Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TESOUROS (18)

Judas Iscariotes conhecia as escrituras e nelas bebia forças para sustenta-lo nas lutas consigo mesmo. Era dotado de sensibilidades, motivo pelo qual o Mestre o escolheu para discípulo. O Cristo sabia que ele iria trai-lo, que a profecia devia se realizar.
Judas era inteligente, sabia pelas pesquisas que Jesus era o Cristo, o Messias anunciado. Olhava para o Mar da Galiléia e se sentia pequeno diante da grande expansão de águas doces, filha do Jordão. Refletia, “por que, meu Deus, tanto tesouro no mundo, que tudo sobra, e o ser humano vive com tanta escassez, que são escravizados, com fome, dor e tristeza?”
Não podia pensar nisso, por fugir de si a solução. Notou que era hora de cumprir seu dever, junto com os outros discípulos do Mestre. Entrou no casarão onde se reuniam no final da tarde, e após a oração inicial feita por Natanael, sentiu vontade de perguntar a Jesus sobre os tesouros.
Mestre, acho que o meu dever com a minha consciência é saber a fundo o que me atormenta e talvez a muitos. Se não for incômodo, pediria que o Senhor nos favorecesse esta noite com uma orientação que tanto desejo: o que vem a ser o Tesouro para nós e por que o ouro é desordenado no seio dos homens?
Jesus estendeu seu olhar compreensivo ao discípulo e comentou, com sinceridade:
- Judas! Seria falta de respeito a Deus ver na Natureza somente miséria, nas coisas e em nós. Não existe carência de nada, pois quando Deus fez o mundo, jamais se esqueceu de supri-lo com tudo que as necessidades buscam. Quando achas falta de alguma coisa em determinado estágio de vida, é porque ainda não tens olhos para ver. A abundância é o padrão do amor.
‘Na verdade, Judas, parece haver certas faltas para o homem, mas é uma falta aparente porque o homem na posição em que está, é dado ao abuso, e como criança mal inclinada, precisa de mãos amigas para a tutela, e às vezes para uma corrigenda. Porém, vejas a abundância de ar que tens para respirar, uma das coisas mais necessárias da vida.
A água é encontrada em toda a parte, desde que se saiba busca-la. Os alimentos, quando o trabalho é ativo, são produzidos com grandes sobras.
‘A igualdade em que às vezes pensas, ainda não pode existir, porque no momento a desigualdade é o amor que faz vários tipos de raças conviverem e espíritos de quilates diversos ficarem juntos, uns aprendendo com os outros. Não gostas de servir na companhia dos Mestres do saber? Pois, se ombreasses somente no caminho da igualdade completa, terias o encontro, por justiça, só com coisas e pessoas que nada poderiam te ensinar. Seria uma tortura viver somente com pessoas do nosso mesmo padrão espiritual, com as mesmas inclinações.
‘Judas, meu filho. Todos os homens têm em suas mãos toda a riqueza de que precisam, e, quando a criatura vai crescendo em entendimento, vai crescendo também em abundância. A riqueza da vida pertence a todos, mas ela é administrada pela força maior.
Às vezes reclamamos demais a sua ausência e ela nos vêm por misericórdia. Abusamos e respondemos pelo abuso, e aí a ignorância nos faz nos revoltar contra quem somente quer a nossa felicidade.
Jesus deixou cair no ambiente algumas gotas de silêncio. Judas não parou de meditar. A imagem de Jesus, refletiu-se na sua própria consciência, repetindo as mesmas palavras ditas antes com carinho. O Mestre, complacente, argumentou novamente.
- Judas, já tiveste a oportunidade de notar a riqueza que tens dentro de si? Se um homem soubesse o que pode fazer com o poder que dorme na sua alma, valores doados por Deus, nosso Pai, ficaria feliz só com isso, que chamamos a riqueza das riquezas. Os pensamentos podem atingir estruturas inconcebíveis, Judas, a ponto de tudo se formar pela sua simples vontade.
‘O que compõe as coisas está disperso com abundância por toda parte, bastando uma ordem da qual o amor é a chave, para que digas: “Faça-se aquilo”, e aquilo se faça.
‘É bom que lembres como foi feita a criação, o que Moisés inteligentemente nos revela. Somos filhos d’Este que nos criou a sua mais perfeita semelhança.
‘A riqueza da criação ou cocriação nos pertence como a maior herança da vida e a maior riqueza que o amor de Deus nos deu, como seres humanos e espirituais. Não podemos ver as coisas pela sua simples aparência. É necessário que entendamos em espírito e em verdade, para que essa verdade nos liberte de todas as inquietações. Não podemos medir a felicidade alheia pelas coisas que os outros possuem, ou pela falta delas.
‘A carência da fortuna pode ser uma lição valiosa que despertar a verdadeira preciosidade no coração. É muito justo e de bom tom que nós não invejemos as situações dos outros, para que os outros não façam o mesmo conosco, fazendo com que o ambiente de constrangimento nos atinja.
Jesus deixou passar mais um pouco de tempo e continuou...
- Talvez, meu filho, não saibas o que buscas. Será que tens plena certeza de que, com o dinheiro em abundância, acabará toda a tua incompreensão? Com a mão cheia de ouro, a felicidade fará morada em tua consciência? Com muitos poderes, a paz reinará em teu coração?
‘Toda ilusão é passageira, principalmente quando se trata de almas que se abeiram do bem e que já começam a conhecer a verdade.
‘Na verdade, te digo que, se ganhares todo o mundo e se tiveres posse de toda a fortuna que queres, se fores o soberano de todas as criaturas da Terra e fizeres o que queres sem que ninguém te impeça, mas não tiveres paz na consciência, és o mais pobre de todos.
‘É necessário, Judas, que aprendas a ser rico por dentro, para que o teu coração aprenda a orientar os Tesouros por fora.
As feições de todos irradiavam alegria, achando a lição da noite muito propícia para a convivência diária. Mas Judas saiu sozinho da reunião dos discípulos, pensando em como conciliar uma coisa com a outra.
Sióstio de Lapa
Enviado por Sióstio de Lapa em 07/08/2019
Código do texto: T6714260
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sióstio de Lapa
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 66 anos
825 textos (38203 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/09/19 22:10)
Sióstio de Lapa

Site do Escritor