Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Teoria Literária #040: O que é um Ode Qüídem?

O que é um Ode Qüídem?
Teoria Literária #040

Ode Qüidem, do Latim 'quidem' - de fato, p.ext. baseado em fatos reais), ou seja, poesia em resenha, é um estilo poético criado em 18/04/2014 pelo Poeta Bosco Esmeraldo, faz parte dos Alelos Esmeraldinus. É uma poesia que nasce do dia-a-dia, reportando fatos do quotidiano, à guisa de jornal. Por esta razão, torna-se, assim, um instrumento de registro histórico, dado aos elementos utilizados pelo poeta, explorado do quotidiano, fonte básica de inspiração, ao elaborar seus versos.

Estrutura:

1) O Ode Qüídem é composto de seis estrofes no formato a seguir:
    a) Dois quartetos em Heptassílabos (tetra, penta, hexa, hepta ou
        eneassilábicos [sílabas poéticas]);
    b) Dois tercetos em Duoléxis, ou seja, duas palavras por verso,
        onde se permite o uso de conectivos (artigo, pronome, adjetivo,
       preposição ou conjunção em monossílabos não são contabilizados
       na contagem de palavras).
    c) Dois quartetos em Univerbum, ou seja, uma palavra por verso,
        onde também se permite o uso de conectivos (artigo, pronome,
        adjetivo, preposição ou conjunção em monossílabos não são
        contabilizados na contagem de palavras).
    d) Nos Ode Qüídem Sonéticos:
        d.1) Dois quartetos em heptassilábicos e dois tercetos em Duoléxis;
               ou
        d.2) Dois quartetos em Heptassilábicos e dois tercetos em
               Univerbum.
               ou
        d.3) Um quarteto em heptassilábicos, outro quarteto em
               pentassilábicos, um terceto em Duoléxis (versos com duas
               palavras) e outro terceto em Univerbum (versos  monoléxis
               ou seja, com apenas uma palavra).

2) É permitido, no caso se um relato cheio de detalhes, estender o
   Ode Qüídem para mais estrofes num total de seis ou nove estrofes
   sendo para isso bisar ou triplicar a estrutura acima descrita.
3) Estrutura rímica:
     [ABBA - BCBC] – [DCD – EDE] – [FEEF – FAFA];
     [ABBA - BCBC] – [DCD – EDE] – [FEEF – GFGF];
     [ABBA - BABA] – [DCD – CDC] – [FEEF – EFEF].
     a) Nos Ode Qüídem Sonéticos (14 versos)
         a.1)  [ABBA - BABA] – [DCD – CDC].
         a.2)  [ABBA - BABA] – [DCE – ECD].
4) Explorar com criatividade os acontecimentos do dia-a-dia.
5) O Ode Qüídem também pode ser escrito na ordem reversa,
    2 quartetos em Univerbum, 2 tercetos em Duoléxis e 2
    quartetos em versos de 4, 5, 6, 7, o ou 9 sílabas
    poética, utilizando o mesmo padrão de rima.
6) Se preferir, o Poeta pode se utilizar de versos simétricos
     com métrica em tetra, penta, hexa, enea e dexassilábicos,
     conservando a métrica do primeiro verso, do começo ao
     fim. Neste caso, informar: (Versos Simétricos).

Conselhos úteis:
1) Não se deixe enganar pelas aparências. A princípio pode parecer
    difícil, mas o Ode Qüídem é um estilo leve e de fácil utilização.
   Tente pelo menos um e comprovará isto na prática.
1) Procure fatos relevantes do quotidiano, dignos de nota e registro;
2) Dê um toque poético explorando seu lirismo e estilo próprio de
   versejar;
3) Combine duas ou três estruturas poéticas, alternando métricas,
    rimadas etc.
4) Explore bem as figuras de linguagem, evitando as silabadas,
    cacófatos, vícios de linguagem etc.
5) Treine trocadilhos, mas não abuse dos mesmos, a menos que o
    tempo explorado seja o próprio trocadilho. Utilize-se desse trem
    sem perder os trilhos;
6) Prime pela composição, partindo do cabeçalho, desenvolvendo bem
    o corpo do texto, primando sempre com uma boa finalização.
7) Aninhar seu Ode Qüídem provisoriamente na pasta
     Experimental>Alelos Esmeraldinus> GERAL.

Embora possua uma estrutura própria, bem característica, o modus operandi deste pode (e como pode!), ser empregado em qualquer outro estilo literário. Quando assim proceder, o poeta deve informar, por exemplo, “Soneto Ode Qüidem”, ou seja, Soneto composto empregando o estilo “Ode Qüidem”. Em geral, a grande maioria dos Alelos Esmeraldinus se utilizam desta técnica.

Exemplo:
EM CRISTO EMANO JUSTO DIÁFANO
         Ode Qüidem #001:
(Quemadmodum speravimus
in Christo procedunt diaphanum)
[ABBA-BCBC]–[DCD–EDE]–[FEEF–FAFA]

Eis que há mais de dois mil anos
o mundo foi impactado.
À morte foi sentenciado
Cumpridos divinos planos.

Entre ladrões condenado
foi, por meu pecado e o seu,
sem dever, crucificado,
em meu lugar padeceu.

Sangue vertendo...
Como sofreu!
Perdão concedeu.

Grande clamor,
de D'us provendo
Imenso amor

Fervoroso,
nisto,
insisto
Seu favor.

Por isto,
emano,
em Cristo,
justo diáfano.
Alelos Esmeraldinus
Enviado por Alelos Esmeraldinus em 18/04/2014
Reeditado em 13/05/2015
Código do texto: T4774126
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Alelos Esmeraldinus
Gama - Distrito Federal - Brasil, 95 anos
3767 textos (172734 leituras)
206 áudios (13639 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/09/20 00:29)
Alelos Esmeraldinus