Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A hipótese como construção da ciência

A hipótese como construção da ciência
A ciência é criação e a criação causa felicidade aos próprios criadores e aos que dão atenção a esta criação.
Em ciência, tal como na arte, não há lugar para a insipidez, para a repetição fastidiosa de verdades banais, para o dogmatismo enfadonho ou para a confiança cega em ideias feitas.
O objectivo da ciência não é ser interessante em si, mas sim é conhecer a verdade. O divertimento pelo divertimento é fastidioso. A investigação científica começa pelas hipóteses, as quais são em seguida verificadas e se revelam verdadeiras ou falsas.
 A investigação científica não começa por uma generalização que seria em seguida ensaiada com os dados existentes para se verificar se ela assenta bem, como um chapéu a uma senhora.
A investigação científica começa pela análise de todos os dados relativos ao problema, pela elucidação dos factos. E este estudo obedece a métodos científicos precisos. Os métodos científicos traçam vias sem limitar de modo algum a investigação e, em vez de entravar o investigador, oferece-lhe a possibilidade de se elevar acima da banalidade.
As hipóteses nascem das observações. É justamente uma análise precisa destas observações que redunda no estabelecimento de hipóteses. Nas ciências exactas as hipóteses transformam-se, ao fim duma verificação experimental que pode ser muito longa, em teorias, isto é, numa explicação condensada de fenómenos particulares a partir dum pequeno número de princípios gerais.
A psicologia da criação científica mostra que, mesmo nas ciências exactas o primeiro impulso que faz nascer uma hipótese é de carácter estético, A satisfação estética é, para o sábio, o ponto de partida e a etapa final da formulação duma nova hipótese.
Os argumentos acerca das hipóteses são geralmente os seguintes: porque privar o leitor de hipóteses engenhosas, paradoxais, etc.
O que se poderá chamar hipótese interessante?
Uma hipótese imprevista, paradoxal. Os que assim raciocinam, esquecem os objectivos da ciência. Seguir esta via é substituir a ciência pela ficção pura.
A que é que eu chamo hipótese interessante e bela?
Eis um exemplo duma hipótese verdadeiramente interessante: a descoberta do planeta Neptuno por Le Verrier: a existência deste planeta tinha sido demonstrada por cálculos, matemáticos e só depois é que, a partir deste cálculos, o planeta foi descoberto por observações directas, visuais. A hipótese astronómica requeria muito menos destreza para a construção de paradoxos que um grande trabalho preparatório. Foi justificada por cálculos matemáticos extremamente árduos.
É apenas com base nesta ideia que se poderá formar uma nova geração de sábios de talento, trabalhadores e responsáveis pelas suas hipóteses.
Melisso de Gaza
Enviado por Melisso de Gaza em 14/12/2017
Código do texto: T6198956
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Melisso de Gaza
Matola - Cidade de Maputo - Moçambique, 21 anos
9 textos (209 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/10/19 06:55)
Melisso de Gaza