Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Martin Heidegger explicação do livro: Ser e Tempo.

Alemanha 1889-1976.

Heidegger grande filósofo alemão, magnífico pensador, um dos maiores filósofos do século XX.

Heidegger foi determinante para o nascimento da Filosofia pós-contemporânea.
 
Sua grande obra: Ser e tempo, caracteriza-se  pela análise da existência humana, sendo que o homem é compreendido como Daisen.

Portanto, qual o significado do Daisen, o ser aqui e agora nesse mundo, sendo o ser um ente finito, todavia, aberto as possibilidades.

Entretanto, o que caracteriza o ser, tão somente o tempo, o homem é a existência do tempo, enquanto durar a existência do ser.

Com efeito, o futuro é sempre indeterminado, porém, limitado ao tempo da existência.

Sendo o ser para Heidegger, o ser do Daisen, cujo significado é a própria vida.

Desse modo, o ser se compreende existindo, o que é importante para o homem, a compreensão do ser,  sobretudo, a hermenêutica da existência.

O homem se comporta no Dasein,   com os demais homens, na compreensão do ser em sua totalidade.

Todavia, a realidade do homem esgota-se  na realidade do Dasein, pois o ser é um ser para morte, nada além da morte, sendo o homem produto da sua  evolução e destruição.

O homem é um ser para a morte, sendo a referida o fim do próprio homem.

Em última instância a  respeito da finalidade do homem  transformar-se  em pó químico, poeira do universo.

Portanto,  o homem o resquício do tempo perdido na existência.

 O homem como ser para morte, está lançado para o mundo, vivendo a  existência com a plena liberdade.

Deveria ser desse modo,  posteriormente, quando efetivar a morte, será como se o homem nunca tivesse existido.

Em sua fenomenologia da hermenêutica entende Heidegger, quando o homem morre é o fim, dessa forma, não existe finalidade para a vida.

Não há uma razão para ser, viver a vida deixando a mesma se esgotar em sua própria evolução, o tempo é responsável pela destruição do ser.

A não existência de deus,  faz do  homem como ser para a morte, vivenciar o desespero da própria existência.

Portanto, o homem é um ser angustiado,  pelo fato de saber que a sua trajetória é o caminho para morte, o mais absoluto desaparecimento, não é possível impedir ao tempo, a  destruição da existência.

Edjar Dias de Vasconcelos.

Edjar Dias de Vasconcelos
Enviado por Edjar Dias de Vasconcelos em 22/08/2019
Reeditado em 22/08/2019
Código do texto: T6726700
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Edjar Dias de Vasconcelos
São Paulo - São Paulo - Brasil
2913 textos (466642 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/19 21:58)
Edjar Dias de Vasconcelos