Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O INTERTEXTO: POEMA SOBRE POEMA

O que dizer quanto ao texto criado e apresentado pelo poeta-leitor em cima da peça poética (aquele espécime que é primitivo) a qual nos afoga inopinadamente pela emoção, e que tomamos para nós como se fora nossa criação? Aquele poema do qual derivam uma ou mais criações, tal é a profundidade de introjeção na cuca do poeta-leitor. O intertexto é a criação de um texto a partir de outro pré-existente. Esta nova peça verbal, que é eivada de concepções e ornada de visões pessoais, enfocando como o criador do intertexto concebe o mundo real, seus entornos; bem como a reestreia do tema e conceptuais da criação primitiva, recheando a peça derivada. Uma coisa é certa: cada uma das peças poéticas tem o seu valor individuado, porém, há que se ter cuidado para que o intertexto exsurgido venha a ter ORIGINALIDADE E CRIATIVIDADE próprias, a ponto de se não identificar de imediato a proposta anterior subjacente. Se isto vier a ocorrer na cabeça do receptor, o segundo poema surgido (intertexto), mesmo que esteticamente bom, perde amplitude como proposta de reflexão. De qualquer modo, o conceptual é sempre o de uma peça inexaurível, porque, em Poesia o definitivo inexiste: está sempre a se renovar. No entanto, cada poema é sempre um exemplar com autonomia, dotado de autenticidade – um “animalzinho” de estimação. No entanto, diferentemente dos animais domésticos, o poético não demarca a sua territorialidade como único ocupante do espaço (de pensamento) e seus entornos. O bom autor sabe que ele tem de funcionar apenas como um instigador: aquele que abre a porta para o universo poético e ajuda na transfiguração do mundo fático para que leitor (e criador) possa obter a sensação de ser feliz com direito ao gozo, à fruição prazerosa. Um mundo novo no qual tudo o que é hostil toma novo paladar. Porque Poesia é pra comer, como dizem os doutos e os loucos. E o bom forno ou cadinho criativo molda o palatino das delícias.

– Do livro OFICINA DO VERSO, vol. 02; 2015/16.
http://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/5831830
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 22/11/2016
Reeditado em 22/11/2016
Código do texto: T5831830
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2689 textos (732015 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/04/17 05:08)
Joaquim Moncks