Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As Muitas Vozes Do Mestre Panelada

As Muitas Vozes Do Mestre Panelada

Sei que a mão é minha
A panela é uma vaginha
Fruto ou legume que se come
Com arroz. Gosto de bater
Nela aos milhões o amasso
Fominha. Batemos por que
Queremos. Bater nelas sim
É precisa forma de protesto
Contra o Congresso débil.
Até o Redentor reclama
Com suas mãos divinas
Tempera sons paneladas
Com gostosas proteínas
Não são tristes e patéticos
São seu modo de dizer
O voto precisa ser Ético.
Nosso país não é feito
Manada de cordeiros
Somos ordeiros quando
A ordem não é progresso
De terceiros que querem
Forçar o vermelho a ser
Cor de um país bandoleiro.
Vamos jogar um milhão
De ovos podres e tomates
Fétidos nos símbolos onde
Habitam no covil côncavo
E convexo os corruPTos
E seus partidos e as leis
Viroses de seu Congresso.
Nossa bandeira é verde
Azul e de áureo verso
De um Povo que não
Amarela diante desse
Congresso. Na verdade
Não queremos esse
Presente de grego
Embrulhado como se
Fosse benesse com fita
E lacinho apertado com
A cilada foice e martelo.
Nossa bandeira, sabemos,
Jamais será vermelha
Cobra-coral foi-se, vai
Com seu martelo. Nem
Daltônico confunde
Vinagre com marshmallow.
Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 10/01/2017
Código do texto: T5877366
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Decio Goodnews
São Paulo - São Paulo - Brasil
1460 textos (404471 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/07/17 06:01)

Site do Escritor