Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Entrevista com a Poetisa e Escritora Norma Aparecida Silveira Moraes



FB – Vamos começar pela infância: Como era a vida de Norma criança?

NASM= Tive uma infância um pouco conturbada, meu pai foi criado muito rígido e seguiu este modelo de vida para educar seus filhos. Somos oito irmãos e naquele tempo não se tinha ajuda nenhuma do governo, e tirávamos da terra os alimentos para sobreviver. Todos começamos trabalhar cedo, ajudando nosso pai na lavoura, plantando e colhendo. Com doze anos comecei a lecionar no MOBRAL (Movimento Brasileiro de Alfabetização) a noite. Tive bons momentos quando saia de férias e passava as férias na fazenda de meus avós maternos. Sempre fui viciada a ler desde pequena.

FB– O interesse pela literatura já veio nessa etapa da vida? De onde vieram os principais incentivos?

NASM - Meu incentivo veio de minha avó materna pois na casa dela havia muitas estantes com livros e revistas, havia também muitas revistas em quadrinhos como Tio Patinhas, Fantasma, Pato Donald, etc. Gostava muito de brincar de dar aula para meus irmãos e primos. E desde nova já substituía meus professores quando faltavam no primário...com doze anos dava aulas particulares no colégio em que morava. Sempre gostei de ler livros de ufologia, biologia, romances...

FB – Em qual área poética você se sente mais capacitada e mais a vontade para criar?

NASM=Eu sempre gostei muito de fazer quadras, nem sabia de estilos clássicos, mas fazia desde muito novinha por volta dos dez anos, minhas poesias. Minha avó gostava que a gente recitava, e nos ensinou fazer quadras e tercetos. Como nas férias a casa dela era cheia ela fazia auditórios na grande sala da casa. Ela morava na roça mas era muito intelectual, naqueles tempos, uns quarenta e tantos anos atrás. Li todos os livros do Machado de Assis, e outros livros de literatura, de José de Alencar, sempre gostei da literatura brasileira, leio de tudo, até bulas de remédios...


FB– Você é idealizadora de vários estilos poéticos aqui no “Recanto das letras” e já fez um livro, como surgem as inspirações e qual estilo você acredita que teve um retorno mais imediato perante seus leitores? E como é este livro?

NASM = Neste meu pequeno livro há as teorias de cada estilo. Mas o que foi mais aceito pelos poetas do recanto é o meu xodó o Decanato Poético. Gosto muito de falar sobre a natureza sua degradação, da perda cada vez maior de nascentes e rios. Venho da roça, sou caipira e entendo bem o impacto que pode ter, o desmatamento, já vi rios grandes que eu nadava ter secado, isto mexe muito comigo. É uma obsessão para mim, falar sobre o cuidado com a natureza. Terra sem água não tem valor...

FB - Em seu perfil do recanto está escrito que você é psicóloga formada, gostaria de saber o que fez você optar por esta profissão e se esta escolha também interfere no seu processo de criatividade?

NASM= Minha vida sempre foi marcada por sofrimentos e conflitos internos, meus pais não viviam bem, tiveram separados por sete anos, tive que morar em orfanatos, depois tomar conta de dois irmãos, um deles é a mana poetisa Ana Lucia S Paiva. Foi um período muito triste e solitário, meu pai nos deixava dias sozinhos até sem alimento. Ele saia pelo mundo, e esquecia de nós, foi dois longos três anos, que me deixaram muitas marcas.
A psicologia me dá uma bagagem maior e mais realista para fazer poesias, sempre tento passar alguma mensagem de vida no que versejo. Minha experiência, enfrentamento e superação de vida também me ajudam...Normalmente não uso fantasias na poesia, há tantos assuntos que inspiram um poeta, tristes ou alegres. Sou muito verdadeira no que escrevo...

FB – Você demonstra interesse em vários seguimentos religiosos, o que estas pesquisas e estudo a respeito desse questão trouxe para sua vida para que você possa compartilhar conosco?

NASM= Sim, passei por várias religiões a procura daquela que me fizesse feliz, sempre vi muita falsidade, intriga, no interior delas, padres e pastores imorais foi um deles. Minhas decepções me ajudaram a procurar algo mais, sem dogmas, aonde pudesse exercer a fé, mais crescer na essência, aonde não houvesse tantas mentiras e más interpretações da Bíblia, percebia que cada um interpretava de uma maneira a reprimir, coagir, e minha intuição me fazia estudar cada vez mais o misticismo, esoterismo, etc. Hoje respeito todas, mas na ordem Rosa Cruz, aprendo sobre tudo e sobre todas as religiões, filosofia, psicologia, cabala, aprendi muito sobre a verdadeira história do Mestre Cósmico Jesus, o que me fez amá-lo ainda mais.

FB – Você superou alguns problemas de saúde e enfrenta outros. O que estas questões com saúde que você teve que passar trouxe de positivo para sua vida e veio como ensinamento? Você acha que elas podem trazer crescimento para nossa vida psicológica e espiritual?

NASM= Ainda enfrento problemas crônicos como hipertensão, diabetes. Sim e muito, a gente aprende mais, a gratidão de ter sido salva, enquanto muitos morrem de câncer, já tive duas vezes. Aprendi a amar o Deus verdadeiro Criador do Universo, o Grande Arquiteto do Universo, de verdade. Aprendi sobre tantos Mestres Cósmicos, Aprendi a enfrentar tudo com fé de verdade. Sem ter dúvida de confiar e essa fé tem guiado minha vida em todos os sentidos. Esta fé me ajuda a aconselhar meus filhos, ter mais paciência, tolerância, ser mais carinhosa e compreensiva.

FB – Voltando ao assunto literatura, como conheceu o “Recanto das Letras?”

NASM= Fazem alguns anos que tenho páginas de Power Point no site muito conhecido do www.sergran.com, tentei criar alguns blogs, mas não tenho experiência com internet e não foram para frente, aprendi tudo sozinha, navegava aonde havia poesia, quando fazia estágio com idosos no curso de Psicologia, (2003 a 2008), gostava de imprimir belas poesias para discutir sobre os temas nas terapias de grupo, Os pacientes idosos colecionavam, gostavam muito, um dia procurando mais poesias, nesta procura surge o Recanto das Letras. Comecei a ler e gostar e percebi que podia fazer grátis ou ter um site.
Neste tempo depois que me formei, estava muito envolvida com o Pronaos Rosa Cruz daqui de Suzano, era tesoureira, e fazia parte dos rituais de templo, tinha pouco tempo. Até que resolvi me cadastrar depois que meu esposo ficou doente, e não pude mais frequentar o templo. Fiquei muito triste e deprimida, e o Recanto renovou minha alegria. Preciso sempre estar na ativa. Hoje fazer poesias e escrever mas me fazem bem demais, aprendo muito com tudo isto, com os recantistas também...


FB – Quais são suas referências na poesia e na literatura? Cite alguns poetas e escritores de sua preferência, os mais antigos e os mais recentes e alguns que você acha que ainda vão despontar.

NASM= Como já disse sempre gostei muito de ler, tenho uma biblioteca em casa bem eclética, com livros de misticismo, como da Ordem Grande Fraternidade Branca, Paulo Coelho, William Shakespeare, Dan Brown, Muitos livros de psicologia de Jung, Freud, Sartre, até de Catania, lia de todas vertentes da psicologia e psicanálise, lia até Cristina Cairo, de poesia foi Olavo Bilac, Cecília Meireles, e Barbara Heliodora (Antepassada de meu avô paterno), Charles Chaplin...sempre fui muito eclética, sempre assinei jornal de minha cidade, inclusive escrevi semanalmente crônicas por três anos. No Recanto temos muitos poetas que me emociona muito, você é um deles, entre muitos outros, também me emocionam muito, há centenas que gosto e faço visitas esporádicas em suas escrivaninhas.



FB – Vivemos um momento conturbado no mundo e no nosso país com esta questão política. Até onde você acha que nossos dons podem ser úteis para contribuirmos e levar aos nossos leitores uma reflexão do que está acontecendo independente da ideologia política?

NASM= Ajudam com nossas opiniões que muitos detestam, mas outro apreciam. Um escritor muitas vezes pode ajudar um leitor que está do outro lado com algum problema, levando alguma luz para aquela alma, ajudando a criar ideias. Você já percebeu que conforme o assunto que a gente escreve, logo vão surgindo obras com aquele tema. Incentivam a criação. É uma boa ferramenta de criatividade, a gente se inspira neles, e alguns em nossas obras, numa frutífera integração que faz muito bem a cada um que aprecia versejar de verdade.

FB – Já vi em suas páginas, como já recebi na minha também, comentários grosseiros e ofensivos por pessoas intolerantes que não aceitam uma visão de mundo oposta a delas. Gostaria de saber se você se abala emocionalmente ou não com estas atitudes. .E se não se abala como faz para poder tirar de letra situações como estas?

NASM= No início era difícil, fiquei muito decepcionada, pois chegavam com ofensas pesadas mesmo, depois me acostumei, vi que eram pessoas mesquinhas, usavam perfis anônimos, outras eram porque se achavam muito perfeitos, ou por causa de preferência política.Alguns ainda versejando com palavras difíceis, depois fui percebendo que tinha continuar com o meu estilo, pois recebia muitos e-mails de pessoas que estavam encontrando uma luz nas minhas simples poesias.
Era muito poucos, o mínimo, umas três pessoas que me ofenderam, depois pensei, cem contra três, vence a maioria, e se elogiavam também era um incentivo. Depois aprendi que nós poetas e escritores, sempre haverá algumas pedras no caminho. E depois, confio na lei da causa e efeito, quem faz maldade paga. Na frente terá como recompensa a maldade sobre si próprio


FB – Ainda falando de questões políticas: Você é a favor ou contra que se convoquem novas eleições para a presidência e outros cargos? Como você avalia a gestão do Presidente interino Michel Temer?

NASM= Na minha modesta e sincera opinião, já que querem tirar uma presidente eleita pelo povo, seria correto nova eleição, pois o outro já fazia parte da equipe, está integrado...A política do Brasil é muito suja, ninguém joga limpo e quando um resolve fazer alguma coisa boa para o povo, percebo que há muita ingratidão também, por parte de muito eleitores. A presidente foi afastada por causa das ditas “pedaladas” e o presidente interino aumentou o limite do orçamento em três vezes mais. Como pode uma coisa destas ?...São coisas que nos levam a pensar em como há conspiração e inveja na política.



FB – Em algumas situações você acredita que o pedido de impeachment contra a Presidente Dilma Rousseff foi movido por indignação ou teve um pouco de preconceito social também por parte da população privilegiada financeiramente? Acredita que houve alguma influência negativa ou positiva da mídia em relação a este fato?

NASM= Creio pelo que acompanhei até mesmo pela TV Senado, Globo e outra emissoras, que o maior problema foi a richa entre partidos, o preconceito contra o PT é grande demais. Ninguém que tem condições financeira melhor, inconscientemente, não aceita um governo que governa para os pobres. Depois foi muita manipulação da mídia, movimentos liderando as passeatas da direita. Dava para perceber claramente, que o problema maior era o partido e depois o preconceito também por ela ser mulher. Pelos comentários maldosos e machistas nas redes sociais isto ficou claro. Um prato cheio para a direita, um partido de esquerda e uma mulher no poder. Era raiva e inveja, tudo junto e misturado. E havia muita gente que falava o que ouvia da mídia, frases decoradas. Mas torço pelo Brasil e bem do povo brasileiro,

FB – Fechando o assunto política: Qual a sua opinião a respeito da ausência de negros e mulhres no ministério do Presidente interino?

NASM= É o que disse antes, preconceito, outro dia assisti no senado um senador no debate falando que mulheres são todas histéricas, que ficavam cacarejando, etc. Um preconceito muito claro contra as mulheres na política.

FB – Voltando a falar de seus gostos pessoais: Cite suas preferências no cinema, teatro e TV...

NASM= O que aprecio mesmo é um livro interessante, na TV documentários, e até algumas novelas, estou adorando Velho Chico pelo conteúdo políticos, e alerta sobre a terra, rios.
Gosto muito de filmes também, fui muito pouco em teatro, há peças muito boas, outras nem tanto.
No momento gosto muito de escrever sobre temas atuais e fazer poesias. Na verdade o que aprecio mesmo é um livro bom, que prende a leitura, e passo muito tempo no Recanto, lendo obras dos amigos, interagindo com alguns, quando o tema me chama atenção e inspiração

FB– Como é a Norma em família?

NASM= Dizem que sou aquela mãezona que gosta de receber os filhos aos domingos, que adora reuniões com irmãos, primos, filhos, família de meu esposo. Detesto injustiça, sou franca, e isto muitas vezes incomoda e me deixa em maus lençóis. Sou muito simples, sem frescuras, digo muitas vezes que sou uma poetisa caipira, enraizada na natureza. Sou uma pessoa que é sempre regida pela fé, esperança e motivação de novos dias. Sempre superando tudo, dando volta por cima.
Gosto de viver o agora, não penso muito no futuro não. Sou muito centrada no presente, mas penso no futuro com positividade para atrair coisas boas. Controlo assim os maus pensamentos. Mas por outro lado sou uma pessoa sentimental demais, e fico muito nervosa quando presencio injustiças e abusam da minha bondade.

FB – Cite um texto de sua autoria que considera marcante em sua vida.

NASM= Lembrando de um bem recente; “O mundo cabe dentro de um abraço”, um mais antigo, é Velhice bem sucedida intrínseca e extrínseca. Tema do meu TCC, gostei demais do tema, e sempre escrevo algo sobre a velhice. Pois é difícil ser velho e doente, eles perdem o domínio da vida. Não sabem mais o que é existir no mundo. Triste para eles e difícil também para o cuidador. É preciso muito amor, paciência e luz para ajudar e cuidar.



FB– O que faria diferente em sua vida se pudesse voltar no tempo?

NASM=Se pudesse voltar ao tempo teria estudado psicologia e psicanálise na mocidade. Mas antigamente só estudava faculdade quem era bem rico, pois não era em qualquer cidade que havia faculdade por perto. Além de longe precisava de dinheiro para estadia, etc. Hoje até os pobres estão realizando um sonho de ter uma faculdade. Mesmo assim o povo ainda reclama...Antigamente não
tínhamos nada de facilidade e conforto. Não havia máquinas de lavar roupas, boa televisão. Fogão a gás estava começando, e há até fraldas para bebê descartáveis. A vida era muito dura, embora com mais amor e menos violência.



FB – Qual sonho você mais almeja realizar para sua vida?

NASM= Meu sonho agora é escrever livros, mas é tão difícil, sou aposentada, queria viajar pelo Brasil todo, conhecer o meu país, mas mal saio de casa por ter que ficar com meu esposo com problemas de saúde e ainda fico dez dias por mês com minha sogra que tem mal de Alzheimer. No momento estou condicionada a ficar em casa, mas a internet, o Recanto me tomam muito tempo, é o meu lazer atualmente, escrever me faz muito bem, sinto que estou sendo útil também. De vez em quando sinto uma tristeza enorme por não poder ir mais vezes visitar meus pais idosos em Minas, minha terra natal. Outra coisa que mexe muito comigo foi em não ter aprendido a dirigir, aqui em São Paulo não consegui dirigir, embora em Minas eu dirigia, lá é livre, não tinha transito. Aqui meu estímulo foi embora, pois cai na zona de conforto, pois meu esposo sempre dirigiu bem e viajámos para Caraguatatuba uma vez por mês e ficava de dez a quinze dias lá, depois que nos aposentamos, mas agora ele pouco dirigi e mal vamos no super mercado perto de nossa residência. No momento não dá nem para sonhar ou pensar em mim.

FB– Uma mensagem aos seus leitores do “Recanto das Letras”;

NASM= Eles são muito importantes na minha vida, por incrível que possa parecer, a gente vai criando laços com eles, a gente percebe quando estão bem ou não. É como se conhecemos uns aos outros e estivéssemos sempre reunidos. Aprecio tantos, que nem dou conta de visitar todos eles, as vezes passo até uma semana sem fazer visitas em muitos, procuro também seguir a capa do Recanto, pegando sempre as atualizações e seguindo por ali, lendo as obras que vão surgindo, muitas vezes dando boas-vindas aos novatos, pois tenho o hábito de também seguir pelos títulos dos temas.
Cada dia que passa faço mais amizades no recanto, é muita gente boa. O que já percebi também que há muitos idosos e como fiz estágio com idosos, gosto muito de ler as obras deles, que são muito ricas de lembranças. Medos, angústias muitas vezes o medo da finitude rondando. Envelhecer é complexo e difícil e já estou caminhando para isto... Meus pais também são bem idosos e com problema de saúde, mas ainda bem ativos, Minha mãe toma conta da casa da cidade e ele com 82 ainda planta suas rocinhas, cria animais, anda a cavalo...



O Melhor Lugar do Mundo é Dentro de um Abraço

Um abraço pode ter muitos sentidos.Um abraço de amor,paz,de alegria,em momentos tristes também,ao chegar,ao ir embora... abraços é sempre aconchegante...
Mas no sentido fraternal. A melhor coisa que existe é um abraço, seja para comemorar juntos alguma coisa boa,seja na hora da tristeza e desalento.,Num reencontro, na despedida...


Quero sempre abraçar
Acolher com amor
Poder sempre contar
Na alegria ou na dor

Um abraço fraternal
É muito importante
É único, é genial
É amor constante

Ser também envolvida
Quando você perceber
Bem querer na vida
Muitos abraços merecer

Queria ser um abraço
Para com amor acolher
O sofredor a cada passo
Com o abraço reverter

Todo sofrimento acabar
Poder saber consolar
A todos poder abraçar
Com carinho acalmar

Queria poder abraçar
Tantas causas perdidas
Muito amor poder dar
Curando tatas feridas

Um abraço é bom demais
Ele tem mil propriedades
Bons sentimentos e mais
Com a verdadeira bondade

Um abraço pode projetar
No amor se embaraçar
Buscando carinho levar
Com sincero receber e dar

Abraços de paz e carinho
No peito aconchegante
Mostrando o caminho
Do amor tão importante

Quero entrar,abraçar
Fugir deste mundo conturbado
Quero um alento buscar
Para este mundo tão bagunçado

Envio abraços de paz
Para todo bem e alegria construir
Para aliviar e acolher a dor
Todo sofrimento vamos destruir

Vamos todos abraçar
Neste sentimento salutar
Com a paz todos comungar
E bem e amor sempre desejar

Que os braços de Deus
Venha sempre acolher
Abraçar os filhos seus
Para alegrar todo viver

Recebo um abraço feliz
A cada dia, no amanhecer
É Deus,que em inspiração diz
Mais um dia para viver...



Norma Aparecida Silveira Moraes
Fábio Brandão
Enviado por Fábio Brandão em 13/07/2016
Reeditado em 13/07/2016
Código do texto: T5696572
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fábio Brandão
Contagem - Minas Gerais - Brasil
2279 textos (442109 leituras)
1 áudios (181 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/11/17 15:20)
Fábio Brandão