Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O que Honoré de Balzac falou sobre o jogo

O QUE HONORÉ DE BALZAC FALOU SOBRE O JOGO
Miguel Carqueija

Eu digo com frequência que o jogo estatal é apenas mais um imposto que o Estado cobre dos cidadãos: no caso, o imposto sobre a burrice.
Lembro de uma reportagem do tempo da Loteria Esportiva. Um sujeito do Centro-Oeste havia ganho uma fortuna, ficara milionário da noite para o dia. Dois anos depois estava mais pobre que antes e a família fula com ele. Simplesmente, o sujeito havia esbanjado o dinheiro comprando carros e casas para os amigos (nessa hora todo mundo é amigo, não é?) e nada para a ele e a família. Também foi noticiado o caso de outro sujeito que leu errado a informação sobre o bilhete premiado, pegou a esposa e os filhos e saiu para comemorar à grande, sem nem ter recebido o prêmio. Que nem receberia, pois seu pai descobriu que o rapaz não havia ganho.
Vejam bem, a lógica do jogo é você perder, não ganhar. Se a lógica fosse ganhar ninguém bancaria, muito menos o Estado. Mas, dirá alguém, sempre tem quem ganha! Sim, um ou outro ganha, mas a chance é infinitesimal; e a multidão dos que perdem, jogando dinheiro fora, compensa amplamente para quem banca.
No fundo trata-se de cobiça, querer ganhar sem trabalho, a troco de nada. Ou então perseguir um sonho quase impossível. Até suicídios o ogo provoca, principalmente o jogo de cassino, que querem reimplantar no Brasil.
Pois vejamos o que Balzac escreveu a respeito no ano de 1825:
“Há muito tempo que vozes eloquentes se levantam em vão para pedir a abolição desta instituição imoral. A única maneira de cortar o mal pela raiz é demonstrar sua evidência. No dia em que todos estiverem convencidos de que o dinheiro gasto com a loteria está perdido para sempre, que os sete milhões que a loteria rende para o governo são um lucro vergonhoso, fruto de roubo; no dia, enfim, em que ninguém mais gastar com loteria, a autoridade que respeita a moral pública, quando é de seu interesse não violá-la, suprimirá as loterias, que se terão tornado onerosas.”
(do livro “Código dos homens honestos”)
Rio de Janeiro, 6 de junho de 2019.

Miguel Carqueija e Honoré de Balzac
Enviado por Miguel Carqueija em 06/07/2019
Código do texto: T6689767
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Carqueija
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 71 anos
3021 textos (194412 leituras)
56 e-livros (5097 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/11/19 17:35)
Miguel Carqueija