criadas irá repercutir na educação que darão a seus filhos. Embora digamos que temos de ser racionais, somos também emocionais, determinados por nosso inconsciente e nosso subconsciente. Tendemos a repetir padrões e adotar posturas parecidas com as que nossos pais adotaram conosco, ainda que as tenhamos achados erradas.
 Infelizmente, poderemos repetir com nossos filhos os erros que nossos pais cometeram conosco, por mais que tenham nos feito sofrer. Parece absurdo e ilógico mas é real. Filhas criadas em ambientes machistas poderão reproduzir o padrão machista com que foram criadas, discriminando filhas e filhos com frases do tipo: “seu irmão pode porque é homem.” O certo seria que todos, principalmente os que tiveram educações problemáticas, fossem conscientes de que poderão repetir os erros dos seus pais e tentassem resolver seus problemas internos antes até de ter seus filhos para não agir da mesma forma. Uma prova de que o argumento é válido é a observação da história de pais opressores. Muitos pais e mães autoritários foram oprimidos na sua juventude.
Os pais precisam lembrar que precisam criar seres de caráter, capazes de vencer as dificuldades. Muitos pais se preocupam em dar apenas conforto, presentes, colocar nas melhores escolas e se esquecem que têm de ajudar os filhos a se tornar pessoas que dão valor ao esforço, que queiram fazer do mundo um lugar melhor e não pessoas com “o rei na barriga” que achem que o mundo tem de se adaptar a elas ou que esperem que os pais estejam sempre por perto para prover suas necessidades.
Educar exige que os pais reflitam constantemente sobre o que fazer, pois há vários perigos de cometer os seguintes erros: cair em extremos. Atualmente, os psicólogos dizem que os pais devem ser bons o suficiente, ou seja, nem liberais nem opressores demais; nem negligentes nem superprotetores. E podemos ver que os erros mais cometidos pelos pais ocorrem quando eles cometem extremos. E, no futuro, eles colherão os frutos perversos desses erros, que refletirão nos comportamentos dos seus filhos. Enfim, criticar é fácil e sabemos que muitos pais erram tentando acertar. Porém, vejamos alguns erros que os pais podem cometer que no futuro irão repercutir negativamente:

1- Mimar excessivamente – são vários os pais que fazem todas as vontades dos filhos, tratando-os como príncipes ou princesas, enchendo-os de presentes materiais, submetendo-se a seus caprichos quando estes fazem birra e não deixando que se esforcem para fazer as coisas. Lá na frente, esses filhos que foram mimados se tornarão seres egoístas, caprichosos e irresponsáveis, que pensam que todos têm de aguentá-las.

2- Fazer tudo pelos filhos – alguns pais chegam ao extremo de amarrar os cordões dos sapatos de filhos crescidos, tirar seus pratos da mesa e até fazer seus deveres de casa. Com o tempo, tais filhos, ainda que adultos, continuarão infantis, esperando conseguir tudo com facilidade. Os pais podem dizer que os filhos sempre serão crianças para eles, porém isso será  danoso no futuro. Uma amostra de como isso prejudica o amadurecimento de um ser humano é vermos filhos adultos que não dobram um lençol em casa. Não são poucos os adultos com mais de vinte (ou trinta) que não saem da companhia dos pais para não perder as mordomias a que foram acostumados. Por que ir morar sozinho se está tudo bem em casa, onde há comida, não se tem de pagar contas de água e luz e as mães ajeitam as roupas? Muitos filhos agem como se os pais fossem viver para sempre. Há vários casos de filhos que até têm bons empregos mas nunca pagaram uma conta de luz.

3- Elogiar ou criticar em demasia – não se deve criticar negativamente, mas também é errado elogiar demais. A criança muito criticada e podada ficará com muito baixa autoestima e a que foi paparicada além do limite poderá se tornar arrogante e se achar superior aos outros.

4- Tratar de forma diferenciada – é comum que um filho seja preterido enquanto outro é paparicado. Os pais podem cobrar demais de um e ser mais liberais com o outro. Isso fará com que o paparicado fique egoísta e ache que pode tudo e o que foi deixado de lado se ressinta da cobrança excessiva. Além disso, parece justo que um tenha que ser o que sofrer todas as cobranças e os outros fiquem à vontade?

5- Programar o futuro dos filhos – pais que não conseguiram realizar certos sonhos ou que seguem algumas profissões podem querer certo futuro para seus filhos. Isso está errado. Não sonhe para seu filho ou filha que faça Direito, Medicina ou que seja bailarina. Você deve fazer com que seja uma pessoa de caráter e lhe dar a liberdade de programar sua vida. Pais não são Deus para se achar no direito de decidir a vida dos filhos. Filho tem que ter seus próprios projetos. É alguém que você coloca no mundo para um dia encontrar seu caminho.

6- Facilitar tudo para eles – é até natural e compreensível que os pais não queiram que os filhos sofram, especialmente se passaram muitas dificuldades quando mais jovens. Acontece que colocar os filhos sob uma redoma, como se fossem de cristal, não os protegerá para sempre. Todo mundo enfrentará dificuldades em uma época na sua vida e os que foram sempre poupados irão sofrer mais justamente porque nunca tiveram de se esforçar para vencer adversidades. Então, não é uma atitude inteligente tratar os filhos como se fossem seres frágeis e que não pudessem conhecer a dura realidade da vida.

7- Achar que seu filho é bom demais para qualquer serviço ou pessoa – você pode achar que seu filho é especial, que poucos empregos ou potenciais parceiros amorosos estão à altura dele. Seu filho é especial para você. No mundo lá fora ele terá de provar seu valor. O mundo e as pessoas não vão se adaptar para tornar as coisas mais fáceis para a gente. Prepare seu filho para isso. Quanto a relacionamentos, isso pode acabar impedindo o filho ou filha de ter qualquer relacionamento duradouro. Certos pais se intrometem mesmo ou então ficam atormentando os filhos, dizendo que “essa pessoa não está à sua altura”, “esse homem não é bom o suficiente para você.” Os filhos precisam namorar, ter suas experiências e aprender a ver por eles mesmos o que lhes serve. Apenas lhes diga que não assumam nenhum compromisso sério de forma precipitada. Claro que há os que não ouvem conselhos e poderão entrar em casamentos desastrados, porém filhos adultos têm que encarar as consequências de suas más escolhas. Os pais não poderão protege-los o tempo todo com a alegação de que “não querem que sofram.” Sofrer é parte da vida e devemos aprender com isso.

8- Tratar de forma diferenciada meninos e meninas – a nossa herança machista e patriarcal persiste e muitos pais dizem coisas como “seu irmão pode porque ele é homem” ou “isso não é  maneira de uma menina agir.” Como seu filho homem respeitará as mulheres quando a própria mãe estimula o comportamento machista? Muitas dessas mães protegem os filhos, dando desculpas para suas cafajestices, usando as justificativas de que “homens são assim mesmo” e exigem das filhas que sejam recatadas e saibam “se comportar como moças.” Totalmente sem sentido. Não existe isso. Se é errado que uma mulher aja de certa forma, não deve ser errado que homens também ajam assim?

9- Dar muitos presentes materiais – presentes materiais podem deixar a criança ou jovem mimado e egoísta, achando que ter é mais importante do que ser. Ela também poderá ficar vaidosa, exibindo seus objetos caros aos outros que não podem tê-los. Vale salientar que ter objetos demais é uma forma de escravidão e até manipulação. Os pais podem até depois ficar descaradamente jogando na cara dos filhos os presentes que lhes dão.

10- Colocar medo em relação a acontecimentos, situações e experiências – muitos são os pais que manipulam os filhos, assustando-os em relação a tudo. Houve o caso de uma menina que, quando os pais queriam sair e ela não queria, por saber que o programa seria chato, ouvia: “mas se você ficar em casa, entra  um ladrão aqui e mata você.” Os pais que mais amedrontam são os religiosos, que dizem: “Deus está olhando o que você está fazendo.” ; “Menino mau, Deus castiga”. Isso cria situações de tensão e medo na criança ou adolescente. Há também as mães que ficam a dizer que “nenhum homem presta”, “quase todo homem é cafajeste” e “não vá namorar para não deixar de estudar”. Dizer que nenhum homem é bom, além de ser machista, dá a entender que qualquer tentativa de relacionamento que a filha tiver terminará num desastre, colocando neuras e medos desnecessários na cabeça da mente jovem. Há homens de mau caráter, mas também há homens bons. Ser mau caráter não está relacionado ao sexo, pois existem mulheres de péssimo caráter. O que as mães devem fazer é ensinar as filhas a se valorizar e a não se submeter a homens machistas e que as desrespeitam. Além disso, as filhas devem ser ensinadas a ser independentes pois, como ninguém está livre de se envolver com uma pessoa errada, se o homem não valer nada mas a mulher tiver pelo menos sua profissão, ela poderá deixá-lo.

Há vários outros erros que podem ser cometidos, como sobrecarregar os mais velhos, especialmente as filhas mulheres; sabotar as tentativas de independência dos filhos, proibir excessivamente, querer impor gostos em relação a moda ou cabelos. Todos esses erros podem levar a conflitos, causar angústia nos filhos e levar mesmo a atos extremos de rebeldia. Os pais realmente não podem aprender a ser pais na escola, porém devem entender que os padrões em que foram criados podem não ser os melhores e eles precisam estar prontos a procurar melhores alternativas de como lidar com os filhos, seres que representam um desafio constante.
 
Maria Cândida Vieira
Enviado por Maria Cândida Vieira em 16/12/2019
Reeditado em 16/12/2019
Código do texto: T6820136
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
Maria Cândida Vieira
Campina Grande - Paraíba - Brasil
2119 textos (116223 leituras)
8 e-livros (337 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/08/20 11:22)
Maria Cândida Vieira