Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Enxugando o Poetrix

Às vezes passo um bom tempo relendo, avaliando e corrigindo os Poetrix que escrevi tempos atrás. Este é um exercício de paciência e busca por novas possibilidades que exerço com satisfação. Não que fiquem melhores, mas que fiquem mais “limpos” do que o poema original. Ou seja: é apenas uma viagem incensante pela busca do aprimoramento de uma das características básicas do Poetrix, a concisão. Esta característica é a que mais me encanta pelo simples fato de se utilizar o mínimo para “transmitir a mais completa mensagem em um menor número possível de palavras e sílabas” poéticas. Isto se dá quando não há mais a possibilidade de excluir qualquer que seja o vocábulo contido no poema sem que ele perca sua identidade.

Este artifício foi bastante utilizado no começo da história do Poetrix, quando se perguntava para o autor de um determinado Poetrix, e se fosse assim? Alguns não aceitavam a nova configuração, mas outros a acatava de bom grado, sem nenhum problema. Na minha cabeça aquilo funcionava como uma espécie de troca de informações, sendo que o grande beneficiado era o autor do poema em questão, que podia escolher a opção que melhor lhe conviesse. Em nenhum momento nos apropriávamos da ideia inicial. Por isso, não havia o que poderíamos chamar de plágio.

Infelizmente não tenho mais conhecimento dessa troca de informações, até porque o grupo de pessoas que estão escrevendo Poetrix, ficou grande demais. Creio que isto tenha dificultado o processo neste sentido. Porém, nada impede que façamos isto com os nossos próprios poemas. Um exercício e tanto! Mas vou me dar ao luxo de usar um Poetrix que encontrei na escrivaninha da Poetrixta Eneida Cristinna para exemplificar o que estou falando:

Laço

Meus finos cristais
Tua voz macia...
Encontro perfeito de nós

E se fosse assim?

Laços

finos cristais,
voz macia...
encontro perfeito de nós

Vejamos,

- O título seria “Laços”, para passar a ideia de vários fios entrelaçados.
- No primeiro verso acrescentei uma vírgula para que seja feita uma pausa mais acentuada.
- No segundo verso retirei a palavras “teus” por conta da reticência.
- O terceiro verso faz uma amarração muito forte com a palavra “nós”. Além de que, oferece ao leitor um excelente duplo sentido. Aqui não mudei nada.

Desta forma, acredito que o Poetrix fica menos pessoal. Deixando para o leitor mensagens subliminares, não se atendo necessariamente a um único significado, o que, a meu ver, engessa o poema.

E viva a poesia!!!
Pedro Cardoso DF
Enviado por Pedro Cardoso DF em 16/06/2017
Reeditado em 16/11/2017
Código do texto: T6028986
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Cardoso DF
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 69 anos
4489 textos (98274 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 17:59)
Pedro Cardoso DF