Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Filósofo, você conhece algum? Parte IV (Meio Homem, Meio Bicho)

È impossível não haver uma verossimilhança entre homens e bichos, em algum momento de sua humanização ou humanidade as características humanas e animais convergem, ou de alguma forma se identificam; é um relação tão complexa e por se tratar de bicho devo imediatamente advertir de que há boi na linha.
Equiparar homens e bichos não é algo eqüidistante, nem difícil a mais perfeita equivalência é a de gatos e ratos, ou então a dos cães que comem cães e não há cão para todos, porém não se trata de meros homens, nem de meros animais, trata-se do filósofo ou daquilo que concebe-se como filósofo, em contra-partida é preciso constatar a que características grupo característico de animais este poderia ser associado.
        Se  o mundo é um mundo de rebanhos e não há senhores de si, nos vem a mente necessariamente o boi, a vaca, ou qualquer outro ruminante, porém a característica de seguidor não é a de um filósofo, talvez a de sofredor, numa de suas fases, logo o filósofo pode se caracterizar por um sofrimento ou uma dor que não cessa, é capaz de morrer pelas causas do mundo e de suas supostas verdades, o cordeiro, a ovelha, passivo, entregue a própria sorte.
        Se o mundo é o mundo de cão e que um cão deve comer cão; necessariamente é um mundo de força, é o mais forte não é o cão, mas o leão, o filósofo pode sentir-se um leão ao defender seus objetivos e verdades; porém a força bruta se opõe a força dos argumentos, quanto mais bárbaro menos analítico, é uma regra, uma lei, e segundo lei do mais forte, há sempre aquele que será mais forte, e o leão ou o filósofo leão será eminentemente vencido, por esta razão entre o leão e o cão é preferível ser cão, não para comer cão mas para latir contra os demais cães para que pelo menos comam menos cães.
         Se o mundo é um mundo de gatos e ratos, em que gatos comem ratos e os ratos jamais  se constituem empecilho aos gatos, um e outro não é compatível ao filósofo, ser filósofo não é ser experto, pois isto é ser maquiavélico ou gato; também não é ser rato, apesar de que por vezes tem que se sujeitar aos gatos, nem um nem outro, não há lugar para o filósofo num mundo de gatos e ratos.
Astúcia, força, submissão, surgem como características necessárias ao convívio humano, as quais não podem em algum momento coexistir como uma atitude filosófica; o filósofo deve ser aquele que está e não está, passa, vai além e retorna, aceita o que não significa que não sofre.
          Em outras palavras por mais que pareça conversa para boi dormir, não lugar para filósofos num mundo de bichos e não há lugar para bichos num mundo de filósofos, por enquanto o que temos é o nosso bom e velho mundo de bichos, o bicho homem.
nelson rodrigues corrêa
Enviado por nelson rodrigues corrêa em 18/03/2011
Código do texto: T2855316

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Corrêa, Nelson Aparecido Rodrigues). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
nelson rodrigues corrêa
Belém - Pará - Brasil, 48 anos
16 textos (1031 leituras)
2 e-livros (38 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/05/17 21:14)
nelson rodrigues corrêa