Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Todos os dias ela
Mara levanta
Sacode a poeira
E tem que ir trabalhar
 
Descobre
Os percaustos da vida
O primeiro:
 
O trânsito
 
Ela sorri;
 
Como assim sorri dona Mara
O barulho a poluição
O semáforo que não abre?
 
Ela fecha a janela e desconecta
Liga o ar e escuta algo bom
 
Sorrindo...
 
Aproveitando o tempo e o momento
 
No caminho
 
Uma conhecida
Conta uma tragédia
E outra e outra
 
Ela responde:
— Ham ram...
 
E assim vai
 
Ele desconecta e pensa no seu melhor momento
 
A "amiga" começa a sessão fofoca
 
Mara não liga e vai regar as plantas...
 
No meio tempo de trabalho
E na  questão de tempo
 
Ela pensa no quão bom será o seu momento
 
Ela abre a carteira
E junta os boletos
 
Vai pagar
 
Na fila do banco ela entende
 
Enquanto um e outro resmungam e
Reclamam
 
Que é hora da Mara brilhar!
 
O trânsito a colega e até a plantinha
 
Serão inspiração
 
Ela liga o celular
 
Se você pudesse ver; observaria
Ela sorrindo sozinha
 
É o tempo necessário
E os seus dedos tomam vida
O seu coração pulsa forte
 
Ela precisa
 
Repito
 
Ela precisa brilhar
 
Gata borralheira
 
Brilha
 
E como brilha!
 
Cada verso
 
É como uma valsa orquestrada
O poema o seu par
 
Otimista, nos detalhes da vida
Romântica nos detalhes do amor!
 
Ela fica feliz
 
O tempo da composição
Fez ela sorrir
Deu tempo!
 
Ela responde:
— Bom dia atendente
 
A atendente age com estranheza
Ela sorri? A fila demorou?
 
A atendente nunca entenderia
A perfeição de poema
 
Que saiu direto do forno
Que é o coração da Mara
 
Mara faz o que sabe de melhor:
 
— Escrever o Amor...
 
— O poema?
 
Cheio de movimento
De emoção
 
Os likes começam a aparecer
Tantas pessoas sorriem
 
Adoçando
Homens e mulheres
Na tela do app
 
A Cinderela precisa voltar a ser gata-borralheira
 
Quem quer ser uma Cinderela?
 
Mara a cinderela do poema
De amor, paixão e otimismo
 
Dos sonhos realizados
 
De momentos
 
De transformar limão
Em limonadas
 
Poemas nascem
 
E brilham no baile do verso
E transforma vios mortais
E fantasias maravilhosas
Que enchem o dia do leitor
De poesia
 
🤗
No entanto
 
Ela sempre volta a brilhar
Só deixe um tempinho
Permitir
Os dedinhos a dedilhar
 
Mara é uma poetisa do aplicativo Meu poema, este poema dedico-lhe a ela.
Waldryano
Enviado por Waldryano em 06/02/2020
Reeditado em 06/02/2020
Código do texto: T6859674
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Waldryano
Telêmaco Borba - Paraná - Brasil
362 textos (31150 leituras)
45 áudios (1589 audições)
5 e-livros (76 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/08/20 01:30)
Waldryano